Site icon Blog iClinic – Dicas para gestão de clínicas e consultórios!

Conheça as 8 inovações da área da saúde que irão revolucionar a Medicina

Inovações na área da saúde
Leia em 7 min.

A tecnologia trouxe mudanças para toda a sociedade, e algumas inovações da área da saúde prometem revolucionar a Medicina tradicional.

A tecnologia mudou o trabalho, a comunicação, o ensino, e os relacionamentos. A área da saúde, assim como todos os outros setores, evolui a cada dia.

Com os pacientes preocupados não apenas com a cura, mas com a prevenção das doenças, os médicos precisam inovar seus atendimentos para que possam oferecer sempre o melhor.

Segundo um artigo da Science Translational Medicine:

“A conectividade mobile com a internet conduzida pelas plataformas de tecnologia como Telemedicina, e os sensores wearables, dotaram os dispositivos de mão com a capacidade de adquirir imagens e realizar ensaios de laboratório. Isso introduziu um novo caminho para gerar saúde e dados médicos – pelo indivíduo, em tempo real, em um ambiente do mundo real.”

Neste artigo, você vai conhecer 8 inovações da área da saúde que prometem revolucionar a Medicina como a conhecemos.

Vamos lá?

Como as inovações da área da saúde irão contribuir com melhorias na Medicina?

Há 50 anos, será que alguém conseguiria imaginar o Big Data, Telemedicina, wearables, ou as pílulas digitais?

Entre outros benefícios, esses avanços aumentaram o acesso à saúde e ao acompanhamento, além de permitirem a obtenção de inúmeros dados reais que podem ser utilizados para o desenvolvimento de pesquisas.

Atualmente, o termo saúde digital refere-se ao uso das TDICs (Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação) para a obtenção de informações confiáveis sobre a saúde.

A Medicina torna-se, assim, cada vez mais voltada para a qualidade de vida. Frente a tantas inovações, o paciente assume uma posição mais ativa de cuidado consigo mesmo. 

Uma das tendências relacionadas à saúde digital é o crowdsourcing, no qual a população colabora para a resolução dos problemas, e depois obtém retorno sobre o conhecimento gerado. 

Veja o trecho de um artigo do Cadernos de Saúde Pública, que relata um estudo de caso baseado na metodologia:

“É a detecção digital de doenças utilizando a vigilância participativa, em que o cidadão é convidado a reportar voluntariamente informação sobre o seu estado de saúde, por meio do preenchimento de um questionário de sintomas via Internet, permitindo complementar a informação recolhida tradicionalmente pelas unidades de saúde.”

É justamente a facilidade de obtenção de informações que irá colaborar com centenas de estudos, cujos objetivos são encontrar novos tratamentos e formas eficazes de prevenção. 

Ainda, por meio do uso da Telemedicina, você consegue se manter bem mais conectado ao seu paciente, o que facilita consultas, acompanhamentos, e democratiza o acesso à saúde.

A tecnologia também pode facilitar seu trabalho com o prontuário eletrônico e prescrição eletrônica integrada com bancos como a Memed, os quais agilizarão seu trabalho, fornecendo mais segurança.

Saiba mais sobre como aproveitar a tecnologia na saúde em nosso eBook gratuito:

8 principais inovações da área da saúde que irão revolucionar o mercado

Os avanços tecnológicos possibilitaram uma Medicina mais personalizada, focada em prevenção. O paciente é atendido com diversas informações individualizadas.

A relação médico-paciente tende a ser mais próxima. No futuro, os médicos guiarão os pacientes em suas jornadas por uma saúde melhor a partir da interpretação de todos os dados técnicos coletados.

Segundo um artigo do Journal of Interventional Cardiac Electrophysiology:

“Nos últimos 10 anos, diversas pesquisas farmacêuticas, dados de ensaios clínicos e registros de pacientes foram compilados e examinados em um esforço para reduzir custos enquanto melhoram a eficiência, e avançam na prática da Medicina.” 

Confira a seguir 8 inovações da área da saúde que prometem marcar a Medicina nos próximos anos:

1. Ultrassom de bolso

Já imaginou como seria para seus pacientes realizarem ultrassons de qualquer lugar?

Os termômetros e esfigmomanômetros começaram como dispositivos médicos especializados, e hoje estão presentes no dia a dia de muitas pessoas.

Um ultrassom portátil pode beneficiar cerca de quase dois terços da população mundial que não têm acesso a imagens médicas.

Custando cerca de US$ 2.000,00, um dos dispositivos, o Butterfly IQ, exibe as imagens em smartphones. O sistema utiliza sensores sonoros minúsculos para a captação das imagens.

Com ele, é possível acompanhar desde o crescimento de um feto, até localizar e avaliar tumores nos órgãos.

2. Big Data aprofundado

O Big Data pode ser resumido na capacidade de se extrair e gerir informações por meio de ferramentas específicas a partir de um grande volume de dados.

Na saúde, engloba prevenção, diagnóstico, investigação clínica e farmacêutica, cujo grande objetivo é usar os dados para prever e resolver um problema logo no início.

Como todas as informações são do mundo real, elas podem diminuir as lacunas entre os estudos clínicos e translacionais, ou seja, aproximam o pesquisador da prática.

Com o uso de wearables e dispositivos mais tradicionais, como medidores de pressão arterial, a tendência é que os dados comecem a ser agregados de maneira anônima, porém, pesquisável.

Conforme frisa o artigo citado acima do Journal of Interventional Cardiac Electrophysiology:

“Os dados serão coletados, armazenados e analisados com a esperança de desvendar segredos que levem à melhoria da qualidade de vida e à cura de doenças, ao mesmo tempo que reduzem o desperdício na área de saúde.”

A empresa Evidation está coletando informações de 3 milhões de voluntários por meio de milhares de pontos sensíveis, seguindo o modelo mencionado anteriormente de crowdsourcing.

A ferramenta pode ser extremamente poderosa para estudos sobre a qualidade de vida ou desenvolvimento de medicamentos.

Essa tecnologia ajuda, por exemplo, a rastrear tendências específicas e enviar na nuvem para a monitoração dos médicos, gerando grandes benefícios a pacientes com doenças crônicas, como asma ou diabetes. 

3. Pulseira que “lê” mentes

Já imaginou como seria escrever um texto sem precisar digitar nenhuma palavra no computador?

A CTRL-Labs desenvolveu uma pulseira com interfaces neurais não-invasivas capazes de criar “conexões” entre o cérebro humano e as máquinas.

As pulseiras, repletas de eletrodos, podem traduzir atividades mentais em ações digitais, prometendo revolucionar a forma como interagimos com os dispositivos eletrônicos.

O Facebook adquiriu a CTRL-Labs em 2019. No futuro, a tecnologia pode ser integrada com sistemas de realidade aumentada e virtual.

Além de ser possível, por exemplo, digitar sem teclar, a pulseira pode ajudar pessoas com mobilidade reduzida, fornecendo mais autonomia.

Por essas e outras inovações, os estudantes de Medicina precisam estar sempre atualizados. Confira nosso vídeo sobre as habilidades do futuro na área da saúde:

4. Envelope de antibióticos

Os envelopes de antibióticos são embebidos em antibióticos e produzidos com malha para evitar infecções. Eles previnem infecções em pacientes com dispositivos eletrônicos cardíacos implantáveis. 

Em um estudo da ACC 2019, o envelope TYRX foi implantado com sucesso em 99,7% dos pacientes e não aumentou o risco de complicações relacionadas ao procedimento ou ao sistema durante 12 meses.

Nas pesquisas, comprovou-se que existem fortes evidências de que o TYRX ajuda a prevenir infecções mais graves sem aumentar os efeitos adversos.

5. Órgãos impressos em 3D

A impressão 3D, uma tecnologia criada inicialmente para a indústria automobilística, está cada vez mais inserida na Medicina.

As máquinas ajudam na confecção de próteses personalizadas e até na criação de partes sintéticas do corpo humano.

Esse tipo de impressão segue a lógica da impressão original de Johannes Gutenberg, mas ao invés de tinta, o material introduzido pode ser pó, gel, filamentos de plástico ou metal, e biotinta.

Os novos modelos de órgãos em 3D facilitarão o estudo personalizado dos casos dos pacientes, permitindo que os médicos entendam os melhores métodos de cirurgia.

A HeartFlow já desenvolve protótipos personalizados e escaneados de corações para análises clínicas. Dessa forma, o médico saberá o que encontrar bem antes de entrar na sala de cirurgia e poderá se preparar para isso.

6. Terapia para reduzir alergias ao amendoim

O SLIT (imunoterapia sublingual do amendoim) está sendo desenvolvido, e oferece uma ótima oportunidade aos pacientes alérgicos.

Ele pode aumentar gradualmente a tolerância de exposição ao amendoim, a fim de tratar alergias que envolvem o risco de vida em crianças. Não existem tratamentos aprovados do mesmo tipo.

A SLIT pode ajudar a diminuir o medo da exposição e mostrou boa resposta em estudos, sendo sua eficácia comparada ao OIT (imunoterapia oral).

Apesar de pesquisas terem mostrado que a SLIT constitui uma abordagem válida, ainda são necessários estudos maiores de replicação do método.

7. Health Centers

Em setembro de 2019, o Walmart inaugurou seu primeiro Health Center, onde os clientes podem realizar exames, raios-X ou eletrocardiogramas na hora, por preços bem mais acessíveis

Na área de exames oftalmológicos, por exemplo, já podem ser encontradas lentes e armações, caracterizando o centro como one-stop-shop, local onde você encontra tudo o que precisa.

Os diferenciais são preço, localização, e atendimento. A prevenção é um dos focos do programa.

Outras empresas de tecnologia como Apple, Google e Amazon também começaram a investir no setor, mas ninguém sabe qual será o caminho tomado pelas mesmas. 

8. Prontuários eletrônicos com Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial, um agrupamento de tecnologias que permite que um sistema consiga aprender conceitos quando abastecido por dados, é outra grande aliada da saúde.

Já é possível ter prontuários eletrônicos, os quais permitem que o histórico dos pacientes seja armazenado de maneira segura, com maior riqueza de detalhes, e com o acesso facilitado.

Alguns softwares procuram por doenças de acordo com os registros apresentados, tornando mais fácil descobrir qual é a doença que o paciente tem, evitando erros médicos e poupando tempo.

Ao aliar a Inteligência Artificial com um prontuário eletrônico, você pode ter uma ferramenta que te auxilia na decisão clínica, e proporciona mais agilidade no preenchimento de dados, o que resulta em mais tempo para conversar com o paciente.

Outra possibilidade é que, por meio da Inteligência Artificial, a tecnologia genômica tem oferecido grandes avanços no tratamento de doenças, como o câncer.

Com análises mais precisas e acontecendo em tempo real, muitas vidas podem ser salvas, e os tratamentos serão mais diretos e seguros.

Em meio a tantas novidades, fica difícil saber com exatidão qual será o cenário da área nos próximos anos, mas uma coisa é certa: o futuro promete uma Medicina mais ampla, acessível e focada na prevenção.

E apesar de algumas inovações causarem certa resistência, é preciso lembrar que esse é apenas um efeito comum a qualquer coisa que quebre os padrões conhecidos.

Hoje, os avanços colaboram com a resolução de inúmeras enfermidades, e têm imenso potencial para melhorar a vida de todos.

E você, o que pensa sobre tais tecnologias? Deixe seu comentário aqui embaixo. Vamos adorar te responder!

Para receber mais conteúdos como este, assine já nossa newsletter:

Gostou deste conteúdo?

Junte-se a mais de 70 mil profissionais de saúde e não perca eBooks, planilhas, dicas e guias exclusivos que vão ajudar na gestão da sua clínica.

Quero receber conteúdos
Sair da versão mobile