Prescrição eletrônica: como funciona essa tendência?

Prescrição eletrônica: como funciona essa tendência?

Yasmim Mayumi Ferramentas para Clínica Leave a Comment

Leia em 5 min.

Uma eficiente prescrição eletrônica aumenta a segurança dos seus pacientes, garante maior respaldo jurídico para o seu atendimento, e pode ser enviada de qualquer lugar. 

Clique no player para escutar o áudio do artigo:

As prescrições digitais, também conhecidas como prescrições eletrônicas de medicamentos ou receitas digitais, trazem diversas vantagens para a área da saúde. 

Um estudo divulgado na Semantic Scholar afirma que as prescrições eletrônicas são fatores fundamentais para a segurança dos pacientes.

As prescrições médicas eletrônicas podem ampliar a segurança dos medicamentos porque são estruturadas, são mais legíveis e muitas informações podem ser fornecidas ao prescritor durante o processo.”

Apesar de serem cada vez mais presentes no dia a dia dos profissionais de saúde, muitos ainda possuem dúvidas em relação ao seu funcionamento

Pensando nisso, separamos neste artigo os principais benefícios da prescrição digital, e solucionamos algumas dúvidas sobre sua prática.

Continue a leitura!

Principais vantagens da prescrição eletrônica

Segundo o estudo da Semantic Scholar citado mais acima, os profissionais de saúde entrevistados mencionaram as seguintes vantagens da prescrição eletrônica:

Facilidade na leitura, rapidez com que ela é feita e liberada, diminuição dos erros, maior organização e disposição dos dados, além da agilidade com a farmácia. 

Vamos descobrir outros diferenciais da prescrição digital?

1. Envio de qualquer lugar 

Quantas vezes um paciente teve que retornar ao seu consultório apenas para pegar uma nova prescrição de medicamentos?

Diferente de um documento de papel, a receita digital pode ser enviada de qualquer lugar, e a hora que você precisar, por meio de SMS ou e-mail. 

Além de proporcionar uma ótima agilidade, essa acessibilidade também é fundamental em situações de emergência, ou quando o paciente não pode se deslocar até o consultório.

2. Banco de dados atualizado

Você lembra de cor todas as opções de medicamentos do mercado? 

Ninguém consegue decorar todos os nomes existentes, muito menos estar constantemente atualizado sobre a precificação nas farmácias.

Porém, uma plataforma de prescrição eletrônica como a Memed, que possui mais de 60 mil medicamentos cadastrados, consegue fornecer todas essas informações em alguns segundos. 

Iremos explicar mais profundamente como isso funciona no final do artigo. 😉

3. Armazenamento seguro

Com um armazenamento na nuvem, todas as prescrições de medicamentos ficam salvas em um servidor seguro na internet, que só pode ser acessado por profissionais autorizados.

Um software médico integrado com a Memed, por exemplo, além de fornecer todas as vantagens da prescrição eletrônica, também é desenvolvido exclusivamente para profissionais de saúde.

Portanto, os seus desenvolvedores são especialistas em segurança de dados, e buscam implementar medidas de segurança previstas no Conselho Federal de Medicina (CFM) e na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). 

Assista nosso vídeo sobre tecnologia na nuvem e entenda mais como ela funciona:

4. Maior proteção jurídica para profissionais de saúde

Uma prescrição eletrônica pode reduzir erros, além de registrar todas as solicitações que foram realizadas pelo profissional de saúde.

Com esse histórico, você consegue garantir para o paciente quais medicamentos foram receitados, e exatamente em que hora isso ocorreu. 

Essas práticas garantem uma ótima proteção jurídica para a sua imagem profissional. 

Além disso, como as prescrições digitais de qualidade só podem ser acessadas por profissionais de saúde, você também consegue garantir a privacidade das informações sigilosas dos seus pacientes.

5. Impossibilidade de letra ilegível 

O fato das letras das prescrições eletrônicas serem completamente legíveis pode parecer óbvio, mas muitos profissionais ainda não reconhecem toda sua importância para a segurança dos pacientes.

Um documento digital é totalmente compreensível para os pacientes, diferente de letras que, mesmo sendo bonitas, podem não ser fáceis de ler. 

Isso significa que as chances de horários, ou até mesmo nomes de medicamentos serem confundidos, é quase nulo. 

Uma ótima forma de proporcionar mais segurança para o tratamento dos seus pacientes, não concorda?

Como a prescrição eletrônica funciona?

Você já conhece as principais vantagens da prescrição eletrônica, mas como começar a usá-la? Como é o seu funcionamento na prática?

Veja a seguir as respostas das principais dúvidas dos profissionais de saúde em relação à prescrição eletrônica.

Como tenho acesso a uma prescrição eletrônica?

Para obter uma prescrição eletrônica, você pode contar com plataformas como a Memed, o banco de medicamentos mais atualizado do país, ou ter um software médico de gestão para clínicas e consultórios.

Diferente de uma plataforma exclusiva para prescrição, um software conta com diversas funcionalidades que irão trazer mais praticidade para sua rotina médica, como o prontuário eletrônico, Teleconsulta, entre outros. 

Prescrição eletrônica da Memed

Independente da sua escolha, o fato é que contar com uma prescrição eletrônica irá trazer segurança para sua prática médica. 

Como envio a prescrição eletrônica para meus pacientes?

Alguns softwares médicos permitem o envio da prescrição eletrônica por e-mail e SMS, além da possibilidade de emissão da receita física. 

Tudo que você precisa fazer é cadastrar os dados dos pacientes de forma correta, e o envio da prescrição é feito diretamente pelo próprio sistema. 

O iClinic, por exemplo, possui integração com a Memed. Durante o atendimento, no próprio prontuário eletrônico, você consegue prescrever medicamentos e enviá-los em poucos segundos para seus pacientes. 

Além do envio ser rápido, isso evita também a perda da receita, como normalmente acontece com os documentos de papel. Afinal, ela estará disponível no celular a qualquer hora. 

É possível assinar a prescrição digital? 

Sim! Para assinar a prescrição, é necessário obter uma certificação digital por meio de empresas reconhecidas como autoridades certificadoras. 

O tipo de certificação que está regulamentado para prescrição de medicamentos eletrônicos é o A3, emitido e salvo em um armazenamento na nuvem, cartão ou token (dispositivo eletrônico gerador de senhas), no padrão ICP-Brasil (Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira).

Existem diversas empresas certificadoras, como a Soluti, Certisign, Serasa, Valid, e entre outras. A plataforma da Memed, por exemplo, já está integrada com todas as empresas

Você pode obter sua certificação por qualquer empresa, desde que ela siga o padrão ICP-Brasil. Normalmente, o processo é feito presencialmente em um posto de atendimento, e leva, em média, 30 minutos

O processo feito presencialmente não é necessário durante a pandemia da COVID-19. 🙂

Após obter a assinatura digital, basta seguir as orientações da empresa para poder assinar suas prescrições eletrônicas. 

As farmácias aceitam a prescrição eletrônica?

Uma boa parte das farmácias de todo o Brasil já aceita prescrições digitais. A tendência da área da saúde mostra que logo todas as farmácias estarão aceitando receitas eletrônicas. 

Uma receita que não exige retenção por parte da farmácia, mesmo sem assinatura, é válida para a compra dos medicamentos. No caso de medicamentos controlados, é exigido a assinatura digital.

Viu como a prescrição eletrônica é simples e fácil de usar? Além de garantir os medicamentos para seus pacientes em qualquer situação, ela também é muito mais prática do que uma prescrição de papel. 

Quer testar um software médico com uma prescrição eletrônica de qualidade? Teste gratuitamente o iClinic agora mesmo:

Experimente gratuitamente: Comece agora a testar o iClinic. Clique aqui!

Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui embaixo nos comentários que vamos adorar te responder. 🙂 


Sobre o autor

Yasmim Mayumi

Especialista em Marketing de Conteúdo e estudante de Letras na Barão de Mauá em Ribeirão Preto.