Como fazer a declaração de Imposto de renda para médicos?

Imposto de renda para médicos: como declarar

Yasmim Mayumi Dra. Luciana Lessa Gestão da Clínica

Leia em 6 min.

Última atualização em 08/02/2022 por Yasmim Mayumi

O imposto de renda para médicos costuma ter dois meses como prazo de entrega e precisa ser feito com cuidado para que os profissionais não caiam na malha-fina. 

Em 2021, o prazo para declarar o IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física) foi de 01 de março a 31 de maio, devido à situação incomum da pandemia.

Normalmente, o IRPF costuma ter o prazo de dois meses (01 de março a 30 de abril) e embora esse prazo pareça grande, é preciso ter muita organização e atenção para não ser perturbado pela Malha Fiscal.

Um imposto de renda declarado erroneamente pode significar pagamento de impostos em excesso e multas em milhares de reais.

Como os médicos lidam com plantões, bolsas-residências, clínicas, consultórios, hospitais e CPF de pacientes, enganos durante a declaração podem ser comuns.

Leia este artigo e descubra como declarar o imposto de renda para médicos sem cometer nenhum erro!

Como funciona o imposto de renda para médicos?

O imposto de renda costuma ser visto como um problema pelos profissionais de saúde, devido a complexidade e burocracia envolvidas no processo.

Entretanto, como a declaração do IRPF contém todos os dados sobre suas rendas obtidas no ano anterior, é possível saber não apenas quais impostos você deve pagar, mas o que pode ser restituído. 

A restituição é a devolução dos impostos retidos ao longo do ano. Ou seja, você pode ganhar dinheiro ao declarar seu imposto de renda!

Neste simulador da Receita Federal você pode ver com antecedência qual será o resultado da sua declaração.

Veja a seguir as principais dúvidas dos profissionais de saúde sobre o IRPF e as respostas para todas elas. 

Quem precisa declarar o imposto de renda?

Todos os médicos que tiveram uma renda anual (salário, aposentadoria, recibo de pagamento autônomo, entre outros) acima de R$ 28.559,70 no ano anterior precisam declarar.

Além disso, quem teve indenização, rendimento de poupança, rendimentos acima de R$ 40.000,00, ganho de capital em venda de imóveis/automóveis ou possui bens acima de R$300.000,00, também precisa declarar.

É importante estar atento a esses critérios porque a multa por atraso na entrega da declaração pode chegar a 150% do valor devido do IRPF. 

Vamos supor que você teve uma renda de R$ 180.000,00 e não declarou no prazo, portanto está devendo R$ 39.000,00 de imposto. Caso a Receita descubra, ela poderá cobrar mais de R$ 58.500,00 de multa

O ideal é declarar no prazo estabelecido pela Receita Federal e adicionar todos os dados necessários, inclusive os valores que podem ser dedutíveis, assim, serão pagos menos impostos.

Quem recebe bolsa de residência médica também precisa declarar?

Segundo a lei n° 9250/ 1995, a bolsa de residência médica é isenta do pagamento de Imposto de Renda, entretanto, essa informação deve ser registrada na área de “Rendimentos Isentos”.

Os plantões médicos precisam ser declarados?

Sim! Os plantões médicos também são uma forma de rendimento e devem constar na sua declaração. 🙂

O que preciso informar no imposto de renda?

Você sabe que precisa informar todos os seus rendimentos no IRPF, mas uma particularidade que os médicos devem estar atentos é em relação aos CPFs dos pacientes.

Todos os CPFs de pacientes e clientes devem ser registrados. Dessa forma, a Receita Federal consegue cruzar os dados dos valores declarados pelos pacientes e evitar a burlagem da malha fina.

Dê uma olhada em outras informações que devem estar incluídas na sua declaração:

  • Natureza da ocupação (código 11 para profissionais liberais/autônomos e código 12 para proprietários de empresa/firma individual);
  • Ocupação principal (código 225 para médicos);
  • Registro profissional;
  • Informe de rendimentos do pró-labore (remuneração que um administrador recebe pela função desempenhada em sua empresa) e retiradas de lucro, caso você tenha um PJ.
  • Informe de rendimentos de investimentos;
  • Comprovantes de dívidas contraídas devem ser adicionadas na área de “Dívidas e ônus reais”;
  • Documentos de bens adquiridos precisam ser registrados na seção de “Bens e direitos”.

Lembre-se que todos os recibos emitidos ao longo do ano precisam ser contabilizados!

Como o pagamento do imposto funciona? E a restituição?

O IRPF pode ser declarado pelo computador, por meio do Programa Gerador de Declaração ou pelo serviço Meu Imposto de Renda, ambos disponíveis no site da Receita Federal.

Também é possível enviar a declaração pelo aplicativo disponível no Google Play e na App Store.

Você mesmo pode declarar seu imposto de renda ou optar por contratar o serviço de um contador

Muitos profissionais preferem ter um contador de confiança para realizar essa tarefa, tanto pela praticidade em não perder tempo, quanto pela segurança, já que o contador tem mais experiência com o programa.

Porém, mesmo que você decida ter a ajuda de um especialista, é importante entender como o programa funciona e como conferir se a declaração foi feita corretamente.

Inclusive, ao entender como declarar o IRPF, você consegue ajudar o seu contador ao organizar seus documentos para a declaração.

Caso você precise pagar impostos, é possível dividir o valor em até 8 vezes de no mínimo R$ 50,00. Se o imposto for menor que R$ 100,00, ele deve ser pago em uma parcela única.

As parcelas devem ser pagas até o último dia útil de cada mês, e os juros pelo atraso seguem a taxa Selic.

A restituição funciona da seguinte forma: se você tem um valor a ser restituído, ele volta para você seguindo o calendário da Receita Federal.

Quem declara o IRPF com antecedência tem mais chances de receber o valor em junho, quando a restituição começa.

Para ler um conteúdo ainda mais completo sobre imposto de renda para médicos, baixe nosso eBook gratuito:

Guia Gratuito: Baixe esse Guia gratuito de Imposto de Renda para Médicos e regularize sua clínica.

O que pode ser deduzido do imposto de renda?

Ao declarar algumas despesas no IRPF, é possível conseguir o direito de pagar menos imposto. Veja a seguir quais despesas podem ser dedutíveis da sua declaração:

  • Pensão alimentícia;
  • Pagamentos de matrículas e mensalidades até R$ 3.562,50;
  • Previdência social;
  • Previdência privada, no valor de até 12% da renda tributável para o ano;
  • Dependentes, com dedução limitada a R$ 2.275,08 para cada um (se seu dependente tiver renda, ela precisa constar na declaração e o imposto pode sair mais caro);
  • Doações para causas médicas, sociais e de direitos de crianças e idosos para fundos municipais, estaduais e federais, que podem ser utilizados para abater até 6% do imposto a pagar.

No caso dos médicos que realizam o Carnê-Leão, o carnê é deduzido na declaração de ajuste anual.

Como declaro os recibos dos pacientes?

Os recibos dos pacientes devem ser registrados na ficha “livro-caixa“. Aliás, ter um livro-caixa é fundamental para a organização da sua renda e despesas, o que ajuda imensamente na hora de declarar o IRPF.

Ao emitir os recibos para os pacientes e registrar seus CPFs, você pode ter despesas deduzidas e recuperar o dinheiro que gastou ao longo do ano!

5 dicas para declarar o imposto de renda para médicos

Você já sabe por quais canais pode declarar seu IRPF, como o pagamento e restituição funcionam, o que precisa constar na declaração e o prazo usual para a declaração.

Para te ajudar ainda mais nesse processo, separei 5 dicas que vão ser úteis para a equipe do consultório e para o contador, caso conte com o serviço desse especialista.

Acompanhe!

1. Crie o hábito de organizar seus documentos financeiros

Um erro comum cometido por milhares de brasileiros é deixar de registrar as transações financeiras ao longo do ano, sejam elas receitas ou despesas.

Uma dica de ouro: crie uma pasta no seu computador ou em um Drive com o título “Imposto de Renda”. Dentro dela, crie subpastas como “Renda”, “Recibo de pacientes”, “Despesas”, e assim por diante.

Crie o hábito de salvar todos os documentos nas pastas certas, e eduque a equipe do consultório ao fazer o mesmo.

Quando o momento de realizar a declaração do IRPF chegar, ao invés de precisar ter uma dor de cabeça para encontrar todos os registros, tudo estará separado corretamente.

Você pode usar esse mesmo sistema de organização para documentos físicos com uma pasta! Assim, o trabalho de declaração fica mais prático  de ser feito.

Para centralizar sua gestão financeira em um único lugar e facilitar ainda mais essa organização, considere ter um sistema financeiro com funcionalidades automatizadas para suas finanças.

2. Registre os dados do IRPF em um documento

Ao longo do conteúdo você notou a quantidade de dados que precisam estar contidos no IRPF. Para agilizar, deixe todos esses dados salvos em um Google Docs ou em um Word.

Dessa forma, é só copiar e colar durante a declaração. 😉

3. Salve uma planilha de simulador de impostos

Realizar uma projeção financeira é um passo essencial para clínicas médicas, afinal, com uma boa previsão você consegue tomar decisões baseadas em dados.

Por isso, recomendo fortemente que uma análise financeira seja feita frequentemente com seus colaboradores e um contador. 

Com ferramentas como um fluxo de caixa automático e um simulador de impostos, você consegue entender como será seu futuro financeiro e se preparar antecipadamente.

Baixe gratuitamente nossa planilha para começar a usar no seu computador:

Planilha Grátis: Simulador de Impostos para Clínicas

4. Fique atento a erros do imposto de renda

Seguindo os passos deste artigo, tenho certeza que você não vai cometer erros na hora de declarar seu IRPF. 

Entretanto, caso perceba que um engano foi cometido, principalmente em anos anteriores, saiba que é possível realizar uma declaração retificadora.

A declaração retificadora pode ser feita em até 5 anos (quanto mais cedo, melhor) para constatar que a declaração anterior está incorreta ou incompleta.

Para entender mais sobre essa opção, leia o conteúdo da Receita Federal na íntegra.

5. Se prepare antecipadamente para a declaração

Com uma boa organização, o IRPF não é um grande desafio. Mas como vimos ao longo do conteúdo, é necessário se preparar com antecedência!

Por isso, não deixe de seguir os passos que viu neste artigo e compartilhe as dicas com a sua equipe. Ao se preparar alguns meses antes de março, essa atividade não será uma dor de cabeça.

Para conhecer mais ferramentas que auxiliam sua gestão financeira e impulsionam o crescimento da sua clínica, leia nosso artigo sobre software médico.


Sobre o autor

Yasmim Mayumi

Especialista em Marketing de Conteúdo, atua como analista de conteúdo há mais de 3 anos na iClinic. Graduanda em Letras - Licenciatura em Inglês e Português na Barão de Mauá em Ribeirão Preto.

Sobre o revisor

Dra. Luciana Lessa

COO da Medicinae Solutions, a única plataforma de antecipação de faturas médicas do Brasil. Graduada em Medicina pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Cirurgiã Geral, MBA de Executivo em Saúde pela FGV, Health Management pela UPENN, Design Thinking na D.School - Stanford, possui mais de quinze anos de experiência no setor.