Telemedicina pediátrica: saiba como funciona e tire suas dúvidas

Telemedicina pediátrica: saiba como funciona e tire suas dúvidas

Yasmim Mayumi Tecnologia na Saúde Leave a Comment

Leia em 5 min.

A Telemedicina pediátrica complementa o atendimento dos especialistas, aproxima pacientes e famílias, além de solucionar os principais obstáculos da área da saúde.

A pediatria é a especialidade mais escolhida pelos recém-formados em Medicina, segundo o CFM

Apesar de ser uma especialidade extremamente concorrida, a distribuição dos pediatras pelo Brasil é desigual, o que resulta em regiões superlotadas, enquanto outras, carecem de especialistas.

A Telemedicina consegue solucionar totalmente esse problema, uma vez que elimina a distância entre médicos e pacientes.

Um estudo sobre a experiência da Teleconsulta, uma das modalidades da Telemedicina, no Hospital Pediátrico de Coimbra enfatiza as vantagens dessa tendência mundial.

“A Teleconsulta em Cardiologia Pediátrica pode influenciar decisivamente a qualidade de vida dos pacientes, evitando perdas de tempo em deslocações, esperas desnecessárias, menores custos para as Instituições de saúde e para as famílias, assegurando um diagnóstico e tratamento mais rápido.”

Neste artigo você vai descobrir como conquistar todas as vantagens da Telemedicina pediátrica, seguindo as normas do CFM. Acompanhe!

O que é Telemedicina pediátrica?

A Telemedicina é definida como qualquer serviço de saúde prestado à distância, como solução de dúvidas de pacientes, consultas, envio de prescrições e solicitação de exames, entre outros. 

Ela também pode ser utilizada entre profissionais de saúde e instituições, como na educação médica

Diferentes faculdades podem compartilhar experiências, e professores de qualquer lugar do mundo podem educar os estudantes, o que aumenta a qualidade de ensino na Medicina.

A Telemedicina pediátrica, ou Telepediatria, possui um enorme potencial, pois consegue auxiliar no acompanhamento da evolução do paciente, e na assistência aos familiares. 

Todo pediatra já precisou responder mensagens ou atender ligações para tirar dúvidas sobre medicamentos, manchas na pele, tosses, sintomas de gripe, dor de ouvido, vacinas, e assim por diante.

Com a Telemedicina, você pode conversar de uma maneira mais segura, e evitar que um responsável se desespere por considerar um sintoma grave, quando na verdade, é algo comum.

Imagine que uma mãe com um bebê recém-nascido esteja com várias dúvidas sobre alimentação, ou com receio em dar banho no bebê. Porém, ela não quer sair de casa, e nem deixá-lo com outra pessoa.

Para oferecer mais conforto para essa mãe, além de agilidade no atendimento, você pode atendê-la por Teleconsulta, e ela ainda consegue mostrar como organizou o ambiente para o bebê.

Outro ponto importante sobre a Telemedicina pediátrica é que consultas para pacientes menores de idade precisam ser solicitadas pelos responsáveis.

Assista nosso vídeo e aprenda ainda mais sobre a Telemedicina:

7 principais vantagens da Telemedicina pediátrica

Além de proporcionar mais agilidade no envio de documentos médicos, como laudos, exames, prescrições e prontuários, a Telemedicina também aumenta a integração entre os profissionais de saúde. 

O atendimento aos pacientes se torna mais integrado, e consequentemente, a qualidade da assistência médica no país melhora como um todo.

Na pediatria, a Telemedicina oferece outras vantagens essenciais. Veja a seguir quais são elas:

1. Você fica mais próximo dos pacientes e suas famílias

Em muitos casos, os pacientes se sentem mais confortáveis para falar sobre suas queixas quando estão em um local íntimo, como suas casas.

Diferente de uma consulta presencial, eles também podem mostrar aspectos importantes para a avaliação pediátrica, como o ambiente, tipo de comida presente na alimentação, remédios, entre outros.

Veja o depoimento da Dra. Verônica Jordani, uma psiquiatra que se aproximou ainda mais dos seus pacientes por meio da Telemedicina.

Alguns pacientes se sentem mais à vontade quando estão no ambiente deles, do que no ambiente de consultório médico. Eles me mostram a casa deles, os bichinhos de estimação, o jardim, parece que estou sendo convidada a entrar na casa deles, a consulta flui de um jeito diferente, por vezes muito mais produtiva do que no consultório.”

2. Aumenta a segurança dos dados

Quantas informações sobre a saúde dos pacientes já foram trocadas por mensagens via WhatsApp ou Zoom?

Os canais de comunicação podem ser utilizados para solucionar dúvidas, porém, dados sigilosos e sensíveis não podem, em hipótese alguma, serem compartilhados.

Apesar do WhatsApp ter criptografia, ele não é uma rede social feita para a área da saúde, e não se preocupa em seguir as exigências da NGS ou do CFM

Por isso, a melhor forma de solucionar dúvidas que envolvem informações sigilosas, é por meio de uma Teleconsulta.

Quer aprofundar seus conhecimentos? Faça nosso curso de Telemedicina: da teoria à prática, com o Dr. Bruno Rossini:

Aprenda tudo sobre atendimento a distância no nosso curso de Telemedicina: da teoria à prática

3. Oferece um atendimento ágil para os pacientes

Você já precisou responder pacientes fora do seu horário de trabalho?

Na pediatria é muito comum precisar atender ligações fora do horário comercial, ou responder várias mensagens em sua própria casa. 

Com a Telemedicina, você pode oferecer uma consulta rápida e resolutiva para diversas preocupações dos pacientes e seus responsáveis, além de ajudá-los com um atendimento ágil.

Veja como o Dr. Marcelo Mostardeiro conseguiu alcançar esse objetivo:

“A questão da Telemedicina em uma cidade como São Paulo solucionou o problema. Mesmo que o paciente tenha algum imprevisto que impeça ele de chegar ao meu consultório, ele me liga perguntando se é possível fazer a Teleconsulta, e eu respondo que posso. Resolveu os problemas dos médicos, e dos pacientes.”

Assim, você passa menos tempo em ligações, e mais em consultas. 😉

4. Reduz casos de emergência

Muitos bebês recém-nascidos ou crianças precisam ser atendidas em emergência por um hospital. 

Emergências, de fato, acontecem, mas muitos casos podem ser evitados com um simples olhar cuidadoso de um médico, principalmente de um pediatra.

Em uma Teleconsulta, você consegue orientar os responsáveis pelo paciente e até mesmo perceber se algo estiver fora do comum, o que pode exigir um atendimento presencial.

Além disso, caso seja preciso ir até um hospital, você também pode auxiliá-los durante todo o caminho, o que tranquiliza e torna a situação mais segura.

Confira o depoimento da Dra. Carolina, uma dermatologista que foi surpreendida pela Telemedicina:

5. Mais engajamento da família e pacientes

Ter uma consulta, para muitos pacientes, significa gastar horas no trânsito e na sala de espera. Por isso, muitos “enrolam” para marcar um retorno, ou muitas vezes não voltam, por não acharem necessário. 

Um pediatra consegue acompanhar a vida de uma pessoa, e muitas vezes, o próprio adolescente ou jovem-adulto precisa marcar um atendimento, ao invés dos pais. 

Com a possibilidade da Telemedicina pediátrica, eles podem ser atendidos em casa, e ter atendimentos presenciais apenas quando necessário. 

Isso aumenta o engajamento no cuidado com a saúde, o que também aumenta a prevenção de possíveis doenças.

Qual é a regulamentação da Telemedicina pediátrica?

Atualmente, a resolução que regulamenta a Telemedicina é a n° 1.643/2002 do CFM.

O próprio Conselho já tentou implementar uma regulamentação mais ampla, que abordasse a Telemedicina de forma mais profunda, porém a resolução n° 2.227/2018 foi revogada rapidamente, devido à polêmica gerada.

Tudo indicava que, mesmo antes da pandemia de COVID-19, a Telemedicina seria totalmente regularizada pelo CFM em 2020.

Entretanto, a pandemia exigiu uma rápida resposta do governo e das instituições de saúde, o que resultou a lei 13.989/2020, sancionada pelo presidente da república. 

Como resposta, o CFM publicou o ofício nº 1756/2020, e, assim como a lei, em caráter emergencial devido a pandemia.

A resolução n° 1.643/2002 ainda vale, mas tudo mostra que após a pandemia, o CFM irá publicar uma resolução mais completa que atenda, de fato, as necessidades dos médicos e pacientes.

Como usar a Telemedicina pediátrica no consultório?

Para praticar a Telemedicina de forma segura, é preciso contar com um software médico

Além de oferecer funcionalidades como a Teleconsulta, que é integrada com um prontuário eletrônico, pode ser feita de qualquer lugar e exige a assinatura de um termo de consentimento por parte do paciente, um software também ajuda na gestão do seu consultório.

Assim, você pode agregar a Telemedicina pediátrica na sua prática médica, e ter mais praticidade no seu dia a dia.

Baixe nosso eBook gratuito sobre Telemedicina e aprenda tudo que você precisa saber sobre o assunto:

eBook Telemedicina: aprenda todas as práticas legais do atendimento online!

Qual é a sua opinião sobre a Telemedicina pediátrica? Compartilhe com a gente aqui embaixo nos comentários!


Sobre o autor

Yasmim Mayumi

Especialista em Marketing de Conteúdo e estudante de Letras na Barão de Mauá em Ribeirão Preto.