Tabela TUSS: saiba o que é, como funciona e sua importância

Tabela TUSS: saiba o que é, como funciona e sua importância

Yasmim Mayumi Gestão da Clínica

Leia em 5 min.

Última atualização em 16/05/2022 por Yasmim Mayumi

A Tabela TUSS ou Terminologia Unificada da Saúde Suplementar, é um tipo de continuação do padrão TISS, Troca de Informações na Saúde Suplementar.

Esse documento é essencial no planejamento estratégico de clínicas, consultórios e variados estabelecimentos médicos, devido sua padronização que facilita a comunicação no sistema de saúde.

Seus códigos e nomenclaturas são universais e garantem que as instituições tenham uma comunicação unificada de forma internacional.

A Tabela TUSS é implantada pela ANS e traz séries de benefícios para médicos, pacientes e clínicas.

Neste artigo você vai aprender:

O que significa Tabela TUSS?

A Tabela TUSS (Terminologia Unificada da Saúde Suplementar) tem o objetivo de padronizar todos os códigos, termos e nomenclaturas que envolvem o sistema de saúde.

Você pode conferir a tabela atualizada pelo site da ANS. Ela possui quatro categorias principais:

  • Procedimentos médicos;
  • Materiais e medicamentos;
  • Diárias e taxas;
  • Órteses, próteses e materiais especiais.

O documento é baseado na 5ª edição da CBHPM (Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos) e complementa o padrão TISS, também implementado pela ANS.

Como funciona a Tabela TUSS?

A Tabela TUSS é organizada de acordo com os seguintes grupos:

  • Consultas: tem todos os procedimentos conectados à avaliação inicial do paciente, tratamento e diagnóstico. Ou seja, nele você encontrará atendimentos em clínicas, domiciliares, assistência pediátrica, obstétrica, geriátrica, entre outros;
  • Medicina laboratorial: possui os exames realizados a fim de identificar patologias, ele tem subdivisões como hematologia laboratorial, endocrinologia, bioquímica, assim por diante. É possível encontrar exames como curva glicêmica e sistemas de organismo como o cardiovascular;
  • Procedimentos ambulatoriais: reúne as intervenções realizadas para atendimento e reabilitação dos pacientes em ambulatórios. As avaliações, por exemplo, variam de avaliações nutricionais até atuações pós-transplante. A seção de reabilitação é divida em seções que possuem confecção de próteses, atendimento fisioterápico e atividades posturais;
  • Procedimentos hospitalares: envolve todos os procedimentos, exames e avaliações feitos em hospitais, como acompanhamento operatório, biópsias e cirurgias.

Cada grupo possui seu código e você também pode encontrar números para procedimentos médicos de forma geral, tanto clínicos quanto ambulatoriais e hospitalares. Essas informações são encontradas em soluções digitais. No Whitebook você encontra os códigos dos procedimentos com poucos cliques, facilitando a busca dos dados necessários para o preenchimento das guias dos planos de saúde. As informações ficam disponíveis offline. É possível buscar por código ou por capítulos.

Inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter para receber mais artigos como este:

Cadastre-se na Newsletter do iClinic

Qual a importância da Tabela TUSS?

 A principal vantagem da Tabela TUSS é que, diferente de antigamente, os hospitais, clínicas e demais instituições de saúde não têm dificuldades em se comunicarem devido às suas codificações. 

Imagine se um hospital personalizasse os termos de procedimentos médicos. As operadoras de saúde conseguiriam cobrir um procedimento que não consta em sua tabela?

Não ter uma padronização prejudica a experiência do paciente e a qualidade do serviço médico prestado. Porém, os benefícios da Tabela TUSS se expandem para outras áreas.

1. Eliminação das glosas

As glosas acontecem quando um plano de saúde não paga por um serviço prestado devido a alguma falha no processo, como erro de digitação no número de carteirinha do paciente.

Esses pequenos erros acontecem com frequência em estabelecimentos médicos e antes da TUSS ser implementada, eles eram ainda mais comuns, o que prejudicava imensamente as finanças das instituições.

Com a padronização e uso de sistemas eletrônicos, como softwares médicos que possuem ferramentas voltadas para cadastro de convênio e geração de guias de consulta TISS em lotes, esse problema é reduzido.

Dessa forma, você não precisa se preocupar com a ocorrência de glosas na clínica e otimiza seu tempo para focar na gestão da empresa ou no atendimento ao paciente.

2. Redução de custos

Antes da tabela TUSS, o preenchimento de códigos, nomenclaturas, códigos e geração de relatórios era extremamente demorado. Os erros também eram mais frequentes.

Com a implementação do documento, a quantidade de retrabalho diminuiu e o processo se tornou menos cansativo, já que a comunicação entre operadoras e estabelecimentos melhorou.

Todas essas otimizações permitiram que os gastos na saúde fossem reduzidos, uma vez que os profissionais conseguiram gastar seu tempo em atividades realmente produtivas.

Saiba como aumentar a produtividade de recepcionistas em nosso vídeo:

3. Aumento de qualidade nas operações 

Imagine que a sua clínica tenha uma sala de recepção, salas de atendimento, uma copa para os funcionários e uma área de recreação para crianças.

Você possui recepcionistas, seguranças, funcionários encarregados da limpeza e organização, além de profissionais de saúde de diferentes especialidades.

Agora, vamos supor que cada profissional atendesse de forma completamente diferente, assim como as recepcionistas.

Enquanto os seguranças e funcionários de limpeza mantêm um padrão em seu serviço e atendimento, alguns recepcionistas não sabem lidar com pacientes estressados e alguns médicos não olham para os pacientes.

Logo vão surgir reclamações e ficará claro que não há um padrão de qualidade na clínica.

É por isso que manter um padrão organizado é fundamental: você garante que a experiência será boa em qualquer ponto de contato, independentemente da área.

Essa é a função da TUSS no sistema de saúde brasileiro. Ela garante que as operações funcionem de maneira ágil, organizada e produtiva, o que beneficia todos os envolvidos.

Qual a diferença entre TISS e TUSS?

O TISS é um modelo obrigatório de registro de informações entre planos de saúde e prestadores de serviço, enquanto a TUSS complementa o TISS com sua padronização.

Portanto, o TISS organiza os dados enquanto a TUSS padroniza termos, códigos e nomenclaturas.

Lembre-se que a TISS é separada em cinco principais classificações:

  • Organizacional: conjunto de regras e normas da operação
  • Estrutural e conteúdo: arquitetura dos dados, bem como distribuição e aquisição
  • Representação de conceitos: padronização de termos da saúde
  • Segurança e privacidade: proteção dos dados dos pacientes
  • Comunicação: padronização de mensagens e compartilhamento de informações

E a TUSS em quatro principais categorias:

  • Procedimentos médicos;
  • Materiais e medicamentos;
  • Diárias e taxas;
  • Órteses, próteses e materiais especiais.

Para aprender mais sobre segurança e privacidade do paciente, baixe gratuitamente nosso eBook sobre LGPD na saúde:

eBook Gratuito: LGPD na saúde, aprenda como seguir todas as exigências e se adequar!

Como preencher a Tabela TUSS?

Uma Tabela TUSS completa deve ter estas informações:

  • Códigos da ANS;
  • Cobertura do plano de saúde;
  • Procedimentos médicos.

A AMB (Associação Médica Brasileira) define e fiscaliza as terminologias para novos procedimentos médicos e a ANS disponibiliza esses termos em seu site, para que as instituições atualizem a Tabela TUSS.

Apesar do documento receber o nome “tabela”, ele não deve vir com valores para cada procedimento, e sim com métodos, nomenclaturas e códigos oficiais.

Se você desejar montar uma tabela com todos os seus valores, é necessário criar uma separada.

Espero que tenha aprendido tudo que precisava sobre a Tabela TUSS! 

Após criar seu documento, não se esqueça de contar com a ajuda da tecnologia para melhorar seus processos. Baixe gratuitamente nosso material para descobrir se você precisa de um sistema em nuvem:

Checklist Grátis: Descubra se seu consultório está precisando de um Sistema em Nuvem. Clique aqui e baixe nossa checklist!

Sobre o autor

Yasmim Mayumi

Especialista em Marketing de Conteúdo e produtora de conteúdo na iClinic. Graduanda em Letras - Licenciatura em Inglês e Português na Barão de Mauá em Ribeirão Preto.