Sistema de Teleconsulta: como escolher um?

Sistema de Teleconsulta: como escolher um?

Yasmim Mayumi Ferramentas para Clínica

Leia em 7 min.

Última atualização em 13/05/2022 por Yasmim Mayumi

Um sistema de Teleconsulta deve ter ferramentas como compartilhamento de tela, gravação das consultas, termo de consentimento para pacientes e segurança de dados.

A Telemedicina se popularizou durante o período de distanciamento social no Brasil e mostrou que seus benefícios vão muito além da pandemia.

Veja como foi essa experiência para o Dr. Marcelo Mostardeiro:

“Meus pacientes precisam voltar recorrentemente por conta de seus problemas de saúde, e às vezes a pessoa trabalha longe, ou acontece algum imprevisto, e a questão da Telemedicina em uma cidade como São Paulo solucionou o problema. Mesmo que o paciente tenha algum imprevisto que impeça ele de chegar ao meu consultório, ele me liga perguntando se é possível fazer a Teleconsulta, e eu respondo que posso. Resolveu os problemas dos médicos e dos pacientes.”

Para atender seus pacientes a distância com qualidade e segurança, é essencial ter um sistema médico que seja prático e ofereça diferenciais que te destaquem da concorrência.

Continue a leitura e descubra como escolher um sistema de Teleconsulta!

Baixe este artigo em PDF para ler em qualquer lugar, mesmo sem internet:

5 principais vantagens de ter um sistema de Teleconsulta

A Telemedicina em um país territorialmente extenso e com imensa desigualdade na distribuição de médicos, como é o Brasil, soluciona os principais problemas do sistema de saúde.

Pensando no contexto de clínicas e consultórios, dê uma olhada nas 5 principais vantagens de ter um sistema de Teleconsulta no dia a dia.

  • Redução de custos, tanto para os pacientes que não precisam gastar com locomoção desnecessariamente, quanto para os médicos que só recebem aqueles que precisam de exames físicos e não gastam tantos recursos da clínica;
  • Economia de tempo, uma vez que a Teleconsulta permite que a consulta seja feita de qualquer lugar e o tempo gasto com o trânsito pode ser direcionado para algo realmente produtivo;
  • Aumento da qualidade do serviço médico, pois o profissional de saúde consegue oferecer assistência imediata e a distância com segurança, ao invés de usar aplicativos genéricos como WhatsApp e Google Meet que não foram feitos para a área médica;
  • Atendimento integrado e ágil, devido a possibilidade de receber resultados de exames a distância e o médico poder trocar opiniões sobre o caso clínico com outros especialistas;
  • Garantia de assistência à saúde para todos os pacientes, independentemente do local em que estejam e da condição, como pós-cirúrgica ou de repouso, o que também aumenta a segurança dos médicos que não precisam se expor caso o paciente tenha uma doença contagiosa.

Agora que você conhece esses principais benefícios, é hora de descobrir quais são os critérios que você deve analisar na hora de obter um software médico.

Use nossa checklist para ajudá-lo durante sua análise ao longo do conteúdo:

Checklist grátis: escolha o sistema ideal para sua clínica médica

O que um sistema de Teleconsulta deve ter?

1. Termo de consentimento

Você tem respaldo jurídico em suas Teleconsultas? Tem uma garantia legal de que o paciente entendeu como funciona a consulta online?

Antes de iniciar um atendimento a distância com o paciente, é essencial que ele receba um termo de consentimento que informe as limitações da Teleconsulta e como ela funciona na prática.

Assim, você constrói um relacionamento de transparência com o paciente e ganha proteção jurídica.

2. Compartilhamento de tela

Como o paciente não vai estar perto de você para ver suas anotações ou exames, é fundamental poder compartilhar a tela para mostrar documentos e oferecer uma explicação didática.

3. Gravação da consulta

A gravação das Teleconsultas não é algo obrigatório e é importante analisar se o paciente se sente confortável com esse registro, mas poder gravar, caso seja necessário, é algo que todo sistema deve ter.

Dessa forma, você pode gravar o atendimento, deixá-lo salvo diretamente no prontuário e ter um registro aceito juridicamente sobre tudo que aconteceu na consulta.

4. Assinatura digital

O paciente precisa ir até a sua clínica apenas para pegar uma receita? Alguém que já perdeu a prescrição e precisou marcar um retorno?

Com a assinatura digital, mesmo que a prescrição de medicamentos seja controlada, basta você prescrever durante a Teleconsulta, assiná-la digitalmente e enviar por SMS, e-mail ou WhatsApp para o paciente.

A prescrição eletrônica evita letras ilegíveis que costumam causar mal-entendidos sobre nomes de remédios e orientações, além de ser mais segura que o papel.

Afinal, ela não pode ser fraudada com uma assinatura, já que seu certificado digital está atrelado ao seu CRM e CPF. 

5. Integração com o prontuário eletrônico

A Teleconsulta deve ser integrada ao prontuário eletrônico por uma questão de praticidade e segurança.

Imagine que, ao invés de usar um sistema de Teleconsulta, você tenha usado o Zoom, anotado suas observações em um bloco de notas e transferido para o prontuário eletrônico posteriormente.

Qualquer pessoa que tenha acesso ao seu computador pode visualizar o bloco de notas ou recuperar o seu copiar e colar, e casos mais graves podem acontecer, como furtos ou hackers que invadem seu dispositivo.

Por isso, todo o atendimento a distância deve acontecer em um sistema na nuvem, que não é instalado no seu computador e não é atingido por essas falhas de segurança.

Veja como essa integração facilita a vida da Dra. Ana Moreira:

“Tenho tudo que preciso em uma única plataforma. No nosso dia a dia, já utilizamos várias ferramentas, e ter a Telemedicina integrada ao prontuário eletrônico é excelente, fica tudo em lugar só, fica fácil para o paciente, e para mim também.”

O ideal é que a ferramenta permita que, durante a videconferência, seja possível trocar de dispositivo sem causar interrupção do atendimento, além do envio de arquivos como prescrições e exames.

Assista ao vídeo a seguir para ver o depoimento da Dra. Carolina sobre uma Teleconsulta integrada ao prontuário.

6. Sistema completo que cubra a jornada online do paciente

Você sabia que a jornada do paciente começa muito antes dele chegar à sua clínica?

A partir do momento que alguém identifica um problema de saúde ou quer marcar uma consulta anual para prevenção, seu serviço médico já pode se destacar perante os concorrentes.

Imagine que um paciente esteja buscando por um médico urologista no Google. Ao ver os primeiros resultados, encontra o perfil do Dr. iClinico no AgendarConsulta.

Após ler seu currículo e verificar que a clínica é perto de sua casa, decide marcar uma consulta pelo agendamento online, principalmente porque viu que os retornos podem ser feitos por Teleconsulta.

Um dia antes da consulta ele recebe um lembrete para confirmar seu agendamento e nota que a clínica possui pagamento online. Logo, decide pagar a consulta naquele mesmo dia.

O atendimento presencial, tanto do médico como das recepcionistas, é agradável e a consulta a distância acontece sem nenhuma complicação.

O paciente ainda é surpreendido ao receber comunicações por e-mail sobre informações de saúde e outros procedimentos que a clínica realiza.

Por ter sido fidelizado, ele decide seguir o médico em suas redes sociais e nunca se esquece de marcar a consulta anual.

Viu como ferramentas de agendamento e pagamento online, e-mail marketing e lembretes de consulta podem oferecer uma jornada digital completa para o paciente? 

Investir nessa estratégia é fundamental porque ela deixa cada vez mais de ser um diferencial para se tornar um requisito.

7. Segurança de dados

Como a Teleconsulta acontece de forma completamente online, ter uma ferramenta que garante segurança é um requisito que não pode ser deixado de lado.

A opção mais segura do mercado é um sistema para clínicas na nuvem, que pode ser acessado de qualquer lugar, a qualquer hora, e cada profissional tem seu login e senha exclusivos.

Como a própria Dra. Thamy Jay afirma:

“Eu já usei um software em outra clínica, mas ele não ficava na nuvem. Ficava só no computador e achei que não era tão seguro, porque se desse vírus ou alguma coisa, qualquer pessoa podia pegar informações.”

O ideal é ter um software que conte com o apoio dos servidores da AWS, a plataforma em nuvem mais abrangente do mundo, utilizada pela NASA e Casa Branca.

O sistema de Teleconsulta também deve contar com uma equipe de tecnologia focada em segurança de dados, que está constantemente identificando possíveis falhas e buscando soluções.

Conheça a segurança do iClinic para entender como as medidas de proteção que citamos neste tópico funcionam:

Conteúdo VIP: Segurança de dados no iClinic

8. Suporte ágil e eficiente

Quanto tempo você já precisou esperar para ser atendido por um suporte? Meia hora, uma hora, dias?

Da mesma forma que você prioriza o atendimento dos seus pacientes, o sistema também deve se comprometer em tirar suas dúvidas com agilidade.

Ao ter uma equipe de suporte disponível em horário comercial, você não precisa se preocupar em atrasar os atendimentos por conta de um problema ou dúvida que surgiu sobre as ferramentas.

9. Plataforma fácil de usar

Não adianta ter um sistema completo e robusto se ele for tão complicado ao ponto de você não conseguir usar com facilidade, e precisas de horas de treinamento para atender os pacientes.

A plataforma deve ter o equilíbrio de centralizar todas as soluções que você precisa em um único lugar e, ao mesmo tempo, ter uma boa usabilidade.

Além disso, a ferramenta de Teleconsulta deve ser fácil de usar para os pacientes, assim você não precisa ter dor de cabeça na hora de explicar como ela funciona.

10. Melhorias contínuas

Nenhum sistema de Teleconsulta é perfeito e é preciso desconfiar daqueles que usam essa afirmação. 

A verdade é que qualquer ferramenta precisa estar em contínuo desenvolvimento, porque sempre há melhorias a serem feitas e novas descobertas para serem implementadas.

Ao ter uma plataforma que está melhorando constantemente, você assegura que terá uma Teleconsulta atualizada e que acompanha as tendências do mercado.

A ferramenta de Teleconsulta deve mostrar uma avaliação de chamada ao médico e o paciente quando um atendimento é finalizado. Assim, é possível enviar feedbacks constantes.

Veja como esse aspecto é importante para o Dr. Marcos Pinheiro:

“Nos adaptamos bem. Ele está sempre sendo atualizado, não tem bugs (eventuais falhas do sistema), travamento, não é um software pesado, qualquer computador pode rodar, desde que a internet seja mínima.”

Neste artigo você conheceu as principais vantagens de um sistema de Teleconsulta e todos os critérios que precisa levar em consideração para escolher um.

Caso você queira conhecer uma ferramenta de Teleconsulta na prática, faça um teste grátis agora mesmo no nosso sistema. 🙂

Teleconsulta iClinic: atenda seus pacientes a distância de forma segura

Sobre o autor

Yasmim Mayumi

Especialista em Marketing de Conteúdo, atua como analista de conteúdo há mais de 3 anos na iClinic. Graduanda em Letras - Licenciatura em Inglês e Português na Barão de Mauá em Ribeirão Preto.