auto diagnóstico

Dr. Google: como lidar com pacientes que confiam demais no diagnóstico da internet

Pessoas sentem algo de errado com o corpo, procuram o sintoma na internet e fazem um autodiagnóstico por meio dos resultados encontrados. Essa situação é cada vez mais comum, entretanto, as consultas feitas com o “Dr. Google” parecem inocentes, mas podem causar riscos à saúde, como por exemplo, ignorar uma doença grave ou causar pânico à toa.

Para se ter uma ideia, uma pesquisa analisou mais de mil vídeos sobre insuficiência cardíaca, hipertensão e arritmias na internet, e chegou ao resultado: 95% desses vídeos contém informações erradas.

 Antigamente, por falta de conhecimento, as pessoas confiavam mais em suas receitas de cura caseiras que foram passando de geração para geração. Hoje, o excesso de informação que atrapalha e gera ainda mais dúvidas nos pacientes.

Não estranhe se um dia acontecer com você: durante a consulta com o paciente, dar um diagnóstico e observar a desconfiança dele.

Muitas vezes, os pacientes acreditam já ter se autodiagnosticado em casa por meio de informações que encontram na internet e vão a um consultório médico apenas em busca de uma confirmação do que já acreditam ser a verdade.

Nestes casos, quando o médico os contradiz, a desconfiança e a dúvida vêm à tona.

![dr-google](https://s3-sa-east-1.amazonaws.com/iclinic-mkt/blog/2014/02/dr-google.gif)
“Mais e mais pacientes procuram a internet em busca de aconselhamento médico. Para manter meus atendimentos, eu mudei meu nome para Doutor Google.”

Dr. Google

Atualmente é muito fácil encontrar informações e com a popularização de smartphones e computadores, os pacientes recorrem a pesquisas na internet para tirar dúvidas sobre sua saúde. Foi cunhado até o termo “Dr. Google” para definir essa pesquisa em sites de busca da internet para autodiagnóstico.

 dr google paciente

Como lidar com esse paciente?

Mas o que fazer se o paciente não acredita na opinião do profissional e insiste em confiar mais no que leu na internet?

Nesses momentos, é importante transmitir confiança.

É importante conhecer as ferramentas disponíveis na internet e indicar as mais adequadas para os pacientes.

Desde grupos de apoio, fóruns de discussão sobre a doença que o paciente foi diagnosticado e até material científico que ele pode consultar para saciar sua curiosidade.

Por exemplo, a internet pode ser utilizada para conhecer pessoas passando pela mesma situação e trocar experiências. Hoje em dia existem plataformas que reúnem pacientes para trocar experiências sobre suas situações de saúde, como o Patients Like Me.

O médico pode mostrar que, se usada corretamente, a internet pode ajudar o paciente a entender o seu quadro, controlar sua ansiedade, dúvidas e expectativas.

Tenha paciência para explicar que não há problema em fazer pesquisas na internet, desde que seja de maneira responsável, sempre se certificando sobre quem é a fonte da informação e buscando referências confiáveis.

Além disso, deve-se frisar que nem sempre o diagnóstico que leu na internet e que se quer ouvir é o correto.

Deixe bem claro que somente um profissional de saúde está capacitado para analisar o problema do paciente, contextualizar os sintomas de acordo com seu estilo de vida, pode pedir exames extras, analisar as queixas e ter conhecimento técnico sobre o assunto.

Apesar da internet conter muita informação, só um profissional da área pode transformar esses conhecimentos em ações práticas e tratamentos eficientes adequados para cada paciente.

## Cadastre-se e receba gratuitamente dicas exclusivas de Gestão em Saúde e Tecnologia:  

Veja também:

Casos de Sucesso ... Mar 28, 2017

Caso de Sucesso iClinic: Dr. Celso Bregalda Neves

Conteúdo Vip ... Dec 20, 2016

Todos os materiais educativos iClinic

Para Secretárias ... May 19, 2016

5 coisas que toda recepcionista de consultório precisa saber

Veja também:

Casos de Sucesso ... Mar 28, 2017

Caso de Sucesso iClinic: Dr. Celso Bregalda Neves

Conteúdo Vip ... Dec 20, 2016

Todos os materiais educativos iClinic

Para Secretárias ... May 19, 2016

5 coisas que toda recepcionista de consultório precisa saber

comments powered by Disqus