[Guia Definitivo] Como escolher um prontuário eletrônico

[Guia Definitivo] Como escolher um prontuário eletrônico

Leia em 1 min.

Cadastrar pacientes, iniciar um prontuário médico, fazer prescrições, arquivar exames e informações sobre o histórico de pacientes… Essas são atividades repetitivas que fazem parte do dia a dia de todo médico.

E por mais que pareçam simples, acabam tomando muito tempo, um tempo precioso do médico que poderia ser investido em outras ações mais importantes.

Tornar esse processo mais eficiente e seguro é o que muitas clínicas buscam ao adotar um sistema de prontuário eletrônico.

Você já considerou essa possibilidade? Veja o vídeo Vantagens e Desvantagens do Prontuário Eletrônico:

Se você assistiu ao vídeo, já viu que, apesar dos desafios que podem surgir na implantação, adotar um sistema de prontuário eletrônico facilita muito o dia a dia na clínica.

Além das informações ficarem concentradas em um único lugar, sem ocupar espaço físico com arquivos em papel, todos os prontuários podem ser acessados de qualquer lugar dando mais flexibilidade ao trabalho do médico.

Mas, o que considerar na hora de contratar um sistema para clínicas com prontuário integrado? Pensando nisso, acabamos de lançar um Conteúdo Exclusivo com os requisitos básicos que um prontuário eletrônico de qualidade precisa ter.

Sabemos que cada detalhe faz toda a diferença para as necessidades do seu consultório médico. Então deixe as dúvidas de lado! Considere todos os pontos que listamos e faça a escolha que mais se aplica às práticas do seu dia-a-dia.

Guia Gartuito Como Montar Escolher Prontuário Eletrônico


Sobre o autor

Michelle Martins

Formada em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos e especialista em Marketing de Conteúdo.