Sistema médico na nuvem: como funciona e quais são as vantagens?

Sistema médico na nuvem: como funciona e quais são as vantagens?

Leia em 11 min.

Você sabe o que é “estar na nuvem”? Como um sistema na nuvem funciona? Tire aqui suas dúvidas e conheça as vantagens incríveis de ter um sistema médico na nuvem no seu consultório!

É muito comum escutarmos termos como “os dados estão na nuvem”, o que significa basicamente que podemos acessá-los de qualquer dispositivo eletrônico através da internet.

Porém, como exatamente esses dados ficam na nuvem? Esse armazenamento é seguro? 

Existe uma insegurança muito grande e diversas dúvidas em relação a esse tipo de tecnologia, por isso, neste artigo iremos explicar como um software médico funciona quando possui um sistema na nuvem, além de mostrarmos os principais benefícios e desvantagens dessa tecnologia. 

Continue a leitura e descubra!

O que é um sistema médico na nuvem e quais são seus diferenciais?

Um sistema na nuvem possui muitos diferenciais, e uma das poucas desvantagens é que você precisa ter acesso à internet para que ele funcione.

Porém, a maioria dos sistemas são leves, necessitando de pouca internet para funcionar. Caso sua internet caia, você pode acessá-lo pelo próprio celular, ou rotear o 3G para seu computador.

Comparado com os benefícios que esse sistema traz, esse ponto é quase insignificante, principalmente se você não costuma ter problemas com internet no seu consultório. 

Para entender como um sistema médico na nuvem funciona, primeiro iremos abordar como uma solução local (sistemas instalados) operam. Boa leitura!

Como funciona uma solução local (instalado)?

Imagine que seu consultório possua um sistema médico, porém, ele é instalado nos computadores da sua clínica. 

Para utilizar esse software, você provavelmente comprou uma licença cara, e foi necessário reservar um tempo considerável para instalar o sistema através de um CD em cada computador.

Além desse sistema exigir uma grande disponibilidade de espaço no dispositivo para realizar o armazenamento dos dados, caso ocorra algum tipo de pane no software, será necessário que uma equipe de TI especializada se direcione ao seu consultório para resolver qualquer simples problema.

No diagrama abaixo, montamos um modelo simplificado de como funcionaria este – e qualquer outro tipo de sistema – localmente, ou seja, com a infraestrutura de computadores dentro da sua clínica:

como-sistemas-instalados-funcionam

No modelo, as linhas pontilhadas vermelhas significam o fluxo de dados em cada computador e, a linha azul significa a conexão entre os computadores através da rede – seja esta de fios conectados diretamente no computador ou no modelo de conexão wireless (sem fio).

Como podemos observar no diagrama acima, todos os processos que o sistema realiza são feitos separadamente em cada computador, o que significa que não há nenhum tipo de integração de dados.

Para entender como montar um servidor ou conferir uma rede interna para seu consultório, é preciso ter um conhecimento técnico sobre o assunto, até mesmo contratar uma equipe de TI, gerando apenas mais gastos para seu consultório.

O ponto chave aqui é que a responsabilidade pelo funcionamento do seu sistema é 100% sua, afinal toda estrutura para que o programa funcione corretamente está dentro do seu consultório.

Qualquer problema que você enfrentar com o seu sistema médico, seria necessário chamar algum especialista em TI da empresa fornecedora para que fosse até o consultório resolver, o que costuma ser caro e levar muito tempo.

Este é um o modelo de negócio que muitas empresas de tecnologia utilizavam no passado.

Isso porque a internet e suas tecnologias de conexão não eram tão desenvolvidas como hoje, sendo assim toda uma hardware (estrutura física) era necessária localmente para executar sistemas e aplicações de informática.

Porém, felizmente o futuro da medicina possui uma grande aliança com a tecnologia, e hoje há softwares muito mais práticos e efetivos. Continue a leitura e confira como um sistema na nuvem funciona.

Como funciona um sistema médico na nuvem?

Um exemplo prático sobre como um sistema na nuvem funciona é o Facebook. 

Para usar essa plataforma, você precisou realizar alguma instalação no seu computador para utilizá-lo? Não, pois você acessa sua conta através de um site, bastando apenas logar (adicionar seu usuário e senha) para utilizar a rede social.

Isso significa que para acessar um sistema na nuvem, basta ter um dispositivo eletrônico conectado à internet. Veja no modelo a seguir como isso funcionaria na prática no seu consultório:

como-sistemas-na-nuvem-funcionam

Perceba que a figura do servidor não existe mais, sendo substituída no modelo em nuvem pelo Data center (Centro de Dados).

Observe também que o processamento de todas as funções do software médico não acontece mais nos computadores da secretária e do médico, mas sim no próprio Data Center. A conexão entre os computadores neste modelo, representada pela linha azul contínua, se dá através da Internet.

Com a utilização de um sistema médico na nuvem, você não precisa mais instalar o sistema em todos os computadores do seu consultório, muito menos comprar um servidor. 

Basta acessá-lo com seu login e senha pelo seu navegador de internet e pronto, o programa está à sua disposição com todos os seus recursos!

Porém, o que acontece se alguém invadir esse sistema? O sistema pode ficar fora do ar? Meus dados não podem ser perdidos facilmente, caso a internet caia?

Continue a leitura para tirar todas as suas dúvidas e ver quais são as 7 principais vantagens de utilizar um sistema na nuvem. Boa leitura!

7 principais vantagens de um sistema na nuvem

Um sistema na nuvem pode trazer muitas vantagens para seu dia a dia, como uma excelente integração de dados, já que todas as informações estão em um único local, e não espalhados em documentos físicos pelo estabelecimento.

Com essa centralização, diversos processos podem ser otimizados, como por exemplo, uma análise mais efetiva com relatórios e gráficos produzidos automaticamente, permitindo que você descubra pontos importantes para o seu negócio, como qual é o convênio mais rentável para seu negócio.

Os benefícios de um sistema na nuvem são muitos, por isso, resumimos estes e outros 7 principais neste artigo. Confira:

1. Velocidade

Qual sistema possui uma velocidade maior na hora de realizar seus processos: o instalado ou na nuvem?

Quando um sistema faz todo o processamento de suas funcionalidades através de uma instalação em cada computador, além de tornar o dispositivo mais lento, ocupando um tempo excessivo, não há uma integração entre essas funções.

Isso significa que as atualizações precisam ser feitas separadamente em cada dispositivo, diferente de um sistema na nuvem, que realiza esse processo automaticamente, geralmente sem cobrança alguma e em um horário que não atrapalhe sua rotina. 

Além disso, os computadores de estabelecimentos médicos normalmente não possuem a estrutura necessária para rodar as funções avançadas que os sistemas instalados exigem, o que torna os computadores lentos, até mesmo travados.

Muitas vezes, aqueles que optam por um sistema instalado necessitam adquirir novos equipamentos para que ele funcione da maneira correta ao longo do tempo.

Quando pensamos nas plataformas na nuvem, seu funcionamento é muito mais rápido. Basta pensar em como você utiliza seu Facebook ou Netflix, por exemplo.

Como todo o processamento é feito no Data Center por dispositivos excelentes da empresa contratada, quando você realiza o acesso através do seu navegador ou aplicativo, o sistema não estará “disputando” por capacidade de processamento com outros programas que você utiliza.

2. Mobilidade dos dados e facilidade de acesso

Imagine que você está fora do seu consultório, e um paciente te liga perguntando sobre uma informação que está em seu prontuário.

De acordo com o CFM, os dados do prontuário devem estar sempre disponíveis, de forma que o fornecimento de cópias autênticas sejam enviadas sempre que solicitadas.

Ter prontuários apenas em suporte de papel ou em sistemas locais dificulta muito essa norma exigida pelo CFM, não é mesmo? Afinal, você precisará voltar até seu consultório apenas para checar uma informação ou tirar uma cópia para seu paciente. 

Com um sistema na nuvem, você pode acessar os prontuários de qualquer dispositivo eletrônico, a qualquer momento que precisar. Para entender mais como essa tecnologia funciona na prática, assista ao nosso vídeo:

Essa acessibilidade ajuda muito em outros momentos como alguma situação de emergência, onde cada segundo conta para salvar uma vida. Alguns sistemas vão até mais além, permitindo que você envie o prontuário para seu paciente através de um e-mail ou mensagem. 

3. Economia de dinheiro e tempo

“Quando algum erro ocorre em um sistema na nuvem, é preciso reiniciar meu dispositivo? Alguma equipe de TI precisa vir até meu consultório consertar o problema?”

Não. Com um sistema médico em nuvem você não precisa se preocupar com 3 aspectos básicos:

  1. Você não precisa de um servidor, afinal o processamento e armazenamento de dados está no Data Center, sendo que você pode acessá-los de qualquer dispositivo com acesso à internet;
  2. Não é preciso comprar computadores caros para suportar o sistema, afinal, você pode usar qualquer dispositivo como um computador, tablet ou smartphone;
  3. O suporte pode ser feito totalmente online, já que o sistema não está instalado no seu computador, não há necessidade de um funcionário da empresa ir até o consultório entender e resolver o problema – falaremos melhor sobre este assunto mais para frente.

Em contrapartida, se você trabalhar com um sistema localmente, terá que comprar um servidor, que são computadores normalmente muito mais caros que os de uso pessoal, pois necessitam de uma grande capacidade de armazenamento de dados.

Além disso, qualquer problema que você tenha na sua estrutura, você deverá pedir ao técnico da empresa que oferece o sistema para ir até o seu consultório e resolver o problema, o que além de demorar um bom tempo, geralmente é bastante caro.

4. Problemas e erros no sistema

Nada é completamente perfeito, e isso também inclui os sistemas médicos, por mais avançados e tecnológicos que sejam. 

Em todo e qualquer sistema, sempre existem pequenos detalhes que devem ser ajustados com o tempo. Principalmente para as empresas que buscam sempre melhorar, os sistemas estão sendo constantemente atualizados.

O ponto-chave nesse sentido é qual o tempo de resposta de ajuste do sistema para solucionar estes problemas.

Localmente, com um sistema instalado no seu computador, a partir do momento que você encontra um problema você deve:

  1. Passar o problema à empresa que desenvolveu o software;
  2. A empresa estuda o problema, às vezes tendo que se deslocar até seu consultório para entender melhor o que aconteceu;
  3. A empresa corrige o problema internamente e, se o problema realmente for por parte do sistema, a empresa deve disponibilizar uma atualização a todos os seus usuários.

O processo é longo e lento, além do fato de que estas novas atualizações podem prejudicar o funcionamento normal do seu sistema e do seu consultório, gerando um problema até maior – como insatisfação dos pacientes.

Entretanto, no caso do sistema na nuvem, por conta de todo o processamento ser feito no Data Center e o acesso distribuído aos usuários, qualquer problema relatado normalmente é rapidamente solucionado.

Além disso, para cada funcionalidade desenvolvida, é feita uma série de pesquisas, estudos e testes com os próprios usuários, para certificar de que o mínimo de erros possíveis aconteçam. 

5. Segurança dos dados

Vamos supor que um acidente aconteça com seu dispositivo, como acidentalmente deixar cair algum líquido, ou até mesmo um furto. 

Infelizmente, esses acontecimentos são bem comuns, e mesmo situações raras como um raio atingir sua região, causando descarga elétrica que queima todas as máquinas do seu consultório, podem fazer com que todos os seus dados sejam perdidos.

Esses casos apenas acontecem se você utilizar um sistema instalado. Se você usa um sistema na nuvem, suas informações estarão protegidas, porque como já mencionamos, elas estão salvas na nuvem. 

Mas, e casos como ataque de hackers ou vírus?

Um software médico de qualidade consegue garantir uma segurança de excelência, mesmo contra esses tipos de ataques graves. Confira exatamente como a seguir.

Vamos utilizar como exemplo a AWS, a base de dados mais segura do mundo, usada inclusive pela NASA e Casa Branca. 

Ela oferece uma estrutura completamente segura para as máquinas em funcionamento, com controle de acesso físico aos servidores, sistema de refrigeração próprio e mecanismos redundantes para fornecimento constante de energia.

segurança-dos-sistemas-na-nuvem

Em relação à segurança contra ataques digitais, a empresa é especialista em oferecer este serviço de proteção, de modo que os melhores profissionais trabalham para manter a segurança com práticas cada vez mais apuradas.

Além disso, a AWS é uma das maiores e mais experientes empresas que oferecem o serviço de Data Center no mundo, e um dos seus grandes diferenciais para a área da saúde é que seguem o HIPAA (Health Insurance Portability and Accountability Act).

A HIPPA é uma norma americana que rege diversas frentes da área de saúde no país e, uma delas é exatamente quanto à privacidade dos dados e segurança da informação médica.

Se pensamos ainda no risco de perda da informação, os Data Centers mantêm fluxos de backups (atualizações) constantes, que garantem um salvamento automático dos dados. 

No caso de sistemas como o iClinic, que utilizam a AWS e ainda contam com servidores de fluxos adicionais, as chances de seus dados serem completamente perdidos são mínimas. 

Isso porque as informações ficam espalhadas em vários servidores diferentes. Assim, caso um servidor deixe de funcionar por algum motivo, os outros estarão de prontidão para manter o serviço funcionando.

Um outro ponto importante a ressaltar também quanto à segurança é que grande parte das “quebras” de segurança em informática se dá, por mais incrível que isso pareça, por roubo de senhas.

A senha é a única responsabilidade que você deve se preocupar. Ela é um dos principais métodos de segurança de todo e qualquer sistema – basta pensarmos no exemplo dos bancos.

Por isso, basta lembrar de não compartilhar sua senha com ninguém, especialmente desconhecidos, mesmo que ofereçam algum tipo de ajuda.

Um último aspecto sobre o tema é que todas as empresas no Brasil hoje devem operar segundo o Marco Civil da Internet. O que isso significa?

Esse marco garante 100% da segurança e confiabilidade dos dados – o que já era feito por empresas como a iClinic e a AWS – mas que hoje é reforçado pelo texto da lei 12.965.

6. Atualizações

Semelhante ao que acontece com os problemas e erros comentados acima, atualizações de novas versões são mais complexas em sistemas instalados.

O que acontece é que, por existirem diversas versões do sistema instalados por aí, a empresa deve disponibilizar uma atualização online via download ou enviar um CD com os arquivos. Qual é o maior problema disso?

Imagine que cada consultório tem sua própria estrutura de TI. Cada um tem computadores próprios, sistemas operacionais diferentes (Windows, Mac, Linux), servidores próprios e entre outros.

Uma atualização que corrige problemas do consultório de um colega de trabalho pode facilmente não funcionar para o seu sistema, o que dificulta o trabalho da empresa fornecedora e gera mais custos tanto para a empresa quanto para você.

Por outro lado, se pensarmos que o sistema médico na nuvem está no Data Center e os usuários apenas o acessam, sem demandar modificações, há apenas uma versão disponível do sistema que está em constante melhoria e atualização.

A única diferença técnica entre a sua clínica e a do seu colega pode ser o navegador em que vocês acessam o sistema – fato que influencia, em linhas gerais, minimamente no bom funcionamento do sistema.

7. Suporte eficiente

Se pensarmos ainda no primeiro cenário do sistema médico instalado, o suporte e treinamento acontece de forma semelhante ao que conversamos nos dois últimos itens acima. 

Estes sistemas costumam ser mais complexos, necessitam de treinamento para que você e sua equipe possam utilizá-los, e qualquer dúvida que apareça será necessário ligar na empresa e agendar uma visita.

Já em um software médico em nuvem este processo é completamente diferente. Veja o caso da iClinic:

A equipe de suporte da iClinic normalmente responde em até três minutos em horário comercial pelo chat do sistema. 

Sabemos que dúvidas podem surgir a qualquer momento, e para que elas não atrapalhem sua rotina, temos uma equipe preparada e dedicada a solucioná-las. 

Além disso, dentro do suporte também temos os gerentes de conta, responsáveis por terem um contato mais próximo com seu consultório, entendendo profundamente como seus processos funcionam, te ajudando a extrair o máximo possível do sistema, e auxiliando o sucesso da clínica como um todo. 

Também disponibilizamos um curso gratuito feito pelos nossos especialistas, com o intuito de ensinar na prática como o sistema funciona, permitindo que você o use da melhor maneira para seu dia a dia:

Curso para Recepcionista de Clínica

Comparando um sistema instalado para um na nuvem no aspecto de suporte e treinamento, podemos observar que o segundo modelo é muito mais rápido, preciso e eficiente, proporcionando uma experiência ainda melhor. 

Agora que você sabe como um sistema médico na nuvem funciona, que tal descobrir como ele ajuda a reduzir os custos do seu consultório

O que achou das vantagens de um sistema na nuvem? Conte pra gente aqui embaixo nos comentários, não se esqueça de reagir e compartilhar o conteúdo com seus amigos! 


Sobre o autor

Yasmim Mayumi

Especialista em Marketing de Conteúdo e estudante de Letras na Barão de Mauá em Ribeirão Preto.