Como o BI na saúde melhora a gestão do seu consultório?

Como o BI na saúde melhora a gestão do seu consultório?

Yasmim Mayumi Tecnologia na Saúde Leave a Comment

Leia em 7 min.

No passado as decisões dos gestores em saúde eram baseadas, principalmente, em experiência e intuição. Porém, hoje é possível ter mais controle e assertividade nas escolhas, com a ajuda dos dados.

Para garantir tomadas de decisões mais inteligentes e assertivas, é necessário contar com o BI na saúde. 

Por meio dele, é possível coletar, gerir e analisar informações para transformá-las em oportunidades para o seu consultório. 

Se você deseja mais produtividade e maior controle na sua gestão, é necessário entender exatamente o que é BI, ou Business Intelligence (Inteligência Empresarial).

Uma pesquisa da IT Forum 365 afirma que 73% das empresas com faturamento anual superior a R$ 2 bilhões, focam investir em BI. 

“Sem uma ferramenta de Business Intelligence, as organizações não conseguiriam aproveitar o potencial dos dados, que acabariam se perdendo.”

Um artigo da revista Medicina S/A também mostra que dentre os estabelecimentos médicos de sucesso analisados, 94% já utilizam alguma solução digital

“46% dos gestores que pretendem investir têm como principal objetivo a eficiência de processos e a segurança dos pacientes.”

Com um BI de qualidade, você pode alcançar uma gestão de excelência, sem reduzir a qualidade do seu atendimento ou aumentar sua carga horária de trabalho.

Continue a leitura e descubra mais sobre o que é BI na saúde!

O que é BI na saúde?

BI, também conhecido como Business Intelligence ou Inteligência Empresarial, é definido como um conjunto de processos de armazenamento e análise de dados, que visam decisões assertivas e gestão mais eficiente.

Um estudo sobre Business Intelligence Aplicado em Saúde Pública, diz que o BI não é um sistema, nem uma ferramenta, mas sim um conceito que se aplica, sendo vivenciado no dia a dia de uma instituição, como os consultórios.

“É essencial para a gestão da saúde o conhecimento, com qualidade e rapidez, da situação de saúde. Esta informação, se de fácil acesso e disponível com qualidade, torna-se grande auxílio para a tomada de decisão em qualquer área de atuação.”

Entre suas principais características, podemos destacar: 

  • Coleta de dados: todas as informações do consultório são coletadas e armazenadas em um único local, para garantir segurança de dados e análises mais eficientes;
  • Organização e análise das informações: após centralizar todos os dados, análises para identificar pontos como melhorias, gargalos na gestão e produtividade dos profissionais, são realizados;
  • Ações: por fim, é necessário transformar os dados obtidos em uma informação útil para todos, definindo ações baseadas em fatos.

Muitos profissionais de saúde confundem o conceito de BI e Big Data. De início, eles realmente se parecem, mas é importante deixar claro que existe uma diferença fundamental entre eles. 

Qual a diferença entre BI e Big Data?

Como vimos, o BI utiliza diversos processos para analisar os dados com eficiência, garantindo segurança nas tomadas de decisões. 

O Big Data, por sua vez, é definido como o armazenamento de uma enorme quantidade de dados, com a capacidade de analisar essas informações de forma rápida.

Para ilustrar melhor, veja neste exemplo quais são suas principais diferenças:

  • BI: análise de dados atuais para direcionar próximas ações. Basicamente, sua principal função é coletar informações importantes no momento ideal, como um planejamento;
  • Big Data: coleta uma imensa quantidade de dados, mostrando principalmente padrões e conexões de informação, abrindo diversas possibilidades que podem levar à práticas inovadoras.

Mesmo com essas definições, você provavelmente está pensando que eles ainda são bem similares. É verdade, enquanto um é direcionado para ações específicas, o outro busca inovação e descobertas. 

O ideal é que ambos conceitos sejam trabalhados juntos, pois com as duas técnicas, é possível alcançar uma cultura de dados de excelência. Ou seja, cada vez mais você deixa o “achismo” de lado, e se baseia em fatos.

Conheça outras técnicas de análise no nosso eBook gratuito sobre como avaliar resultados da sua clínica:

eBook Grátis: Saiba como avaliar os resultados do consultório. Clique aqui e baixe agora o ebook!

Principais vantagens do BI na saúde

O Journal of Health Informatics enfatizou, em uma pesquisa sobre aplicações de Business Intelligence na saúde, alguns benefícios que essa prática pode proporcionar para a gestão de estabelecimentos médicos:

“As práticas de BI podem ser aplicadas no setor de saúde, com eficácia para o que se propõe com a aplicação, gerando visão estratégica aprimorada e melhoria de processos, também suportando a tomada de decisão segura.”

Com um armazenamento e análise eficientes, o BI consegue proporcionar diferentes visões sobre sua gestão, que contribuem diretamente para a melhora no atendimento e segurança dos pacientes

Algumas vantagens só conseguem ser conquistadas com o investimento em tecnologia. Veja a seguir algumas delas:

1. Análise assertiva de dados

Já parou para pensar na quantidade de informações que apenas o seu consultório armazena?

Apenas os dados das fichas e prontuários dos seus pacientes, provavelmente, representam um bom número. Sem contar nos registros de transações financeiras, como receitas e despesas. 

Para gerir informações com qualidade, é fundamental contar com o BI na saúde. Assim, você consegue armazenar seus dados com segurança, respeitando leis como a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

Com a ferramenta certa, você consegue analisar suas informações rapidamente, por meio de relatórios e gráficos automáticos, que proporcionam mais tempo para você realizar suas análises e cuidar dos seus pacientes. 

Veja alguns exemplos de dados que podem ser facilmente coletados com softwares de gestão médica:

  • Convênio mais rentável: qual é o plano de saúde mais utilizado pelos seus pacientes? Se o número de pacientes que utilizam determinado convênio for expressivo, será que não vale a pena aliar-se a ele?
  • Tempo de atendimento: por meio de um cronômetro no prontuário eletrônico, você pode saber exatamente quanto tempo cada atendimento duro, e descobrir o tempo médio das suas consultas; 
  • Número de retornos: quantos pacientes retornam para o seu consultório? Quantas vezes eles costumam retornar ao longo do ano? Relatórios eficientes podem trazer essas informações de forma automática.

2. Qualidade na gestão em saúde 

Uma boa análise, consequentemente, gera uma ótima gestão em saúde, principalmente para os profissionais que desejam mais agilidade e buscam fidelizar pacientes. 

Imagine que uma análise tenha te mostrado que 30% dos pacientes da semana costuma faltar sem dar notícias. Ao perceber isso, você experimentou um serviço de lembretes de consultas automático

Esse serviço reduziu a taxa de absenteísmo, e ainda resultou em elogios pela atenção e cuidado que você teve em lembrá-los do agendamento. 

Esta é apenas uma situação que uma boa análise pode proporcionar. A integração de dados também resulta em diagnósticos mais assertivos, e uma organização de excelência. 

Dessa forma, além de aumentar sua produtividade e melhorar a qualidade do atendimento, você também tem mais tempo para gerir seu consultório. 

Para receber mais dicas sobre gestão na saúde, assista nosso vídeo: 

3. Otimização de processos

Os profissionais de saúde que utilizam o BI conseguem otimizar processos de forma muito mais prática, além de conseguirem uma vantagem competitiva considerável em relação aos concorrentes. 

Todos os processos do seu consultório podem ser melhorados, desde marcação de atendimentos até a qualidade da gestão, e no momento pós-consulta.

Você, melhor do que ninguém, sabe a importância de ter um local de trabalho bem organizado para gerar bons resultados. 

4. Identificação de oportunidades

Você sabe qual é o convênio mais rentável para o seu consultório? Será que você pode optar por atender apenas pacientes particulares?

Essas são algumas perguntas que podem ser respondidas com um bom BI. Analisar seus dados frequentemente, além de mostrar sua realidade, pode proporcionar uma ótima previsão do futuro.  

Suas informações podem mostrar como reduzir custos sem prejudicar o atendimento prestado aos pacientes, e até mesmo como ter mais rentabilidade. 

Vamos supor que o gasto de energia do consultório está elevado, e você deseja encontrar formas de reduzir essa despesa. 

Após analisar suas informações, percebe que alguns equipamentos estão exigindo muita energia para funcionar adequadamente. Então, você decide investir em equipamentos mais novos do mercado.

Isso significa que você gastou ainda mais? Na verdade, com os equipamentos novos seu custo de energia caiu, e seu investimento retornou como a redução de custos que você buscava. 

Além disso, os equipamentos antigos foram vendidos, o que também gerou uma renda extra. Novamente, esse é apenas um exemplo de como o BI na saúde pode te ajudar na prática. 

Baixe gratuitamente nosso eBook e descubra outras formas de investir na área da saúde:

eBook grátis: 8 passos essenciais para realizar investimentos na área da saúde

5. Prevenção de riscos 

Qualquer empreendimento possui riscos, e você como médico empreendedor sabe disso, ou deveria saber. Porém, existem diversas formas de preveni-los e estar em uma situação segura.

O BI, além de identificar pontos de melhorias, também consegue mostrar gargalos ou situações que podem se tornar um problema no futuro. 

Por exemplo, um fluxo de caixa negativo no final de alguns meses, falta e controle de estoque, aumento da taxa de absenteísmo dos pacientes, e entre outros. 

Com processos rápidos que identificam as falhas de gestão, você consegue tomar ações assertivas e melhorar seu consultório. Nenhuma empresa é perfeita, por isso, lembre-se que o BI é um grande aliado para melhorar seu negócio. 

Como aplicar o BI na saúde?

Para aplicar o BI na saúde, é necessário contar com um software de gestão. Com um software de qualidade, você terá acesso a relatórios, gráficos, e uma centralização de dados. Ou seja, tudo que um BI precisa. 

Contar com uma plataforma segura, que tenha um visual claro e organizado, é fundamental para o BI do seu consultório surtir efeitos ao longo do tempo. 

Informações claras  mostram qual é o procedimento que gera mais receita, qual o perfil dos pacientes que você atende, qual é a duração média do tempo de atendimento, e muito mais. 

Um software médico com armazenamento na nuvem, por exemplo, além de ter um servidor seguro na internet para guardar seus dados, impedindo que pessoas não autorizadas acessem dados sigilosos, também garante acessibilidade a qualquer hora, e de qualquer lugar. 

O BI em conjunto com um software de gestão permite que suas decisões sejam tomadas a partir de dados, trazendo uma percepção verdadeira da realidade, e melhorando sua gestão como um todo. 

Se você ainda possui dúvidas sobre softwares médicos, baixe gratuitamente nossa checklist e descubra se você realmente precisa de um sistema em nuvem

Checklist Grátis: Descubra se seu consultório está precisando de um Sistema em Nuvem. Clique aqui e baixe nossa checklist!

Qual é a sua opinião sobre BI na saúde? Escreva aqui embaixo nos comentários, e compartilhe o conteúdo com outros profissionais! 


Sobre o autor

Yasmim Mayumi

Especialista em Marketing de Conteúdo e estudante de Letras na Barão de Mauá em Ribeirão Preto.