como escolher um software para teleconsulta

Descubra como escolher o software para Teleconsulta ideal

Maria Beatriz Oliveira Ferramentas para Clínica

Leia em 4 min.

A Telemedicina gera impactos extremamente positivos como tornar a saúde mais acessível a todos. Escolher um bom software para Teleconsulta é um passo importante e indispensável à prática.

A possibilidade do uso das frentes da Telemedicina vem revolucionando a saúde ao proporcionar economia de custos e acesso facilitado aos profissionais.

Segundo um artigo da Revista Eletrônica Acervo Saúde, a ampliação da Telemedicina garante ao paciente:

“Um acesso à saúde de maneira prática e acessível, visto que algumas regiões no Brasil sofrem com escassez de profissionais de Medicina.”

Mas como escolher um software para Teleconsulta ideal e começar a realizar atendimentos remotos no consultório? 

Confira neste artigo!

5 perguntas que irão te ajudar a escolher um software para Teleconsulta

A Teleconsulta é uma das frentes da Telemedicina que oferece inúmeras vantagens a profissionais e pacientes, especialmente em consultas de acompanhamento, casos de doenças crônicas, entre outros.

Porém, é importante contar com uma ferramenta facilitadora, desenvolvida para a área da saúde e que ofereça uma forte segurança dos dados

Ainda segundo o artigo citado acima:

“É importante que a Telemedicina seja planejada para evitar imprevistos ou falhas técnicas ao ser utilizada na companhia do paciente.”

Com um bom software, você entrega uma assistência remota com muita qualidade e humanização ao paciente.

Confira agora 5 dicas que irão te ajudar a escolher o software para Teleconsulta ideal para seu consultório:

1. O software oferece uma boa segurança de dados?

Com a LGPD e as exigências do CFM quanto à segurança de dados, esse deve ser o fator mais importante na hora de escolher seu software para Teleconsulta.

Segundo a resolução nº 2.227/2018 do CFM, em serviços prestados via Telemedicina, os dados dos pacientes devem contar com infraestrutura e gerenciamento de riscos que são:

“Requisitos obrigatórios para assegurar o registro digital apropriado e seguro, obedecendo às normas do CFM pertinentes à guarda, manuseio, integridade, veracidade, confidencialidade, privacidade e garantia do sigilo profissional das informações.”

Embora essa resolução tenha sido revogada, há uma grande chance de que as novas resoluções sigam o mesmo padrão de exigência quanto à segurança de informações.

Por esse motivo, não é recomendável a prática da Teleconsulta via aplicativos como Zoom, WhatsApp, Skype, entre outros.

Embora sejam ótimos recursos na comunicação do dia a dia, esses softwares não oferecem a segurança necessária para lidar com dados sensíveis dos pacientes. 

Saiba mais sobre as essas e outras práticas legais no atendimento online em nosso eBook gratuito:

eBook Telemedicina: aprenda todas as práticas legais do atendimento online!

Ao escolher um software para Teleconsulta, leve em conta os seguintes aspectos:

  • O software é armazenado na nuvem
  • Ele conta com servidores seguros, como a AWS, uma plataforma utilizada até pela Nasa e pela Casa Branca?
  • Ele possui criptografias para a transição dos dados?
  • O sistema procura seguir as normas do CFM e da LGPD?

Ao responder todas essas perguntas, você saberá se o software possui ou não uma boa segurança de dados, e conquistará a confiança de seus pacientes.

2. Ele possui integração com o prontuário eletrônico?

Como o prontuário eletrônico é o documento que concentra todo o histórico do paciente, para que suas Teleconsultas sejam ainda mais efetivas, obter essa integração é fundamental.

Ao contar com um software para Teleconsulta integrado ao prontuário eletrônico, todas as informações são anexadas nele, e você pode acessá-lo a qualquer momento durante a consulta.

A Dra. Ana Moreira utilizou o iClinic como ferramenta de Teleconsulta e obteve resultados muito positivos:

“Tenho tudo que eu preciso em uma única plataforma. No nosso dia a dia, já utilizamos várias ferramentas, e ter a Telemedicina integrada ao prontuário eletrônico é excelente, fica tudo em lugar só, fica fácil para o paciente, e para mim também.”

Alguns sistemas possibilitam até mesmo a gravação das consultas para serem anexadas ao prontuário, e essa é uma funcionalidade que oferece ainda mais segurança aos seus atendimentos.

3. É possível gravar as Teleconsultas?

Conforme mencionado no tópico anterior, a gravação das Teleconsultas é uma ótima funcionalidade que agrega mais valor à sua prática de Telemedicina. 

Com ela, você garante um maior respaldo jurídico, e pode voltar à gravação se tiver ficado com qualquer dúvida em relação às questões discutidas.

Para o Dr. Lucas Bezerra, esse ponto foi essencial na escolha de um software médico para sua clínica:

“A segunda é o armazenamento de informações, que você pode acessar a qualquer tempo e ter um respaldo jurídico sobre tudo que foi feito, o que garante proteção para ambas as partes.”

Essa é uma boa oportunidade para rever os principais pontos levantados durante a consulta e anexá-los ao prontuário, caso tenha se esquecido de algum detalhe importante.

Com a gravação, você também fica mais tranquilo para focar no paciente e oferecer um atendimento ainda mais humanizado.

O sistema do iClinic disponibiliza esses e outros recursos para a realização de Teleconsultas, confira nosso vídeo para saber mais:

4. Ele envia um termo de consentimento para os pacientes?

O termo de consentimento é um documento importante e reforça tanto a sua segurança, quanto a dos pacientes. 

Com ele, você conquista transparência em relação a como sua consulta será realizada e isso deixa os pacientes mais tranquilos, além de garantir uma maior proteção judicial em seus atendimentos.

Dessa forma, o ideal é que o software para Teleconsulta realize esse envio do termo de forma automática e só permita a realização da consulta em caso de aceitação.

5. Quais são as funcionalidades disponíveis no software?

Além da Teleconsulta, quais são as outras funcionalidades que o software médico oferece?

Com o objetivo de garantir que está contratando um bom sistema, você precisa avaliar todos os aspectos do software. 

Vale perguntar, por exemplo, se ele é integrado à agenda, ao cadastro dos pacientes, se possibilita o envio de lembretes de consulta e disponibiliza o agendamento online.

Outro recurso interessante é o de compartilhamento de tela já que, por meio dele, você consegue mostrar sua tela ao paciente e tornar suas consultas mais dinâmicas

Além disso, questione a respeito do desenvolvimento de novas funcionalidades e melhorias dentro do sistema, pois esse ponto com certeza fará toda a diferença a longo prazo.

Ao seguir essas dicas, você garante contratar um bom software para Teleconsulta, e oferece uma experiência incrível aos seus pacientes. 

Para testar um sistema que ofereça essas e outras ferramentas, clique já na imagem abaixo e faça um teste grátis no iClinic:

Teleconsulta iClinic: atenda seus pacientes a distância de forma segura

Espero que este artigo tenha te ajudado!

Antes de ir, compartilhe sua opinião em relação à Telemedicina e envie o artigo para seus. 😉


Sobre o autor

Maria Beatriz Oliveira

Especialista em Marketing de Conteúdo e estudante de Marketing na Uninter.