Quais as diferenças entre consultório, clínica e centro médico?

Quais as diferenças entre consultório, clínica e centro médico?

Leia em 5 min.

A área da medicina possui desafios muito grandes, desde o grande esforço nos estudos para passar na faculdade, até a escolha de qual caminho seguir após o término da residência. Para te ajudar ainda mais, elaboramos um conteúdo sobre as principais diferenças entre consultório, clínica e centro médico.

Um dos grandes desafios de quem resolve estudar medicina, aparece após a residência médica: a grande dúvida sobre qual o melhor caminho a seguir. 

Abrir um consultório, trabalhar em uma clínica já estabelecida, optar por concurso público ou integrar um centro médico são opções que podem confundir o profissional. Se você se identifica com esses questionamentos, veio ao lugar certo!

Além disso, o mercado médico está cada vez mais concorrido, e se você quer se destacar e ser referência na sua especialidade precisa entender cada uma das formas de atuação para ter ainda mais sucesso

Pensando nisso, preparamos este artigo para ajudá-lo neste processo de decisão. Portanto, continue a leitura e saiba mais!

Consultório médico

A diferença entre consultório, clínica e centro médico aparece em três aspectos:

  • infraestrutura;
  • atividades;
  • jurídico.

Para entender um pouco melhor como um consultório médico pode receber essa definição, vamos iniciar enaltecendo alguns princípios da ética médica:

I – A Medicina é uma profissão a serviço da saúde do ser humano e da coletividade e será exercida sem discriminação de nenhuma natureza.

II – O alvo de toda a atenção do médico é a saúde do ser humano, em benefício da qual deverá agir com o máximo de zelo e o melhor de sua capacidade profissional.

E também dos direitos dos Médicos:

II – Indicar o procedimento adequado ao paciente, observadas as práticas cientificamente reconhecidas e respeitada a legislação vigente.

Ou seja, essas atividades precisam ser exercidas em um local adequado e tudo pode iniciar em um consultório médico. É nesse espaço que o profissional realiza os exames clínicos, prescreve receitas, pode requisitar exames em laboratório e encaminhar o paciente para outros consultórios ou hospitais, caso haja necessidade.

Sendo assim, como a principal atividade é o atendimento, a infraestrutura deve contar com uma sala que possibilite o exame em segurança e com privacidade. 

Já no campo jurídico, é preciso focar na legislação vigente antes de dar início às atividades de um consultório. Por exemplo, se o local escolhido para a sua abertura é permitida pela prefeitura. Assim, é preciso apresentar um laudo de avaliação do imóvel junto ao pedido de liberação à Vigilância Sanitária.

É preciso muita atenção quanto a essas questões, uma vez que as licenças precisam ser renovadas ano após ano.

Clínica médica

As questões relacionadas à infraestrutura podem ser apontadas como as principais diferenças entre consultórios e clínicas médicas. Isso porque as clínicas não focam apenas no atendimento, mas também na prestação de serviços. Por isso, requer instalações especiais de acordo com a especialidade.

Por exemplo, no caso de uma clínica de Neurologia, é indicado que tenham aparelhos que permitam diagnósticos por meio de tomografias, eletroencefalograma, ressonância e ecografia transfontanelar. 

Se você está prestes a se tornar Neurologista, talvez seja interessante investir em uma clínica ou centro médico – assunto a ser tratado adiante neste mesmo artigo – devido ao alto custo desses equipamentos. Dessa forma, você pode se planejar com seus colegas de profissão para adquirir esses instrumentos e oferecer um serviço completo de diagnóstico e tratamento.

A abertura de uma clínica também deve incluir uma pesquisa sobre a legislação vigente, uma vez que há diversas normas que devem ser seguidas. Entre elas:

  • definir a área de atuação de acordo com as normas da Agência Nacional de Saúde (ANS);
  • definir o registro na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), órgão que padroniza critérios de tributação, de acordo com as atividades exercidas;
  • solicitar à prefeitura o alvará de funcionamento;
  • regularizar a licença sanitária junto à Vigilância Sanitária;
  • solicitar o certificado de conformidade junto ao Corpo de Bombeiros;
  • obter o cadastro da clínica no departamento de limpeza urbana, solicitando a coleta adequada dos resíduos.

Vale lembrar que esses passos devem ser seguidos também na abertura de um consultório ou de um centro médico. 

clinica-medica

Clínica médica: especialidade de atuação ou estrutura?

Um ponto que merece muita atenção por parte dos residentes é evitar que especialidade e estrutura sejam confundidas. Clínica médica não diz respeito somente ao espaço, mas também é uma especialidade da Medicina.

Uma clínica médica bem estruturada, com centro cirúrgico e UTI, pode realizar cirurgias. No geral, esses procedimentos devem apresentar baixa complexidade. Veja alguns exemplos:

  • retirada de pedra na vesícula;
  • vasectomia;
  • cesária;
  • intervenções oftalmológicas.

No entanto, quem opta pela clínica médica como especialidade não pode realizar esses procedimentos. Como você deve saber, esse profissional está habilitado ao atendimento não cirúrgico de adultos, que pode ser realizado em consultórios, hospitais ou unidades básicas de saúde.

Portanto, não esqueça desses conceitos na hora de escolher o seu local de atuação e não se intimide pelo receio de que sua atividade possa ser confundida. 

Busque exatamente pelo tipo de ambiente em que deseja trabalhar, sem medo.

Centro médico

O centro médico se diferencia de clínicas e consultórios, pois integra mais de um serviço na mesma estrutura. Ele é basicamente um conjunto de clínicas ou de consultórios, com diversas instalações.

Em uma definição simples, enquanto as clínicas normalmente concentram profissionais de uma única especialidade, esses centros oferecem diversos especialistas.

Enxergar essa diferença na prática pode ser um tanto quanto complicado, já que os próprios estabelecimentos podem se auto intitular como uma clínica de especialidades. No entanto, se você optar por alugar um espaço ou até mesmo inaugurar um junto aos colegas de turma, já sabe que o atendimento será prestado em um centro médico.

Sendo assim, as diferenças podem ser pequenas e até difíceis de serem constatadas, mas quando você está informado, ficam evidentes. Um centro médico pode ter uma sala de cirurgia, consultórios de atendimento clínicos ou de outras especialidades. Para isso, basta que se respeite as normas vigentes para cada atividade exercida.

A diferença entre consultório, clínica e centro médico pode fazer a etapa após a residência parecer conturbada. Afinal, além do leque de especialidades que você pode seguir, ainda há uma diversidade nos canais de atuação. No entanto, é preciso ver essa gama de opções como algo positivo, já que isso aumenta as chances de você realmente se encontrar na carreira e ter um futuro brilhante e promissor fazendo o que gosta. 🙂

Se você quiser saber mais sobre isso, baixe gratuitamente o eBook: O que fazer após a residência médica?

eBook Gratuito: O que fazer após o término da residência médica? Baixe o material e descubra!

Gostou do conteúdo? Deixe aqui embaixo seus comentários e não se esqueça de compartilha o conteúdo com seus amigos.


Sobre o autor

Milene Polo

Líder de Inbound Marketing na iClinic, com foco em SEO e jornada do cliente. Formada em Nutrição na USP, com Pós Graduação em Administração de Empresas FGV.