6 maneiras de se preparar para a saúde digital

6 maneiras de se preparar para a saúde digital

Maria Beatriz Oliveira Tecnologia na Saúde Leave a Comment

Leia em 6 min.

Com o aparecimento de novas tecnologias de saúde digital como Inteligência Artificial, Telemedicina e wearables, a Medicina torna-se cada vez mais voltada à prevenção do que ao tratamento. Como se preparar para este cenário totalmente novo?

As tecnologias são capazes de simplificar atividades, comunicações, e acelerar processos em todas as áreas de nossas vidas. Com a Medicina não é diferente.

A saúde digital é uma tendência, e faz com que os pacientes fiquem mais interessados e presentes em seus tratamentos, monitoramentos, e no cuidado com sua saúde no geral.

Ela inclui wearables, Telemedicina, Big Data, entre outros, e está cada dia mais ligada com as melhores práticas de cuidado com a saúde. 

Segundo um artigo da mHealth:

“Essas inovações podem contribuir para uma saúde baseada em prevenção, e para que as habilidades humanas, a partir do julgamento clínico e experiência na resolução criativa de problemas, determinem o sucesso da intervenção e da relação médico-paciente.”

Neste artigo, você vai conhecer um pouco mais sobre o tema e descobrir como pode se preparar da melhor forma possível para as mudanças.

Continue a leitura!

O que é saúde digital e quais são suas principais implicações?

O termo saúde digital engloba todo o uso dos recursos das TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação) para a disponibilização de informações confiáveis sobre a saúde.

Essas inovações são usadas para melhorar tratamentos individuais, acompanhar de doenças crônicas, e podem tornar a Medicina bem mais adaptada aos cuidados individualizados.

Um de seus objetivos é a obtenção de dados de monitoramento da saúde, como a pressão arterial, para que as pessoas possam melhorar seu estilo de vida e se manter saudáveis. 

Com isso, ao favorecer a intervenção médica antecipada no desenvolvimento de uma doença, por exemplo, a saúde digital ajuda a reduzir os custos dos serviços de saúde e colabora com todos.

Esse cenário pode fazer com que, no futuro, os médicos conduzam os pacientes em jornadas por uma saúde melhor com a interpretação dos dados técnicos da forma mais humanizada possível.

Além disso, com a saúde digital, os pacientes tornam-se participantes ativos em suas curas e em seus cuidados, e os profissionais de saúde deverão desenvolver outras abordagens e habilidades.

Mas como ficar preparado para tantas mudanças? Conheça a seguir 6 dicas que podem te ajudar!

Como os médicos podem se preparar para a saúde digital?

O uso das tecnologias pode trazer mais produtividade, eficiência, qualidade dos serviços prestados, e colaborar muito na melhora da experiência dos pacientes.

No entanto, esse cenário requer mudanças de abordagens e atitudes, e entendemos que essas são duas coisas muito delicadas de serem mudadas, especialmente após muitos anos de experiência.

O Dr. André Fuck comentou um pouco sobre um dos grandes receios dos profissionais: será que a tecnologia não atrapalha na relação médico-paciente?

Veja o que ele respondeu:

“De maneira alguma. Acredito que o que define o contato médico-paciente é a interação humana. O software é uma ferramenta para facilitar, agilizar, otimizar o tempo que perderíamos escrevendo exames, fazendo receitas. É o contato humano que define se a relação médico-paciente vai ser boa, e não a presença ou ausência de um software médico.”

Entenda o que fazer para inserir com clareza e mais facilidade a saúde digital no seu dia a dia, e no de seus pacientes.

1. Estude mais sobre a saúde digital

A alfabetização digital é o primeiro grande passo para que as mudanças aconteçam.

O terreno digital muda constantemente e é preciso saber procurar e acessar todas as informações necessárias para se manter atualizado e sempre atento à rápida evolução do mundo online.

Inclusive, essa nova educação deve estar presente desde as escolas de Medicina para que os novos profissionais já absorvam os conceitos e também o novo funcionamento da relação médico-paciente.

Os estudantes podem focar em um maior acolhimento dos pacientes e em manter um contato próximo com os mesmos desde os primeiros anos da graduação.

Assim, os novos profissionais serão hábeis e empáticos para compreender os sofrimentos e a forma de pensar de seus pacientes, e como eles estão tentando resolver seus problemas. 

2. Veja as iniciativas das associações médicas sobre essa tendência

Algumas instituições desempenham um papel motivador muito forte para todos os profissionais da saúde.

Iniciativas como a da ABIIS (Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde) na elaboração de um documento onde constam 31 propostas para alavancar o segmento de dispositivos médicos no país são essenciais.

Ou como a do próprio CFM ao receber as propostas sobre a legalização definitiva da Telemedicina.

Essas atitudes têm o poder de educar e conscientizar a todos de que as ferramentas e soluções digitais podem ser usadas de maneira consciente e segura.

Inclusive, a Telemedicina, que antes era uma realidade distante, passou a ser muito utilizada em 2020. Conheça mais sobre ela em nosso eBook gratuito:

eBook Telemedicina: aprenda todas as práticas legais do atendimento online!

3. Entenda como a saúde digital melhora seu trabalho

Médicos ainda gastam boa parte de seu tempo com tarefas administrativas. Contudo, a tecnologia pode colaborar e otimizar demais tais atividades.

Por exemplo, para melhorar sua rotina no consultório, você pode utilizar um software médico e automatizar todos os processos mais relevantes para seu trabalho.

Desde prontuário eletrônico, agendamentos online e lembretes de consultas, até relacionamento com os pacientes por meio do e-mail marketing e gestão financeira.

A Dra. Talita Melo entende a importância da tecnologia para os médicos:

Todos os médicos, querendo ou não, precisam acompanhar o mundo, e o mundo está totalmente digital. Se você faz tudo no celular, por que ainda atende seus pacientes no papel? A nossa assistência não pode ficar para trás, porque o mundo está evoluindo.”

Um bom software médico transformará seu dia a dia, trazendo mais produtividade e organização para o seu consultório, e deixando-o focado em fornecer o melhor atendimento possível aos que o procuram.

4. Especialize sua educação médica em inovação e tecnologia

A familiarização dos futuros médicos com as inovações tecnológicas mostra-se essencial. Essas ferramentas podem ser introduzidas nas salas de aula para que sejam entendidas e seus resultados analisados.

Cirurgias robóticas, pílulas digitais, Inteligência Artificial, Telemedicina e Realidade Aumentada são apenas alguns dos exemplos de ferramentas que moldarão as práticas médicas daqui pra frente.

Por isso, é essencial que os profissionais busquem aprimorar sua educação médica pensando nas inovações da Medicina e se mantendo atualizados para oferecer sempre o melhor atendimento.

Assista ao vídeo e descubra as 7 habilidades do futuro para os estudantes de Medicina:

E se você é um profissional que adora buscar conhecimento e quer aprender mais sobre gestão, finanças, marketing médico, e outros, conheça nossos cursos!

5. Conheça as tecnologias usadas pelos pacientes

Outra iniciativa interessante pode ser incluir as novas tecnologias de soluções em saúde digital em sua própria rotina, para que haja uma percepção real de como essas podem fazer a diferença.

Afinal, credibilidade é muito importante, e se o seu intuito é fazer com que seus pacientes tenham vidas mais saudáveis, pode então considerar implementar essas atitudes em sua própria vida.

Você pode começar usando aplicativos para treinos, wearables e aplicativos de saúde em geral, para que entenda como eles funcionam e possa também recomendá-los.

Esse é um grande passo e te fará uma inspiração para os pacientes que desejam mudar hábitos e construir vidas melhores e com mais qualidade.

6. Utilize a gamificação da aprendizagem para você e seus pacientes

A gamificação dos processos de aprendizagem pode ajudar muito no entendimento e ainda tem o poder de tornar o ensino mais produtivo, dinâmico e satisfatório.

Essa gamificação consiste em utilizar características e mecânicas de jogos em outros contextos, nesse caso, na educação, para engajar, despertar o interesse e favorecer a criatividade.

Por exemplo, aplicativos de saúde que ajudam a lembrar de beber água, melhorar hábitos e tomar remédios no horário bonificam seus usuários com pontos a cada conquista, o que pode ser muito motivador.

Para isso, várias metodologias e materiais estão sendo desenvolvidos e são utilizados para ajudar a modernizar o ensino tradicional e ativar outras partes do cérebro na hora dos estudos.

Por fim, é importante salientar que a maioria das mudanças traz um pouco de medo e receio, mesmo se forem para melhor. 

Para ser um profissional cada vez mais atualizado e integrado no novo mercado médico, começar a aderir às tecnologias fará com que você conheça e entenda o grande potencial da saúde digital.

E se quiser saber mais sobre como implementar inovações tecnológicas na área da saúde, baixe já nosso eBook gratuito:

eBook grátis: Implemente inovações tecnológicas agora mesmo

Gostou do artigo? Compartilhe com os amigos e deixe um comentário aqui embaixo!


Sobre o autor

Maria Beatriz Oliveira

Especialista em Marketing de Conteúdo e estudante de Marketing na Uninter.