Saiba mais sobre os indicadores de desempenho para a área de saúde

Saiba mais sobre os indicadores de desempenho para a área de saúde

Erika Monteiro Gestão da Clínica

Leia em 5 min.

Última atualização em 12/05/2022 por Yasmim Mayumi

Indicadores de desempenho para a área da saúde, como captação de pacientes, taxa de absenteísmo e performance financeira, são essenciais para a gestão das instituições.

Como saber se você e seu consultório estão indo pelo caminho certo? A percepção subjetiva — o famoso “feeling” — é muito importante, mas nada é mais assertivo do que os números!

Veja neste artigo quais indicadores de desempenho podem ser analisados na área da saúde e descubra onde e como melhorá-los.

4 indicadores de desempenho para a área da saúde

Ao avaliar os indicadores de desempenho para a área de saúde, é importante separá-los em duas categorias:

  • Resultados com a conquista de consultas;
  • Retornos financeiros da clínica.

Para que você se mantenha no caminho certo, é necessário que esses dois lados estejam em equilíbrio.

Felizmente, ambos se complementam, já que mais consultas podem gerar maior sucesso financeiro. Portanto, são métricas que ajudam a apontar os rumos que você deve seguir.

Saiba mais a respeito dos principais indicadores de desempenho da área de saúde que você precisa acompanhar em sua clínica:

1. Captação de pacientes

Novos pacientes adquiridos

Acompanhe o número de pacientes que passaram a frequentar a sua clínica para ter um termômetro do seu sucesso ao divulgar seus serviços para os perfis corretos.

Uma clínica não é nada sem pacientes, portanto, é necessário monitorar essa métrica periodicamente e comparar seus resultados ao longo do tempo.

Pacientes recorrentes

Fidelizar seus pacientes é algo bastante estratégico para o sucesso da sua clínica.

Não basta apenas atrair novas pessoas, você também precisa ser capaz de oferecer um atendimento com qualidade suficiente para que esse público volte mais vezes e confie em seu trabalho.

Assim como nos demais indicadores de desempenho para a área de saúde, certifique-se de mensurar seus resultados periodicamente e comparar a evolução.

2. Taxa de absenteísmo

Para o bom funcionamento da sua clínica, você precisa acompanhar um dos indicadores de desempenho que se refere a quem marca consulta e não comparece — a taxa de absenteísmo.

Isso tem um impacto direto nas suas atividades já que compromete o fluxo produtivo ao ter um horário reservado para alguém que não apareceu.

Uma das formas de melhorar esse indicador é enviando lembretes de confirmação de consulta via SMS, WhatsApp e e-mail.

Depois de implementar essa prática, você pode medir os resultados e ver nos números a melhoria.

3. Performance financeira

Custos da clínica

Toda análise de indicadores de desempenho para a área de saúde precisa levar em consideração os gastos da clínica.

Você pode ter resultados ruins se gastar mais do que fatura, portanto, tome cuidado.

Sempre que possível, é bom reavaliar algumas das escolhas dessa área com o intuito de economizar.

É importante saber diferenciar custo fixo (que terá que ser pago mesmo sem atividade na clínica) e variável (que surge em decorrência de consultas e procedimentos).

Retorno sobre investimento

Ao ter ideia dos custos da sua clínica, fica mais simples chegar até outros indicadores de desempenho para a área de saúde, como é o caso do ROI (retorno sobre investimento).

Trata-se de um mapeamento dos resultados atingidos a partir das ações implementadas anteriormente.

Por exemplo, uma campanha de marketing precisa ser bem-sucedida em trazer novos pacientes, senão deve ser revista.

Fluxo de caixa

Um dos mais importantes indicadores de desempenho para a área de saúde se referem a saber se você conseguirá cobrir todos os custos fixos da sua clínica.

O controle de fluxo de caixa permite que você antecipe seus gastos e ganhos para o próximo ciclo, permitindo planejar ações futuras de entradas e saídas.

4. Avaliação de desempenho

Agora que você já conhece os principais indicadores de desempenho para a área de saúde, a sua clínica pode começar a trilhar o caminho certo que poderá trazer os melhores resultados para você.

Nenhuma estratégia tem sucesso sem que exista um acompanhamento cuidadoso de seus números e uma atenção voltada às métricas certas.

Nunca deixe de analisar esses retornos e se mantenha sempre em evolução.

Além dos indicadores essenciais para a sua clínica, veja alguns indicadores essenciais para operadoras de plano de saúde e hospitais.

Indicadores de desempenho para operadoras de plano de saúde e hospitais

1. Custo total no mês

O valor gasto ao total com internações deve ser monitorado de perto quando para a realizar a gestão em saúde da operadora de plano de saúde de forma assertiva.

Sabemos como a quantidade de diárias e a média de permanência geral na instituição impactam esse indicador.

Todo gestor deve gerenciar esse gasto para evitar que a operação fuja do orçamento estipulado e auxilie no planejamento financeiro a curto, médio e longo prazo, otimizando a auditoria em saúde.

Ainda, usando a inteligência artificial na saúde e ferramentas como o DRG Brasil é possível ter uma análise preditiva desse indicador, proporcionando ao gestor uma vantagem para realizar as ações corretivas dentro do tempo.

2. Média de Permanência na Instituição

Observar o tempo médio em que os pacientes ficam hospedados na instituição de saúde é uma atividade que merece sua atenção, pois pode afetar diretamente na conta.

Pois quanto maior o tempo, maior é o uso de recursos da instituição, como:

  • Procedimentos;
  • Medicamentos;
  • Diárias;

Ainda, essa métrica está diretamente relacionada com a qualidade do cuidado prestado ao beneficiário.

Ou seja, quanto mais assertivo ele for, menores as chances de ocorrência de eventos adversos, e assim, menor o tempo de permanência na instituição.

Outro ponto importante de observação é prever a média de permanência na instituição, para assim evitar que o paciente fique mais dias do que o ideal.

Você já monitora essa métrica?

3. Reinternação no período

Outra métrica de extrema importância consiste na taxa de reinternação no período, o qual pode ser considerado um indicador de qualidade em saúde dos serviços de saúde.

Segundo a ANS, leva-se em consideração o número de pacientes que foram readmitidos no mesmo hospital em decorrência da mesma patologia em um período de 30 dias.

Este indicador torna-se valioso para comparação entre hospitais e sua assistência, o que permite que o gestor direcione as internações para hospitais com menor taxa de reinternação ou de eventos adversos.

4. Pacientes por mês por CID

O número de pacientes internados por condição clínica também é um indicador que merece atenção.

A CID (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde) determina a classificação e codificação das doenças e uma ampla variedade de sinais, sintomas, denúncias, circunstâncias sociais e causas externas.

E sabe por que é importante monitorar esse indicador?

O monitoramento das principais patologias que levaram a internação desses pacientes pode guiar decisões da operadora e alertar sobre potenciais surtos.

Um gestor em saúde que identifica uma alta ocorrência de CIDs de atenção primária pode sugerir maiores esforços e investimentos nessa área a fim de evitar futuras internações.

Não se melhora o que não se mede, certo? Então para saber como calcular os indicadores mais importantes para sua clínica, baixe o eBook Como medir o sucesso da minha clínica.

Baixe grátis: eBook sobre como medir o sucesso da sua clínica

Sobre o autor

Erika Monteiro

COO e co-fundadora da Carefy, plataforma de gestão e monitoramento de pacientes internados para auditoria de internações de operadoras de saúde.