Quais são as aplicações da Realidade virtual na medicina?

5 aplicações da realidade virtual na Medicina

Yasmim Mayumi Tecnologia na Saúde

Leia em 5 min.

Última atualização em 16/05/2022 por Yasmim Mayumi

A realidade virtual na Medicina cria um ambiente gráfico que simula um ambiente realista no qual é possível se locomover em três dimensões, o que gera aplicações como fisioterapia, treinamento e terapias expostas.

A realidade virtual está cada vez mais presente na Medicina e suas possibilidades — e vantagens — ainda estão sendo descobertas aos poucos, mas já se mostram muito promissoras.

Diversos estudos aplicando essa inovação na Medicina estão sendo realizados pelo mundo e já estão obtendo resultados surpreendentes. Leia este trecho do estudo da UNIFESP:

“[….] a RV estende as percepções dos nossos cinco sentidos, representando mais do que o real estado das coisas […] o que traz maior motivação ao estudante, pois permite o desenvolvimento do trabalho no seu próprio ritmo, explorar em vez de deduzir, aprender de forma ativa, interagindo e facilitando uma análise global e suas inter-relações.”

Neste artigo você vai aprender:

O que é realidade virtual?

A realidade virtual combina computadores de alto desempenho, softwares e aparelhos tecnológicos para criar um ambiente gráfico que simula a realidade do mundo físico.

Na realidade virtual (RV), é possível se locomover em três dimensões e interagir com os objetivos gráficos. Para que isso aconteça, normalmente é utilizado equipamentos como óculos de RV, fones de ouvido, entre outros.

A RV tem três premissas básicas:

  • Imersão: sentimento de estar dentro dos ambientes;
  • Interação: capacidade de detectar as interações do usuário e modificar instantaneamente o mundo virtual;
  • Envolvimento: engajamento da pessoa com o ambiente gráfico.

O diferencial da realidade virtual para outros ambientes é que você realmente sente que o ambiente gráfico é real e todos aqueles movimentos estão sendo realizados como em um mundo físico.

Quer saber quais são os impactos de inovações como a RV na expectativa sobre as habilidades dos médicos? Assista nossa live:

Qual é a diferença entre realidade virtual e realidade aumentada?

A realidade virtual cria um novo ambiente gráfico extremamente parecido com o mundo real. Você pode estar no Brasil mas sentir que está na Antártica.

A realidade aumentada apenas “aumenta” o cenário em que a pessoa se encontra. O médico ainda estaria na sala de atendimento, mas poderia acrescentar uma mesa de cirurgia e um paciente.

A realidade aumentada é utilizada pela indústria do cinema para adicionar personagens, objetos e animações em cenários com tela verde, por exemplo.

5 benefícios da realidade virtual na Medicina

A beleza da RV é que ela pode ser aplicada em diferentes áreas e cenários, logo, suas vantagens e aplicações na Medicina são inimagináveis, levando em consideração que essa tecnologia ainda está evoluindo.

Conheça as 5 principais vantagens da realidade virtual na Medicina:

  1. Treinamento preciso para profissionais de saúde, como cirurgias, sem a necessidade de colocar em risco a saúde do paciente;
  2. Melhora no tratamento para o paciente, seja para dor, cognição social, fobias, ansiedade, entre outras;
  3. Exercício da empatia para médicos. Com a realidade virtual, os profissionais podem se colocar no lugar dos seus pacientes, desempenhando um papel de idoso, criança ou pessoa com deficiência;
  4. Recuperação com fisioterapia mais agradável, na qual o paciente pratica com jogos virtuais e se envolve mais no tratamento;
  5. Experiência de Telemedicina mais imersiva e com alta qualidade. Ao invés de depender de ligações ou videoconferências, médicos e pacientes podem se encontrar na realidade virtual sem sair de casa.

Conheça mais sobre a Telemedicina em nosso eBook gratuito:

eBook Telemedicina: aprenda todas as práticas legais do atendimento online!

Para entender melhor como os benefícios mencionados acontecem na prática, continue a leitura e descubra como a aplicação da RV ocorre na área da saúde.

Como a realidade virtual pode contribuir para a Medicina?

As aplicações da realidade virtual no campo médico estão sendo descobertas aos poucos. Todos os dias, novos experimentos são feitos com o intuito de inserir essa tecnologia na área da saúde.

Essa tecnologia pode ser uma ferramenta de aprendizado para os profissionais da Medicina e uma maneira de auxiliar os pacientes em seus tratamentos.

Veja a seguir 5 principais aplicações da realidade virtual na Medicina.

1. Terapia exposta

Psiquiatras da Duke University School of Medicine estão usando a Realidade Virtual (RV) para tratar pacientes com fobias por meio de terapias de exposição.

Por meio da realidade virtual, os pacientes são inseridos em ambientes controlados para entrar em contato com seus medos, como claustrofobia ou medo de altura. Tudo de maneira segura, privada e de fácil repetição.

imagem

2. Controle da dor

Vítimas de queimaduras sofrem com uma dor excruciante e constante que se intensifica durante o tratamento das feridas ou durante os exercícios de fisioterapia.

Para ajudá-las a aliviar essa dor, um jogo de RV criado pela Universidade de Washington, chamado SnowWorld, tem tido um efeito surpreendente.

Nesse jogo, o jogador precisa jogar bolas de neve em pinguins, congestionando as vias responsáveis pelo sentido da dor.

Essa terapia tem tido resultados melhores que os da morfina em alguns casos.

3. Treino cirúrgico mais preciso

Atualmente, a formação de cirurgiões é feita utilizando cadáveres e, posteriormente, por meio de cirurgias reais, auxiliando médicos mais experientes, antes de assumir a tarefa de vez.

A realidade virtual pode ser um meio mais prático de treinar residentes sem oferecer riscos aos pacientes.

Na Universidade de Stanford, há um simulador de cirurgias que permite um treinamento muito mais eficaz, pois os estudantes podem cometer erros sem riscos e têm a possibilidade de receber feedbacks instantâneos.

imagem

4. Formação da cognição social para jovens com autismo

Um programa de treinamento criado por professores da Universidade do Texas tem ajudado jovens com autismo a trabalharem suas habilidades sociais.

Os pacientes são colocados diante de situações de interação social, como entrevistas de emprego, e têm suas ondas cerebrais monitoradas.

Estudos mostraram que o método é eficiente, com um aumento nas atividades cerebrais ligadas à compreensão social.

5. Melhoria da qualidade de vida de pessoas com deficiência e idosos

Com a realidade virtual, é possível ir para qualquer lugar sem nem mesmo precisar sair de sua cama.

Pensando nisso, estudantes de Engenharia da Universidade de Stanford criaram uma experiência de RV imersiva para ajudar idosos que não podem sair de suas casas.

Com a ajuda dessa tecnologia, eles podiam experimentar o lado de fora, seja andando de bicicleta ou caminhando na praia, com luz, vento e até mudanças de temperatura.

Esse mesmo cenário é aplicado para pessoas com deficiência que, em muitos casos, não conseguem realizar atividades comuns devido suas limitações físicas ou mentais, mas conseguem na realidade virtual.

Neste artigo você aprendeu o que é a realidade virtual, seus benefícios e como ela se aplica na Medicina. Para conhecer mais novidades e inovações da área da saúde, inscreva-se na nossa newsletter:

Cadastre-se na Newsletter do iClinic

Sobre o autor

Yasmim Mayumi

Especialista em Marketing de Conteúdo e produtora de conteúdo na iClinic. Graduanda em Letras - Licenciatura em Inglês e Português na Barão de Mauá em Ribeirão Preto.