Somos especialistas em gestão de clínicas e consultórios!

Receba hoje mesmo dicas imperdíveis sobre Marketing, Gestão, Finanças e Tecnologia para alavancar seus resultados

5 coisas que toda recepcionista de consultório precisa saber

Leia Mais

Caso de Sucesso: Como abrir (e gerir bem) uma clínica, com Espaço M

Leia Mais
Ver mais artigos

fidelização de pacientes

Como a recepção do consultório pode encantar seus pacientes

Não são só o atendimento e a experiência do médico que contam na hora de uma consulta. Há outros fatores que colaboram para conquistar pacientes. A experiência que o paciente vivencia na clínica como um todo deve ser especial. Proporcionar...

Não são só o atendimento e a experiência do médico que contam na hora de uma consulta. Há outros fatores que c...

Não são só o atendimento e a experiência do médico que contam na hora de uma consulta. Há outros fatores que colaboram para conquistar pacientes. A experiência que o paciente vivencia na clínica como um todo deve ser especial. Proporcionar uma interação prazerosa com o médico e seus auxiliares em todas as fases desta relação é o segredo para fidelizá-lo.

Se você quer saber mais sobre este conceito e aprender como aplicá-lo na recepção do consultório, continue lendo este artigo!  

O que é a experiência do paciente?

Um dos conceitos mais utilizados no marketing hoje em dia é o da experiência do cliente. No caso dos consultórios, este conceito aplica-se em dar foco total no  paciente. Ou seja, encantá-lo em todas as fases  de sua interação com a clínica, com os funcionários e com o profissional da saúde.

De acordo com este novo conceito do marketing, desde o primeiro contato com paciente, até a efetiva consulta, é preciso trabalhar todas as formas de contato, a fim de conquistá-lo.

O objetivo, aqui, é provocar nele emoções e sentimentos positivos, que o farão querer conhecer e se fidelizar. É a relação médico x paciente que deve ser aprimorada.

Mas não pense que esta prática deva ser implementada sem planejamento. É necessário que todas as etapas sejam documentadas, testadas e analisadas. Deve ser estruturada uma estratégia de longo prazo que percorre todos os setores da clínica, estabelecendo uma relação de lealdade com seu paciente.

Por que esta prática é importante para um consultório?

Em um consultório médico, muito mais do que qualquer tipo de relação com uma marca ou um produto, o contato estabelecido entre médico e paciente é extremamente íntimo e pessoal.

Afinal de contas, na consulta, o paciente compartilha com o médico os seus sintomas e sentimentos mais profundos, com o objetivo de descobrir o seu problema e iniciar um tratamento. Por essa razão, investir na experiência do paciente é muito importante para que se sintam à vontade para se consultar e retornar.

A clínica deve estabelecer um perfil de trabalho que todos os seus membros reconheçam e defendam a fim de criar a melhor experiência para o paciente e se diferenciar dos concorrentes.

O primeiro contato que o paciente realizará com o seu consultório será na recepção. Este momento é crucial.

Desde o agendamento da consulta, que é feito através da recepcionista, até a primeira impressão ao entrar no consultório, todos os detalhes do contato inicial devem ser pensados e preparados para encantar o paciente.

Confira abaixo as principais dicas para conquistar os seus pacientes neste primeiro momento!

Recepção do consultório

Como a recepção do consultório pode encantar os seus pacientes?

Normalmente, o contato inicial do paciente com o consultório é realizado por meio de uma ligação telefônica.

Por isso, a recepcionista deve ser orientada a atender e conversar de forma cordial, gentil e educada e se comunicar de maneira clara e objetiva com os pacientes.

Não é legal ter um roteiro para a ligação, mas o aconselhável é definir alguns tópicos favoráveis para serem abordados na conversa e alguns tópicos para serem evitados. Por exemplo: “Não afirme o que não tem certeza, avise o paciente que se informará e retornará a ligação. Ao fim de toda chamada, confirme a data e horário da consulta.”

Além disso, é importante que possua familiaridade com a tecnologia, como softwares de gestão e computadores, o que facilita o trabalho e agiliza os processos dentro do consultório.

Saber lidar com ferramentas tecnológicas é um atributo essencial para secretárias e recepcionistas. 

Em um segundo momento, já na recepção, a profissional deverá ser preparada para lidar com diferentes personalidades  e receber os pacientes sempre com simpatia e disposição.

Também é importante ter jogo de cintura para manejar situações inesperadas, como um paciente que sente algum mal-estar ou acompanhantes impacientes, por exemplo. Nestes casos, a empatia é essencial.

A experiência do paciente também envolve o espaço físico da recepção. Um ambiente higiênico e organizado faz toda a diferença na primeira impressão de quem entra em seu consultório.

Não se esqueça de oferecer assentos confortáveis e um clima agradável.

Se o consultório estiver em uma cidade muito quente, o ideal é climatizá-lo, mas sempre mantendo em uma temperatura média, afinal, muitas pessoas irão passar pela sala ao longo do dia e elas podem ter preferências diferentes. Ademais, tenha um lavabo e um bebedouro à disposição.

As cores também influenciam nesta experiência e devem ser escolhidas com cuidado para compor a decoração.

Uma recepção com paredes pintadas de azul podem transmitir aos pacientes sensações de depressão e desânimo, por exemplo.

Lembre-se também de que tons claros transmitem calma e tranquilidade e criam uma atmosfera aconchegante para os seus pacientes. Se quiser incrementar a decoração com cores mais fortes, opte por inseri-las em objetos menores, como vasos e quadros.

Por fim, é interessante oferecer distração aos pacientes, enquanto aguardam a consulta. Televisão, revistas e livros são sempre bem-vindos.

No entanto, é necessário que estas fontes de entretenimento dialoguem com o perfil dos pacientes. Disponibilizar somente revistas médicas ou de ciência, por exemplo, não é muito aconselhável.

Espero que tenha aproveitado essas dicas. Ficou animado para repaginar sua recepção e melhorar a experiência de seus pacientes?

Planilha de Satisfação dos Pacientes Net Promote Score (NPS)

Administração e Gestão

Você sabe o que é gestão de conhecimento para médicos?

A era digital, também chamada de era da informação, mudou bastante a forma como as pessoas enxergam e vivem no mundo. Isso inclui a maneira como profissionais de saúde administram suas clínicas e consultórios. Nesse cenário, os dados ganham...

A era digital, também chamada de era da informação, mudou bastante a forma como as pessoas enxergam e vivem no...

A era digital, também chamada de era da informação, mudou bastante a forma como as pessoas enxergam e vivem no mundo. Isso inclui a maneira como profissionais de saúde administram suas clínicas e consultórios. Nesse cenário, os dados ganham cada vez mais importância dentro da organização, sendo necessário trabalhar melhor a gestão de conhecimento para médicos.

A gestão de conhecimento é a capacidade de buscar, reunir, identificar, administrar e reter conhecimentos relevantes para determinado contexto. Esse conceito já é aplicado em muitas clínicas que organizam os laudos de seus pacientes em pastas para verificação futura. Porém, com a chegada das novas tecnologias, sua forma de aplicação tem evoluído bastante.

Continue a leitura e entenda mais como se dá a gestão de conhecimento especificamente para a área médica!

Onde se aplica a gestão de conhecimento para médicos?

1. Digitalização de documentos

Armazenar grandes quantidades de papel se tornou um desperdício de espaço, tempo e de recursos.

Além de ser uma atitude antiecológica, também gera muitos gastos com impressão e armazenamento, dificultando, por exemplo, o trabalho de secretárias nas clínicas quando é preciso verificar rapidamente certas informações.

Com um arquivo digitalizado, é possível usar uma ferramenta de busca e encontrar a informação exata e necessária minutos antes de alguma consulta, deixando de lado a demora gerada pela busca e manejamento de pastas e documentos de papel.

2. Sistema de mapeamento de pacientes

Além de registrar dados, a gestão de conhecimento para médicos também envolve o mapeamento de dados dos pacientes, como perfil geográfico, renda, além de informações de histórico médico.

Assim, surge uma rede de informações que possibilita a geração de gráficos e mapas para definir estratégias de marketing e expansão.

Com a organização feita pelo sistema digital, é possível evitar vários conflitos de informações e erros médicos que poderiam comprometer a saúde dos pacientes, pois os dados ficam compilados no mesmo lugar e você mesmo pode editar os campos a serem preenchidos, personalizando de acordo com as necessidades da sua área de atuação e garantindo que não se esqueça de nenhuma informação.

3. Gestão de processos

Uma clínica ou consultório dependem sempre de um bom fluxo de atendimento para prestar um melhor serviço a seus pacientes. Isso envolve processos tradicionais da clínica, conhecimento teórico de administração e experiências vividas com os próprios pacientes que contratam seus serviços.

As informações reunidas pelo sistema podem ajudar a criar um processo mais eficiente, que melhor atenda às necessidades de cada atendimento, aumentando a satisfação dos pacientes.

Gestão de Conhecimento para médicos

Principais benefícios da gestão de conhecimento para médicos

1. Aceleração dos processos

Reunir informações com rapidez e eficiência influencia diretamente na velocidade com a qual as consultas são processadas. Reduzindo o tempo necessário para buscar e verificar a ficha de um determinado paciente, o número de atendimentos possíveis ao longo do dia será bem maior.

Em um software de gestão, você pode acessar todos os dados e prontuários sem precisar sair de sua sala.

E, com menor chance de atrasos na agenda, os pacientes na sala de espera também ficarão mais satisfeitos com o serviço prestado.

2. Redução dos custos da clínica

Um consultório ou clínica médica precisam investir bastante no armazenamento de informações, já que os laudos precisam ser resgatados eventualmente.

A gestão de conhecimento para médicos também envolve a otimização desses custos, reduzindo as despesas com armazenamento e emissão de tais documentos.

Afinal, já não precisará mais de um espaço físico para arquivos e nem mesmo gastar recursos com impressão.

E nem é necessário desembolsar uma grande quantia para investir em um servidor ou memória próprios. Basta contratar um software de gestão online e ter um espaço em nuvem ilimitado. Assim, será possível acessar os laudos de qualquer lugar e de qualquer aparelho, seja smartphone, tablet ou computador.

3. Proteção de informações médicas

Algumas pessoas temem migrar para os sistemas digitais por acreditarem que isso torna os dados mais vulneráveis a violações virtuais. É verdade que crimes nesses ambientes vêm se tornando mais comuns nos últimos anos, mas isso não significa que o mundo digital seja menos seguro.

Mantendo um antivírus e um firewall sempre ativos, o sistema de armazenamento será ainda mais seguro que uma gaveta com uma tranca. É importante também que o software utilizado para armazenamento seja confiável e permita realizar backups. Assim, você garante que seus arquivos não serão queimados, molhados, extraviados ou prejudicados com a ação do tempo, além de manter acesso exclusivo às informações.

Agora você já entende a importância da gestão de conhecimento para médicos. Quer continuar acompanhando nossos artigos? Então assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Cadastro Newsletter

fidelização de pacientes

Dicas de como receber pacientes com deficiência no consultório médico

Promover a inclusão de pacientes deficientes em consultórios pode ir além da acessibilidade, pequenos gestos e conhecimento sobre como realizar um atendimento especial e humanizado para essas pessoas ajuda muito a manter a qualidade e o suc...

Promover a inclusão de pacientes deficientes em consultórios pode ir além da acessibilidade, pequenos gestos e...

Promover a inclusão de pacientes deficientes em consultórios pode ir além da acessibilidade, pequenos gestos e conhecimento sobre como realizar um atendimento especial e humanizado para essas pessoas ajuda muito a manter a qualidade e o sucesso do atendimento de uma clínica de saúde desde a recepção até a consulta com o profissional de saúde.

Com 45 milhões de Pessoas com Deficiência (PCDs) no Brasil - de acordo com último censo do IBGE - você em algum momento vai precisar estar preparado para atender pessoas com deficiência. Separamos aqui algumas práticas simples que vão fazer a diferença na vida daqueles que precisam de um acolhimento especial em consultórios e clínicas de saúde.

Deficientes auditivos

Fale claramente, manere na velocidade e não se preocupe com falar alto, pois sons mais agudos são mais difíceis de serem percebidos para quem tem deficiência auditiva. Converse normalmente e com linguagem simples, assim como você costuma fazer com qualquer pessoa.

Os aparelhos auditivos ampliam o som, então se for utilizar algum equipamento com ruído, pergunte antes se ele gostaria de retirá-lo.

Ah! Vale a pena saber que a maior dificuldade de pessoas com deficiência auditiva é a comunicação, por isso, eles se comunicam através de uma outra língua: a Libras.

Você pode aprender, é igual aprender francês, inglês, alemão ou qualquer outro idioma, afinal ela também possui suas estruturas gramaticais próprias.

Evite gesticular exageradamente, por existir diferentes tipos de perda auditiva alguns pacientes podem compreender melhor, fazer leitura labial e falar.

Deficientes visuais

Diferente das pessoas com deficiência auditiva, os cegos podem se comunicar normalmente. Portanto, fale diretamente com ele, o acompanhante apenas auxilia na sua locomoção.

Se apresentar é fundamental no acolhimento desse paciente, fale sempre seu nome, isso vale para o médico e para todos os funcionários da clínica.  

Descreva o lugar e explique o que tiver pela frente e aos lados na recepção e, principalmente,  na sala de atendimento antes do paciente sentar-se na cadeira. Nesse momento, coloque a mão da pessoa cega sobre o braço ou o encosto da cadeira e ela será capaz de sentar com facilidade.

Palavras como “ver”, “olhar” e “assistir” não são um grande problema, não fique constrangido por usá-las, como por exemplo, “Você viu o jornal ontem?”. Outra dica importante é sempre avisá-lo do que se pretende fazer: sair da sala, descer escadas, avisar sobre portas e obstáculos pela frente.

E nunca se esqueça de avisar quando for sair de perto do paciente, não deixe ele falando sozinho!

Caso a pessoa cega esteja acompanhada de seu cão-guia, evite distrair o animal. Esses animais são treinados para guiar o seu dono.

Uma maneira de prestar um atendimento de qualidade na recepção de consultórios é na hora do pagamento descrever quantas e quais notas serão entregues ao paciente e aguardar que ele arrume as notas em sua carteira. Depois entregar as notas seguintes da mesma maneira, se for necessário.

Deficientes físicos

Uma atitude simples é não se apoiar na cadeira de rodas, isso pode causar incômodo para a pessoa com deficiência.

Também não tem problema usar as palavras como “correr” e “andar” naturalmente. As pessoas com deficiência física também utilizam estes termos.

Se estiver acompanhando uma pessoa que ande ou fale devagar, recepcione-a com calma e atenção e sempre procure acompanhar o seu ritmo.

Seja gentil, não movimente a cadeira de rodas sem antes pedir permissão e perguntar como proceder. E caso a conversa seja prolongada, é bom lembrar de sentar-se para que seu olhar e o do paciente fiquem no mesmo nível.

Deficientes Intelectuais

Não tenha receio de orientar uma pessoa com deficiência intelectual caso perceba alguma situação duvidosa ou inadequada. É preciso que você seja claro em suas orientações.

O tempo de aprendizado pode ser diferente para pessoas com deficiência intelectual,  mas jamais subestime sua inteligência.

Uma orientação importante é não incentivar atitudes ou falas infantis e elogios desnecessários no diminutivo. Se for criança, trate como criança, se for adolescente, fale normalmente.

Dicas de como receber pacientes com deficiência no consultório médico

Essas são algumas dicas e conselhos para o atendimento e acolhimento de pessoas com alguma deficiência em consultórios médicos, mas o primordial é exercitar a compreensão, compaixão e paciência, que podem ser mais importantes que qualquer técnica.

Se inteirar sobre o histórico médico do paciente, ajudá-lo a se familiarizar com o ambiente e sempre promover a conversa na primeira consulta é essencial para destacar a sua clínica na recepção e atendimento de pessoas com deficiência.

Conheça o mini curso para recepcionista, já que boa parte do pré atendimento em clínicas e consultórios de saúde é realizado na recepção!

mini curso para recepcionistas gratuito

Para Secretárias

Organização do consultório: conheça a técnica KonMari de organização

O começo do ano é a época perfeita para realizar a arrumação da casa, doar o que não usa mais e organizar o local de trabalho, pois até o seu ambiente corporativo precisa estar limpo e em ordem para você ser mais produtivo e alcançar result...

O começo do ano é a época perfeita para realizar a arrumação da casa, doar o que não usa mais e organizar o lo...

O começo do ano é a época perfeita para realizar a arrumação da casa, doar o que não usa mais e organizar o local de trabalho, pois até o seu ambiente corporativo precisa estar limpo e em ordem para você ser mais produtivo e alcançar resultados extraordinários.

Mas sabe a ideia de organizar tudo periodicamente?
Esqueça! A técnica KonMari promete ações únicas e certeiras para que, de uma vez por todas, você não precise frequentemente fazer a organização do consultório. Mas, claro, se os ensinamentos forem aplicados corretamente, sem adaptações. Acompanhe o post e saiba mais!

A organização do consultório

A especialista Marie Kondo, autora do livro “A Mágica da Arrumação”, explica a organização em seu sentido mais profundo. Mais do que pôr em ordem, pressupõe jogar fora o que não é mais necessário, doar o que ainda está em bom estado mas já não faz sentido para você e arrumar o que estiver desorganizado. É preciso estar decidido e desapegar!

Para que o trabalho em seu consultório tenha bons resultados, recomenda-se que a arrumação seja realizada em equipe, recrutando recepcionistas e médicos proprietários, ou em dupla, caso o consultório tenha somente um dono e um assistente.

De nada adianta a secretária realizar o declutter (ato de organizar profundamente), sem que haja o aval e apoio do patrão pois, caso isso aconteça, logo tudo poderá se desorganizar e se acumular novamente. Com um declutter único, radical e definitivo, você transformará o cenário de sua clínica, trazendo clareza e produtividade para o ambiente.

A mudança tem que ser radical. Tome atitude, transforme a realidade da clínica e depois perceba a melhora no trabalho da equipe e na satisfação dos pacientes.

Conheça alguns ensinamentos fundamentais para a técnica KonMari funcionar:

A mudança precisa ser brusca, estrutural

Esvazie o consultório, mantendo somente o que for útil, o que fizer as pessoas felizes e o que você e outras pessoas gostarem e precisarem. É preciso assumir uma vida nova, mudar completamente o cenário para que ninguém volte a acumular nada que não seja necessário para a clínica.

Menos é mais, ok? Seja radical, não tenha dó: jogue fora, doe e organize somente o que tiver passado pelos questionamentos: “Isso é útil?” “Isso nos traz alegria?” “Gostamos disso?” Seja firme e acredite no poder da mudança.

Organização do Consultório

A organização deve ser feita por categoria, não por local

Em vez de arrumar a recepção, depois o depósito, o banheiro e os consultórios, acomode os objetos por categoria. Esqueça a ideia de ter livros em diversos ambientes. O mesmo serve para medicamentos, amostras grátis, arquivos, contas e documentos em geral.

Aglomere os itens de uma mesma categoria, isso facilita que o passo a passo da arrumação radical (o que fica e o que sai) dê certo. Depois, escolha um único local para que todos os itens do mesmo grupo sejam organizados.

Essa técnica ajuda, inclusive, a classificar os livros por tamanho e ordem alfabética, as amostras e medicamentos por data de vencimento, entre outras possibilidades.

A equipe deve ser grata pelo que já teve, mas desapegar

Os livros repetidos ou que não serão mais utilizados podem ser vendidos para um sebo ou doados para uma biblioteca. Objetos de decoração ou móveis que vocês não aguentam mais ver ou poluem o visual do ambiente podem ser doados para um abrigo de idosos ou ONG.

As revistas antigas podem ser oferecidas para uma escola ou encaminhadas para a coleta seletiva. Aliás, a reciclagem pode ser o destino da maioria dos materiais que não servem para doação: papel, plástico, vidro e metal.

Não tenha dó de descartar: canetas, pilhas e lâmpadas que não têm mais utilidade, papéis de antigos funcionários e mesmo objetos que carregam certo valor emocional, como cartões de natal antigos de parceiros e pacientes, bilhetes carinhosos e desenhos de crianças, podem ser eliminados com o tempo.

Desapegue! Um ambiente mais limpo dará um boost de produtividade na equipe.

Enfim, comece o ano colocando seu local de trabalho e a vida em ordem. Bagunça e acumulação geram poeira, mal-estar e caos. A organização do consultório utilizando a técnica KonMari o tornará mais clean e agradável tanto para os colaboradores quanto para os pacientes.

Gostou do artigo? Compartilhe em suas redes sociais para que mais pessoas conheçam o incrível método da Marie Kondo!

mini curso para recepcionistas gratuito

Casos de Sucesso

Mulheres que fazem diferença na área da saúde

O Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, surgiu no começo do século XX, quando mulheres ao redor do mundo começaram a protestar e lutar por igualdade, melhores condições de trabalho, respeito e direito ao voto. Assim ganhou...

O Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, surgiu no começo do século XX, quando mulheres ao red...

O Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, surgiu no começo do século XX, quando mulheres ao redor do mundo começaram a protestar e lutar por igualdade, melhores condições de trabalho, respeito e direito ao voto. Assim ganhou corpo o movimento feminista.

Na área da saúde, sabemos que as mulheres são muito presentes e executam um trabalho fundamental. Por isso, o artigo de hoje é de mulher para mulher! Queremos agradecer e incentivar que continuem nessa bela jornada.

Somos a maioria!

Segundo a Pesquisa da Demografia Médica,  realizada por pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP em associação com o CFM (Conselho Federal de Medicina) e o CREMESP (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo), na área da medicina, até o ano de 2010, os homens predominavam. Porém, a partir de 2011, as mulheres tornaram-se maioria.

Em 2014, 54,8% dos registros no Conselho foram feitos por mulheres. Ao observar a idade dos profissionais, nota-se que a faixa etária de 30 anos ou mais é dominada por homens, ou seja, as mulheres ganharam espaço devido à grande entrada de novas médicas no mercado de trabalho.

Com isso vemos que as mulheres vêm ganhando força, estudando e se tornando excelentes profissionais. É disso que precisamos, mulheres capazes e realizadas. Porém, vale ressaltar que existe um desequilíbrio na remuneração média dos profissionais. Infelizmente, jovens e mulheres recebem proporcionalmente menos do que médicos do sexo masculino acima de 35 anos.

O trabalho das mulheres na medicina vem se destacando nos últimos anos e inspirando novas estudantes a seguirem esta profissão.

Da recepção ao consultório

De acordo com os dados do Censo do IBGE compilados pela Estação de Pesquisa de Sinais no Mercado (EPSM), no macrossetor da saúde, as mulheres representam 65% dos mais de 6 milhões de profissionais. Em algumas carreiras, como Fonoaudiologia, Nutrição, Enfermagem e Serviço Social, elas alcançam quase a totalidade.

Nos momentos de maior fragilidade dos pacientes, as mulheres criam uma rede de solidariedade e cuidado, exercendo um papel fundamental durante tratamentos, consultas, exames e demais processos.

Conjugando afeto, sabedoria e compreensão, as mulheres buscam sempre cuidar bem de seus pacientes.

Mulheres na medicina

Desde o agendamento com a recepcionista, a triagem com a enfermeira, até a consulta com a médica ou outra profissional da saúde, os pacientes vêm sendo cuidados e auxiliados por essas mulheres.

Essas profissionais são reconhecidas por sua sensibilidade, compreensão, cuidado e afeto, porém, devemos nos lembrar de que também são cheias de coragem, determinação e força.

Infelizmente, elas ainda encontram-se distanciadas, em sua maioria, de cargos de liderança e gestão, mas se esforçam para galgar até essas posições e já vêm melhorando esse quadro.

Atualmente, no dia a dia das clínicas e consultórios, você, mulher, pode aprender coisas novas e ser ainda mais produtiva com as tecnologias que vêm surgindo, como softwares de gestão, vasta disponibilidade de informações e inteligência artificial em diagnósticos, por exemplo.

Com menos stress, você pode ser muito mais produtiva.

Médicas e gestoras

Abrir um consultório ou uma clínica envolve muito mais fatores do que apenas dominar a medicina e atender os pacientes. É necessário lidar com finanças, burocracia, administração, comunicação e muito mais. É um grande desafio que muitas médicas têm a coragem de enfrentar, tornando-se gestoras de seus negócios.

Além de ser excelentes em seus atendimentos, elas lidam com gestão financeira, liderança de funcionários, processos administrativos da área e estratégias de marketing. No ano passado, entrevistamos a incrível médica e empreendedora, a Dra. Louise Montesanti, geriatra. Ela contou um pouco de sua história na medicina, dos desafios que enfrentou e das emoções que vivencia diariamente na profissão.

Para conciliar os atendimentos com as responsabilidades que a administração traz, ela utiliza o iClinic, software de gestão para clínicas que facilita o dia a dia com funções como de agendamento, cadastro de pacientes, prontuários e ferramentas de controle financeiro.

Louise já atua na área de geriatria há 17 anos e se mantém atualizada, acompanhando o avanço tecnológico para sempre se destacar no mercado e melhorar a experiência dos pacientes.

Para as mulheres na medicina, nada melhor do que otimizar seu tempo e investí-lo no que mais importa, que é cuidar de seus pacientes.

Coragem, trabalho e sucesso

O dia 8 de março é um marco de luta e superação. É um resgate histórico que perdura no tempo, se mantendo vivo dentro das clínicas, hospitais, centros de pesquisa e demais espaços da sociedade. Nesse dia tão especial, não queremos simplesmente enviar uma mensagem bonita para as mulheres, mas também afirmar a importância da mulher como uma pessoa autônoma, independente e que faz a diferença na sociedade.

Às médicas que estão entrando no mercado de trabalho, inspirem-se, estudem e conquistem seus objetivos!

Mulher, você tem muito valor na sociedade contemporânea. Parabéns pelo seu trabalho e trajetória de vida. Desejamos que cada vez mais conquiste sucesso na área da saúde!

Cadastro na newsletter

Descomplique a gestão da sua cliníca

Ligue agora para tornar sua clínica mais produtiva e organizada.

Ligue para o iClinic