5G na área da saúde: quais são seus principais impactos?

5G na área da saúde: quais são seus principais impactos?

Leia em 5 min.

O 5G será uma grande mudança para todos os setores, principalmente para a área da saúde. Porém, as inovações tecnológicas também trazem receios, e é necessário estar atualizado sobre seus benefícios e desvantagens. 

Apesar de ser um dos assuntos mais discutidos dos últimos tempos, os impactos do 5G na área da saúde têm gerado apreensão e desconfiança em inúmeras especialidades médicas. Isso se deve ao fato de ainda pouco se sabe sobre como o 5G pretende mudar a maneira como se pratica a saúde em nossa sociedade

Por isso, preparamos um breve resumo explicando um pouco melhor o que é, o que pode alterar em nossa área, e quais foram os resultados de alguns testes feitos no mundo com a tecnologia 5G.

Acompanhe e descubra!

O que é 5G?

Tecnicamente falando, trata-se da quinta geração de internet móvel sem fio

Desde o 2G até o 4G inúmeras mudanças transformaram significativamente o nosso comportamento: a possibilidade do uso de smartphones com a vinda do 3G, a proliferação do uso dos aplicativos em nossas vidas com a consolidação do 4G, tudo isso aconteceu graças às evoluções de tecnologia nos últimos 10 anos.

Para o futuro, o 5G promete uma mudança ainda maior, já que trará um aumento de até 100 vezes na velocidade atual da internet, sem a necessidade de fibra.

Porém, o 5G não se trata apenas velocidade.

O ganho de velocidade é algo super importante, já que um filme de 2 horas que demorava em média 6 minutos para baixar em 4G, levaria apenas 3,6 segundos no 5G, ou seja, é tudo imediato, sem espera. 

Porém, o mais importante desta velocidade é o fato de que o mundo vem duplicando o volume total de dados a cada 18 meses.

Com o 5G será possível obter um maior ganho de performance, possibilitando o gerenciamento de dados de uma maneira mais eficiente, acarretando num volume sem igual de transformações em nosso mundo.

Carros autônomos, a internet das coisas (IoT) em escala industrial passando pelo boom da impressão 3D para uso de móveis, estão entre as apostas que prometem mudar a dinâmica no mundo no futuro, mas entre todas as sugestões e hipóteses, a mais comum para os especialistas é a mudança radical na área da saúde.

Quais são os impactos do 5G na área da saúde?

Entre inúmeras hipóteses, algumas parecem ser bastante factíveis, como o fato de que o excesso de regulamentações e processos burocráticos afastaram os avanços tecnológicos em relação a outras áreas. Além disso, o meio sempre foi considerado bastante tradicionalista, e nem sempre observou a tecnologia como algo positivo no atendimento em consultório. 

Talvez o ponto de maior transformação, é o fato que o 5G mudará completamente setores como o atendimento emergencial e Telemedicina, fazendo com que resoluções e portarias passadas passem a não ter tanta importância no futuro. 

Impacto do 5G na área da saúde

A partir de agora, veremos como alguns setores da saúde poderão ser beneficiados com o este avanço:

1. Um novo panorama em toda área de diagnósticos

O maior armazenamento de dados e a velocidade de download permitirá com que os diagnósticos sejam muito mais velozes e eficientes.

Tudo isso porque com um processamento mais rápido e sem fio, será possível criar mais padrões via inteligência artificial, facilitando e acelerando o processo até a descoberta de algum diagnóstico.

Radiologistas estimam que será possível aumentar em até 10 vezes sua produtividade, e alguns exames que só poderiam ser analisados em um determinado laboratório, agora serão compartilhados a outros especialistas de maneira remota. Dessa forma, existe a possibilidade de ampliar o alcance de alguns exames numa escala global.

2. Menos infraestrutura, maior cobertura de atendimento

A telemedicina alcançará um outro nível após o 5G, já que a falta de latência permitirá um atendimento remoto com todos os aspectos de um atendimento presencial.

Apenas isso já mudará por completo o cenário de infraestrutura para a área da saúde, já que ao invés de centros médicos em maior número de localidades, será estabelecido uma central de atendimento remoto com alcance a regiões menores. 

A China já vem implementando essa inovação, e melhorando mais de 80% dos índices de infectologia na região de Xinjiang, uma das mais remotas do país. 

Outro fator que terá uma redução significativa será o de atendimento emergencial. 

Em Alberta no Canadá, um hospital realizou um programa piloto para atendimento em pronto socorro cruzando dados populacionais processados por meio do 5G. Os resultados foram mais que satisfatórios. 

A partir de uma triagem de dados, 100% dos atendimentos durante os testes eram de fato emergenciais, o que trouxe para o hospital uma dedicação do seu recurso pessoal para casos de maior gravidade, além de uma economia em C$ 250.000,00 dólares canadenses ao evitar atendimentos não emergenciais.

Os exemplos dão uma noção tangível a situações, porém o que mais chama atenção em relação à telehealth é o fato de que até 2026 o setor movimentará mais de $ 266 bilhões de dólares, muito mais que o tamanho atual do mercado de saúde, avaliado em 200 bilhões.

3. Gadgets ainda mais funcionais

O uso de smartwatches (relógios inteligentes) e outros gadgets de monitoramento já são uma realidade, mas com o 5G, a “internet das coisas” terá uma ampliação sem igual, podendo ser usado inclusive em escala industrial. 

Tudo isso permitirá aparelhos muito mais inteligentes que poderão monitorar indicadores como hormônios ou nutrientes do seu corpo, podendo fazer a aplicação ou extração de maneira imediata. 

Isso fará com que a medicina e a nutrição tenham um caráter muito mais preventivo, deixando de ter o foco na doença e passando a ter como objetivo principal a manutenção do bem-estar.

4. Riscos do 5G

Entre os efeitos negativos da tecnologia 5G estão o custo de implementação, estimado em 300 bilhões de dólares apenas nos Estados Unidos, podendo ser ainda mais caro devido a notável guerra comercial entre China e Estados Unidos. 

Outro fator é o alcance que pode ter esta tecnologia, já que atualmente alguns estados americanos ainda não tem acesso ao 4G, como Idaho, Maine e Montana. 

A falta de cobertura do sinal em escala global, compromete grande parte dos benefícios que o 5G podem trazer. 

Um dos pontos que mais causa receio entre os especialistas é o risco que este sinal traz para a saúde, mas esta é uma discussão tão grande que vale um texto apenas sobre isso.

5. E os efeitos do 5G no Brasil?

Ainda não há uma previsão para a implementação do sinal 5G no país, já que o leilão vem sendo repetidamente adiado pelo governo. Estima-se que a próxima tentativa ocorra no segundo semestre de 2020

Também vale destacar que até a última portaria, não há nenhuma garantia do sinal 5G para cidades com mais de 2 milhões de habitantes, o que também tira grande parte dos benefícios da nova tecnologia. 

Além disso, é importante enfatizar que em parte significativa da cidade de São Paulo ainda não recebe sinal 4G nos dias atuais, um atraso que pode custar caro.

De certo mesmo é que assim como as outras gerações, impactos importantes serão sentidos em nossa sociedade em um futuro não tão distante, e a saúde é um dos segmentos que mais será alterado

Qual a sua opinião sobre o 5G e os seus efeitos na área da saúde? Deixe seu comentário abaixo, e compartilhe o conteúdo também com seus amigos.


Sobre o autor

Brunno Garcia Sanches Feola

Diretor de marketing da Livance, com mais 14 anos de experiência, pioneiro no marketing crossmedia no país. Responsável pela operação de marketing e comunicação de alguma das principais Startups digitais do país: Catho, OLX, HomeRefill, Lua.net.