Como funciona a migração de outros softwares médicos para o iClinic?

Como funciona a migração de outros softwares médicos para o iClinic?

Leia em 4 min.

Você sabe como a migração de outros softwares médicos para o iClinic funciona na prática? Possui medo de perder seus dados durante a migração? Tire aqui todas as suas dúvidas sobre esse processo.

Decidir migrar de um software médico para outro não é uma decisão fácil, principalmente se você já possui muitas informações adicionadas no software que pretende deixar para trás.

Porém, uma boa parte desse receio vem de não saber como a migração funciona na prática, e foi pensando nisso que elaboramos este artigo. Aqui, você pode conferir como o processo de migração pode ser simples e fácil, assim como o software médico iClinic.

A Dra. Imara, um dos nossos casos de sucesso de migração de dados, mudou do Consultório Digital para o iClinic. Em sua entrevista, ela compartilhou um pouco de como foi esse processo:  

A importação foi muito fácil, rápida, todos os dados foram importados. Vou atualizando conforme os atendimentos, mas o histórico está lá. Nunca tivemos um caso de um paciente do Consultório Digital não ter ido para o iClinic.”

Confira como essa migração de dados funciona na prática. Continue a leitura e aproveite o conteúdo!

Como o processo de migração funciona na prática?

O primeiro passo, para colocar em prática a migração de outro software médico para o iClinic, é a análise do banco de dados do sistema utilizado atualmente. Tal análise é realizada pelos nossos especialistas.

Essa análise serve para conseguirmos migrar todos os dados de forma que as informações não se percam ou se misturem, pois cada software médico possui uma forma única de organizar os próprios dados, e esse momento de transição exige um cuidado maior.

Para começar a migração, o cliente precisa exportar seus dados do antigo software e enviar para nossos especialistas. Quando possuímos um conversor pronto, há um prazo de duas semanas para nossos especialistas finalizarem a migração.

Calma, o que é um conversor? Continue a leitura do artigo que iremos explicar.

O conversor é um programa que “traduz” os dados de acordo com o formato em que foram enviados. Se os seus dados estão em uma planilha Excel, por exemplo, é necessário um conversor diferente do que se eles estivessem em formato de arquivo de texto.

O conversor permite que as informações migrem para o iClinic de forma organizada, por conta desse programa desenvolvido exclusivamente para o formato que seus dados estão guardados.

Existem alguns formatos de armazenamento de dados que são mais comuns, como um Excel ou um arquivo de texto. Nesses casos, a organização dos dados é bem mais fácil e rápida. 

Porém, e se o iClinic não tiver um conversor pronto para o formato de armazenamento do seu software atual? Como fica o processo de migração nesse caso?

Quando ainda não possuímos um programa capaz de traduzir o armazenamento do antigo software, é necessário que nossos especialistas reservem um tempo para conseguir desenvolver um novo conversor

como-funciona-a-migracao-para-o-iclinic

Isso significa que a sua migração entrará em uma lista de migrações que ainda não possuem conversor, e será analisada a melhor forma de realizar esse processo, caso seja possível.

Nesses casos, não há um tempo estabelecido para que a migração seja feita, porque cada software médico acaba exigindo um conversor diferente, e não há como saber o nível de complexidade que será na prática.

Existe diferença de migração de um software médico para o outro?

Sim, há uma diferença. Uma parte da resposta está no tópico acima: para cada banco de dados diferente, é necessário um diferente conversor para que possamos exportar os dados para o iClinic.

Isso significa que precisamos criar um conversor para cada software. Se o seu software antigo já possui um conversor, sua exportação será realizada em até duas semanas. Caso contrário, não há um tempo definido.

Vamos explicar um pouco mais sobre essa diferença a seguir.

Dependendo de como o dado é armazenado, é preciso realizar uma análise para extrair a informação. A grande dificuldade é compreender como a informação armazenada está representada no software médico.

Imagine a seguinte situação: no seu software médico antigo, o prontuário eletrônico disponibiliza uma caixa de seleção para que você escolha o estado civil do seu paciente: solteiro, casado, separado, divorciado e viúvo.

No banco de dados do software antigo, essas opções são representadas pelos números 1, 2, 3, 4 e 5. Quando essas informações chegam até nossos especialistas, como descobrir que o número 1 representa o solteiro? 

É por isso que é necessário um certo período para que os especialistas possam realizar uma análise sobre os dados, e desenvolver um programa que traduza de forma correta e eficiente.

Há chance de haver perda de dados durante a migração?

A única chance de ocorrer uma perda de dados durante a migração é se o banco de dados do software médico antigo estiver corrompido, ou seja, com alguma falha ou bug (erro).

Porém, caso o banco de dados esteja de fato, corrompido, essa falha provavelmente aparecerá no próprio software antigo.

Portanto, é extremamente improvável que haja uma perda total de dados durante a migração. Além disso, os especialistas da iClinic estão constantemente preocupados com a segurança dos dados médicos, inclusive, durante a migração.

É importante enfatizar que os profissionais responsáveis pelo processo de migração são profissionais extremamente qualificados na área de tecnologia da informação, e possuem um conhecimento profundo em relação a banco de dados.

Veja o depoimento de outro caso de sucesso, a Amare Pediatria, que usou outro software médico por 4 anos antes de mudar para o iClinic.

“Começamos a procurar por outro sistema. O marido de uma das sócias viu uma propaganda do iClinic e nos indicou. Nós fizemos o teste durante o período gratuito e todo mundo gostou! Todos acharam o sistema muito fácil de usar.”

Se você ainda possui algum receio em migrar para o software iClinic, conheça o Desafio iClinic: caso você não fique satisfeito em 30 dias com o uso do software médico, devolvemos todo o seu dinheiro.

Desafie-se agora: você satisfeito ou seu dinheiro de volta

Conseguiu entender como o processo de migração de dados no iClinic funciona? Conte pra gente aqui embaixo nos comentários, e inscreva-se na nossa newsletter para receber mais conteúdos sobre a iClinic.


Sobre o autor

Yasmim Mayumi

Especialista em Marketing de Conteúdo e estudante de Letras na Barão de Mauá em Ribeirão Preto.