Síndrome do jaleco branco: o que é e como amenizá-la?

Síndrome do jaleco branco: o que é e como amenizá-la?

Leia em 5 min.

Sensação de tontura, aumento dos níveis de pressão e náuseas pelo simples fato de ter que ir a uma consulta. Se você é médico, com certeza já passou por situações assim com algum paciente e sabe que essa condição não é tão simples. A síndrome do jaleco branco é real, e sua clínica precisa estar preparada para atender esses pacientes da melhor forma possível.

Chamada de iatrofobia, a síndrome do jaleco branco começou a ser observada em 1980, segundo registros da Universidade da Califórnia. 

Essa síndrome se refere a pessoas que, ao precisarem de atendimento médico, apresentam um medo irracional, não apenas relacionado aos médicos, mas também ao ambiente hospitalar, clínicas e consultórios, e também  a objetos relacionados.

Essa síndrome afeta tanto as crianças quanto os adultos, e cada pessoa pode apresentar sintomas diferentes, o que dificulta seu diagnóstico e a ação do médico sobre qualquer problema de saúde que ela venha a apresentar.

Pensando em te ajudar a lidar com pacientes que apresentam a síndrome do jaleco branco, elaboramos o conteúdo explicando tudo que você precisa saber. Continue a leitura e descubra como você pode entregar um atendimento de excelência!

Principais causas da síndrome do jaleco branco

A grande maioria das síndromes está relacionada a problemas anteriores, e a do jaleco branco não é diferente. Trata-se de uma patologia multifatorial.

De forma inconsciente, a pessoa relaciona a ida ao médico a alguma experiência traumática, o que gera o quadro de sintomas da síndrome.

Os traumas podem ser aqueles relacionados à infância, em que a imagem do médico é muito associada a injeções, agulhas e remédios com gosto ruim.

O quadro se agrava ainda mais quando o paciente passa por experiências negativas no ambiente hospitalar, como a perda de um familiar.

Um paciente que fez um tratamento médico doloroso ou que sofreu com algum tipo de erro médico, seja com ele ou com pessoas próximas, pode também desenvolver essa síndrome.

Além disso, a síndrome pode acontecer com pessoas dependentes de bebidas alcoólicas ou drogas, principalmente aquelas que apresentam resistência ao abandono desses vícios.

Principais sintomas da síndrome do jaleco branco

Ainda que seja um problema causado pelo psicológico, os pacientes que apresentam a síndrome do jaleco branco podem sofrer de sintomas físicos, e os profissionais da clínica devem conhecê-los para melhor atendê-los.

Além disso, você proporcionará um atendimento ainda mais humanizado com seus pacientes, compreendendo a melhor forma de ajudá-los e se tornando referência em sua especialidade

Um dos sintomas mais comuns é a hipertensão pontual. Em outras situações, o paciente apresenta níveis normais de pressão arterial, mas essa se eleva quando é um médico que está fazendo a aferição, podendo ter como consequência um diagnóstico errôneo de doença.

Além disso, a síndrome pode desencadear outros sintomas relacionados à ansiedade, causando tremedeira, suor excessivo, suor frio, tontura, náuseas, taquicardia, tensão muscular e até mesmo descontroles emocionais, antes ou durante as consultas.

Assim, cada vez que o paciente precisa de atendimento médico, seu quadro de ansiedade se altera, levando ao adiamento de consultas e à automedicação, o que pode trazer grandes riscos à saúde do paciente.

Como amenizar esse problemas nos pacientes

É tarefa fundamental do médico ser capaz de identificar a síndrome do jaleco branco e aprender como amenizar esses problemas, para que possa exercer sua função e proporcionar, da melhor forma possível, os tratamentos que o paciente precisa.

Para isso, existem algumas formas de diminuir os sintomas da síndrome, deixando o paciente mais confortável e criando uma relação de confiança com o médico.

Separamos aqui algumas dicas práticas que você pode começar agora mesmo no seu consultório. Continue a leitura e garanta o sucesso nos seus atendimentos! 

relacionamento-medico-paciente

Estabeleça diálogos não presenciais

Para que o paciente perca o medo irracional, ele precisa ser levado a sério e desenvolver um sentimento de confiança para com o médico.

Se o problema é o ambiente hospitalar, o consultório ou o jaleco branco, a melhor forma de amenizar os problemas da síndrome é retirar esses fatores.

Busque outras formas de se comunicar com o seu paciente — diálogos não presenciais podem ajudar a retirar a imagem de médico criada pela pessoa. Troque mensagens com seus pacientes, descubra como eles se sentem mais confortáveis em falar dos seus problemas.

Realize atendimentos presenciais mais descontraídos

Quando houver a interação presencial, busque formas mais descontraídas de fazer o atendimento. Inicie a consulta quebrando o gelo, conversando sobre assuntos diversos, não é necessário ir direto ao ponto. 

Quanto menos metódica e mais dinâmica for a consulta, mais confortável o paciente irá se sentir.

Ofereça técnicas de relaxamento

Como estamos falando de ansiedade, ensinar ao paciente técnicas de relaxamento pode ser fundamental para que você consiga fazer a consulta e buscar o melhor tratamento para seu paciente.

Técnicas de respiração tendem a amenizar estados de ansiedade, aliviando os sintomas e reduzindo o medo que os pacientes estão sentindo no momento. Assim, o médico pode seguir com a consulta, oferecer um diagnóstico correto e proporcionar ao paciente a melhoria na saúde que ele precisa.

Proponha terapia em grupo

Em casos mais sérios, você pode ajudar o paciente a encontrar grupos de terapia para que os sintomas possam ser tratados e amenizados. As terapias fazem o paciente perceber que mais pessoas compartilham do mesmo problema.

O diálogo é um dos principais elementos para que a síndrome seja reduzida. Além disso, os profissionais que estão dando a terapia precisam encontrar formas de mostrar àquele paciente a importância do tratamento médico e os perigos que a síndrome pode causar.

Riscos da síndrome do jaleco branco não tratada

Essa síndrome pode trazer consequências graves muito além de dificuldade para o médico em tratar esses pacientes, pois, em alguns casos, o adiamento das consultas, mesmo quando se trata de doenças graves e que precisam de tratamento urgente.

Evitar exames e contato com médicos fazem com que os pacientes busquem outras formas de tratar a doença, o que pode resultar em aumento de automedicação, podendo piorar ainda mais o estado clínico dos paciente.

Por esse motivo, é de extrema importância que os médicos tenham consciência de que eles podem buscar diferentes técnicas para que esses pacientes não deixem de ser atendidos e consigam o tratamento adequado para seus problemas.

A síndrome do jaleco branco pode ser algo imperceptível, e por esse motivo os médicos precisam de atenção extra aos sintomas, para que não passem nenhum diagnóstico errado ao paciente que já enfrenta traumas relacionados a causas médicas. 

Ter um bom relacionamento com o paciente é essencial para que ele possa ser tratado com a qualidade que merece.

Quer garantir um bom atendimento aos seus pacientes? Baixe agora mesmo nosso eBook gratuito com 15 técnicas para fidelizar os pacientes

eBook Grátis: Aumente a fidelização dos seus pacientes com essas 15 dicas. Clique aqui e baixe agora!

Gostou do conteúdo? Conte pra gente se já vivenciou algo do tipo, e não se esqueça de reagir e compartilhar o conteúdo. 


Sobre o autor

Milene Polo

Líder de Inbound Marketing na iClinic, com foco em SEO e jornada do cliente. Formada em Nutrição na USP, com Pós Graduação em Administração de Empresas FGV.