controle financeiro da clínica

Como organizar o Livro Caixa do seu consultório médico

A organização das finanças do consultório médico é fundamental.

Manter o controle dos gastos permitirá que o profissional de saúde encontre oportunidades de economia no dia a dia, afinal, conhece e identifica quais são suas principais despesas.

Além disso, o conhecimento dos procedimentos que mais fornecem receita, podem ajudar a clínica no ponto de vista estratégico e também financeiro.

Outra grande importância da gestão financeira é o fisco.

Estar a par de suas responsabilidades fiscais o protegerá de problemas futuros com a Receita Federal – o que representa uma grande economia de tempo e dinheiro.

Neste artigo, mostraremos duas ferramentas para gestão das contas da clínica – o Fluxo de Caixa e o Livro Caixa – e suas diferenças, explicando as razões e ensinando para que serve cada um deles.

Também o ajudaremos a entender como eles podem ser utilizados no seu dia a dia como um aliado na gestão, mas principalmente na questão tributária do seu consultório ou clínica.

O que é Livro Caixa?

O registro em Livro Caixa deve ser feito por aqueles profissionais autônomos e liberais, que possuem rendimento de trabalho não assalariado.

Mas por que isso é importante? Os registros de pagamentos e recebimentos devidamente feitos no Livro Caixa servem, além de uma ferramenta financeira, para fins de imposto de renda, uma vez que muitas das despesas ali registradas podem ser deduzidas da base de tributação.

Com a utilização do Carnê Leão poderá ser feita a escrituração do Livro Caixa por sistema eletrônico, sendo que os valores recolhidos mensalmente ficarão devidamente registrados e deverão ser exportados no ajuste anual do IRPF.

planilha fluxo de caixa para clinicas

Livro caixa e Fluxo de caixa

Aqui, são dois conceitos bem diferentes, pois no primeiro existe a necessidade de um registro obedecendo algumas formalidades, como data do registro, breve histórico, além das entradas e saídas e saldo atual utilizando a metodologia de débito e crédito.

Já o fluxo de caixa é um instrumento financeiro e sua utilização é somente gerencial, comparando as entradas com as saídas e apresentando o saldo final de movimentação de recursos de um determinado período.

Ajuste anual do Imposto de Renda

Ao proceder ao ajuste anual, o médico que trabalhou em consultas com diferentes pacientes e fez a escrituração do Livro Caixa informa os valores recebidos na parte denominada “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Física e do Exterior”.

Caso o médico tenha executado algum tipo de serviço para pessoa jurídica, o campo a ser preenchido é o “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoas Jurídicas”.

Exemplos de despesas e receitas

As receitas são facilmente apresentáveis, pois são os valores que um médico obtém decorrentes da atividade normal de sua clínica ou de seu consultório.

Estes valores podem vir de particulares ou de convênios médicos.

Já as despesas são aqueles gastos que um médico se obriga a realizar para poder exercer sua profissão normalmente, como materiais de procedimentos e até os gastos com uma secretária entram, pois permitem que a atividade seja melhor realizada.

guia_planejamento_tributario_para_medicos

Deduções do Imposto de Renda

Uma vantagem está aqui, pois o trabalho que foi feito uma vez poderá ser aproveitado.

As deduções são incluídas na coluna Livro Caixa na parte conhecida como “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoas Físicas e do Exterior”.

Mas que deduções são estas?

Despesas de custeio

As despesas de custeio, desde que estejam ligadas à atividade principal do profissional, poderão ser deduzidas do imposto de renda.

Entre essas despesas estão o aluguel, os gastos com contas de consumo como energia elétrica, água e telefone, que são utilizados no dia-a-dia e possuem os documentos que comprovam a ocorrência.

Participação em congressos e seminários

As despesas gerais como passagens, hospedagem, deslocamento, alimentação e até mesmo inscrição em congressos e seminários da área podem ser relacionadas em Livro Caixa e deduzidas da base tributável do IR.

Aquisição de hardware, software e livros

Assim como as despesas de custeio, que podem ser classificadas como os gastos rotineiros, tais como utensílios e materiais de expediente, os gastos com aquisição de hardware e software que sejam utilizados para desempenho de atividades médicas, assim como livros pertinentes à área de saúde irão compor a base de deduções do IR.

Assinatura de publicações da área

Com a devida comprovação e registro, a assinatura de publicações da área poderá ser deduzida da base de tributação do IR.

No entanto, todos os documentos relativos a essa operação precisam estar disponíveis, já que podem ser requisitados.

Despesas não dedutíveis

Tome cuidado com as despesas não dedutíveis, que são aquelas que não poderão ser informadas em sua declaração.

Entre elas estão despesas com transporte e locomoção, tíquetes de caixa registradora que não discriminam o gasto envolvido, depreciação de bens e benfeitorias em imóveis próprios.

modulo financeiro medicos

 

Veja também:

Casos de Sucesso ... Jun 08, 2017

Caso de Sucesso iClinic: Fisioterapeuta Rafael Bugnotto

Conteúdo Vip ... Dec 20, 2016

Todos os materiais educativos iClinic

Para Secretárias ... May 19, 2016

5 coisas que toda recepcionista de consultório precisa saber

Sobre o autor
iClinic

Software de gestão utilizado em milhares de clínicas em todo Brasil

Veja também:

Casos de Sucesso ... Jun 08, 2017

Caso de Sucesso iClinic: Fisioterapeuta Rafael Bugnotto

Conteúdo Vip ... Dec 20, 2016

Todos os materiais educativos iClinic

Para Secretárias ... May 19, 2016

5 coisas que toda recepcionista de consultório precisa saber

comments powered by Disqus