Como contratar um sistema de Telemedicina?

Como contratar um sistema de Telemedicina?

Leia em 4 min.

Contratar um sistema de Telemedicina não é uma escolha fácil, principalmente com tantas opções no mercado e novidades na área da saúde. 

Está sem tempo para ler o conteúdo? Escute o áudio clicando no player abaixo:

Mais do que nunca os profissionais de saúde reconhecem a importância de ter um sistema de Telemedicina aliado às suas práticas médicas.

Uma pesquisa, divulgada pela SciELO sobre os desafios da Telemedicina no Brasil, aponta que o mercado de software médico consegue atender demandas cada vez maiores e diversificadas, com sistemas personalizados.

“O Brasil é um país que oferece oportunidades para o desenvolvimento da Telemedicina. Sua grande extensão territorial, milhares de locais isolados e de difícil acesso, entre outros aspectos […] permitem prever a existência de um grande potencial de expansão da Telemedicina no país.”

Não é à toa que a demanda por softwares médicos eficientes aumentou significativamente nos últimos tempos, principalmente em relação às funcionalidades de Telemedicina, como a Teleconsulta. 

Apesar de existirem diferentes sistemas de Telemedicina no mercado, existem alguns passos básicos que irão garantir a escolha ideal para o seu atendimento. 

Vamos descobrir quais são eles? Continue a leitura e descubra!

Dicas práticas para contratar um sistema de Telemedicina 

Como o estudo da SciELO mencionado acima no afirma, a Telemedicina tem potencial de solucionar diversos desafios da área da saúde, auxiliando principalmente os médicos em suas práticas clínicas.

“A Telemedicina, além de agregar eficiência e reduzir custos, pode ampliar a atenção primária, facilitando o acesso a serviços de saúde em regiões remotas, uma vez que tem o potencial de ampliar as ações dos profissionais de saúde […] no que tange à prevenção, diagnóstico e tratamento.”

Se você já reconheceu essas vantagens, mas está em dúvida sobre como contratar um sistema de Telemedicina, continue a leitura.

A seguir, iremos apresentar alguns fatores essenciais que não podem ficar de lado durante sua decisão. Acompanhe!

1. O sistema de Telemedicina é na nuvem?

Você deseja acessar o sistema sem interrupções, a qualquer momento e de qualquer lugar? 

Um sistema de Telemedicina na nuvem, além de ser mais prático, também é extremamente seguro para os médicos, que lidam diretamente com dados sensíveis. 

Para garantir um excelente armazenamento na nuvem, o sistema deve possuir diferentes acessos para cada profissional, por meio de logins e senhas exclusivos, garantindo o acesso às informações sigilosas apenas por profissionais de saúde. 

Sem contar que espaços físicos exclusivos para armazenamento de fichas e prontuários de pacientes podem ser transformados em locais verdadeiramente produtivos, como salas de atendimentos. 

Com as informações salvas na nuvem, você pode acessá-las de qualquer lugar e sempre que precisar, diferenciais que asseguram atendimento rápido e seguro para seus pacientes. 

2. A equipe de suporte é eficiente?

Por mais que o sistema de Telemedicina seja de qualidade, contar com uma equipe de suporte eficiente é essencial, principalmente em momentos de solução de dúvidas sobre o uso do sistema.

Imagine que seu paciente não esteja conseguindo acessar a Teleconsulta que você disponibilizou para realizar um atendimento à distância, por videoconferência. 

Talvez seja algo simples, como a dificuldade de seu paciente encontrar o link no e-mail ou WhatsApp para o atendimento por teleconsulta.

Um especialista no sistema pode ajudar rapidamente nessas ocasiões, garantindo uma ótima experiência, mesmo com imprevistos. Por isso, busque saber mais sobre o suporte do sistema que você está considerando contratar.

3. Como o sistema de Telemedicina garante a segurança de dados?

Além de todos os pontos citados sobre a segurança de um sistema na nuvem, existem outros fatores de segurança de dados que também precisam ser levados em consideração. 

Em primeiro lugar, é fundamental que o sistema de Telemedicina envie um termo de consentimento para seus pacientes, quando consultas médicas forem realizadas à distância. 

Esse processo assegura proteção judicial para sua imagem profissional, e também oferece total transparência para seus pacientes, em relação a como o atendimento será realizado. 

Os desenvolvedores do sistema também precisam ser profissionais especializados em segurança de dados, principalmente em relação às exigências do CFM (Conselho Federal de Medicina). 

Um bom software médico também busca seguir todas as normas da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), e conta com criptografias a nível bancário, que impedem a leitura de dados sigilosos para quem não tem autorização. 

Se você ainda não conhece as regras da LGPD e deseja entender mais sobre segurança de dados, assista nosso vídeo: 

4. A consulta por telemedicina é integrada ao prontuário eletrônico?

Garantir praticidade é uma característica importante para o sistema de Telemedicina que você procura?

Contar com um sistema de Telemedicina que é totalmente integrado ao prontuário eletrônico do paciente, é um diferencial importantíssimo para sua prática médica. 

Uma integração de qualidade permite que todas as informações, conversas e anotações sejam anexadas automaticamente no prontuário eletrônico, enquanto você realiza um atendimento. 

Além da praticidade, como todas as informações estão centralizadas em um único local, o histórico dos seus pacientes fica mais completo, o que possibilita uma análise e diagnóstico ainda mais assertivo. 

A integração de dados na área da saúde é fundamental, principalmente para os profissionais que buscam elevar seu atendimento constantemente.

Essa também é uma boa prática se você deseja ter uma boa segurança para você, e seus pacientes. Diferente de plataformas genéricas, um software médico é desenvolvido exclusivamente para a área da saúde.

5. O sistema de Telemedicina é confiável?

Você pode confiar na empresa que oferece o sistema de Telemedicina?

Um sistema de Telemedicina vai muito além das funcionalidades. Também é preciso levar em conta a empresa, e sua confiabilidade. 

Uma boa dica é buscar avaliações em sites como o ReclameAqui, e redes sociais como Facebook e Instagram. Assim, você consegue analisar o nível de satisfação dos clientes daquela empresa. 

Empresas confiáveis também contam com casos de sucessos, depoimentos de clientes que conseguiram alcançar algum objetivo com a ajuda do sistema de Telemedicina.

Outro aspecto essencial é verificar o reconhecimento do mercado. Por exemplo, o sistema de Telemedicina já foi citado em grandes canais de notícias? 

O sistema possui parcerias com instituições renomadas, como a Sociedade Brasileira de Cardiologia, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, entre outros? Ele já foi citado em referências de inovações como Distrito e Endeavor?

Empresas preocupadas em garantir o melhor serviço possível contam com esses diferenciais, além desenvolverem melhorias contínuas em suas soluções.

E então, já sabe como contratar um sistema de Telemedicina? O que acha de testar um software médico com todas as vantagens citadas ao longo do artigo? É só clicar na imagem abaixo:

Teleconsulta iClinic: atenda seus pacientes à distância de forma segura

Você já tem experiência com Telemedicina? Conte pra gente aqui embaixo nos comentários!


Sobre o autor

Yasmim Mayumi

Especialista em Marketing de Conteúdo e estudante de Letras na Barão de Mauá em Ribeirão Preto.