Financiamento para clínicas: como expandir seu consultório

Financiamento para clínicas: saiba como expandir seu negócio

Maria Beatriz Oliveira Gestão da Clínica

Leia em 6 min.

Última atualização em 02/07/2021 por Leandro Barcellos

Para expandir sua clínica ou consultório, é preciso dedicação e investimento. Deve-se fazer uma análise, e considerar quais são as opções seguras de financiamento para clínicas.

Antes de pensar em expandir seu negócio, você precisa entender qual financiamento é capaz de torná-lo viável, assim como analisar toda a sua situação financeira e os aspectos sociais.

Atualmente, existem vários tipos de investimento a serem considerados para clínicas que precisam de crédito para a abertura, ou para a melhoria de seus serviços.

No entanto, deve ser feito um bom planejamento, com metas específicas e mensuráveis, para o resultado positivo ser alcançado.

Para que seu financiamento tenha êxito, ter um CNPJ, capital de giro, e estar sempre atento a boas oportunidades são passos essenciais.

Neste artigo, você vai conhecer algumas opções de financiamento e descobrir como expandir o seu negócio com segurança.

Continue a leitura!

Como expandir o seu negócio com o financiamento para clínicas?

Ter uma clínica ou consultório de sucesso é o sonho de muitos profissionais de saúde. Para que tal meta seja alcançada, entender de finanças e empreendedorismo é fundamental.

Como essas matérias ainda não são disponibilizadas nas faculdade de Medicina, diversos médicos se veem em apuros quando precisam lidar com a parte administrativa de seus negócios.

A administração é um ponto importante, pois você precisará cumprir com a responsabilidade assumida com o empréstimo, gerar lucro e procurar investir.

Agora, confira algumas dicas para realizar o financiamento para clínicas da melhor forma possível. 

1. Realize um planejamento e trace objetivos

Qual é o seu principal objetivo ao buscar pelo financiamento?

Para expandir seu empreendimento com qualidade, você precisa definir metas realistas, bem como considerar a atual situação da sua clínica e os maiores desafios que ela enfrenta.

O crédito irá alavancar o seu negócio. A separação do fluxo de caixa é indispensável, e o ideal é não comprometer mais do que 30% do mesmo.

Além do mais, você precisa avaliar as taxas, e realizar os seguintes questionamentos: 

  • Como a clínica arcará com as parcelas? 

  • Qual é o capital necessário para tirar o plano do papel? 

  • Quais são os prazos de pagamento?

O lucro não costuma ser imediato, e você deve contar com um capital de giro para suportar as despesas recorrentes até conseguir obter retorno.

O capital de giro é todo o capital financeiro que a empresa possui para arcar com seus custos operacionais, mantendo seu negócio em funcionamento. 

Pode ser calculado pela diferença entre os recursos disponíveis em caixa e a soma de despesas mais contas pendentes. Por isso, é preciso atenção.

2.  Pesquise com atenção e faça simulações

Existem inúmeras peculiaridades inerentes a cada linha de crédito. Você precisará de uma análise atenta para considerar as restrições, encargos, e os limites de cada política.

Com a tecnologia, é possível fazer centenas de simulações. Por meio delas, você pode comparar as modalidades entre si, bem como com seus objetivos.

No site do BNDES, você encontra diversas opções para simular o financiamento desejado de acordo com o tipo de crédito.

Você também pode, após escolher seu tipo de financiamento, entrar em contato com um especialista da empresa ou banco, e solicitar uma simulação.

É válido lembrar que solicitar o auxílio de um contador pode ser essencial. Um estudo feito pela ANPAD sobre o uso da contabilidade na obtenção de financiamento para pequenas empresas afirma que:

“As entidades da amostra que elaboravam suas demonstrações contábeis com base nos princípios contábeis da competência e da oportunidade, e que as submetiam à auditoria externa tinham acesso mais fácil ao crédito, além de terem conseguido desenvolver mais seus negócios do que as organizações que não adotaram as mesmas práticas.”

3.  Saiba qual é o CET (Custo Efetivo Total)

Além das taxas de cada linha, os bancos também apresentam tarifas administrativas que devem ser consideradas nas simulações.

Por isso, não se esqueça de conferir qual será o CET da operação para descobrir o custo exato, evitando acréscimos nas parcelas e perda de dinheiro.

Você consegue descobrir o CET por meio de sites como Itaú, Procon, Banco Central do Brasil, entre outros.

Lembre-se que o sucesso de sua clínica depende de um bom controle financeiro. Veja mais dicas sobre o assunto no vídeo:

Conheça as 5 principais opções de financiamento para clínicas

De acordo com uma pesquisa do SEBRAE, 8 em cada 10 empresas usaram algum tipo de financiamento em 2014, desde pagamento de fornecedores a prazo até cheques pré-datados e empréstimos diversos.

Micro e pequenos empresários podem enfrentar dificuldades na hora de conseguir o contrato de uma linha de crédito, pois o excesso de burocracia e as altas taxas de juros são dois grandes empecilhos.

Contudo, sua clínica pode contar com diversas modalidades de crédito capazes de atender a essas necessidades. Dessa maneira, você consegue obter auxílio para qualquer que seja seu objetivo.

Confira a seguir alguns tipos de financiamento procurados pelas clínicas médicas.

1. BNDES

O Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES) apresenta algumas opções de financiamento do governo para pequenas empresas a juros baixos quando comparados aos bancos tradicionais.

Com ele, você obtém crédito exclusivo por meio de um cartão para equipamentos, veículos, construção e ampliação da clínica, em um pagamento de até 5 anos.

Ao solicitar, você precisa estar em dia com seus impostos, e pode começar o processo no próprio site.

2. Leasing

O Leasing é ideal se você deseja adquirir equipamentos, máquinas e veículos. O conceito, conhecido como arrendamento mercantil, constitui-se numa forma de aluguel que pode se converter em compra.

A opção é de médio a longo prazo, apresentando várias linhas de crédito escolhidas de acordo com o que a clínica precisa.

Ao final do contrato, você pode optar por comprar o equipamento com o direito a abater o valor pago ao aluguel, renovar o contrato, ou devolver o bem em questão.

Operações de Leasing não cobram o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), sendo indicadas quando a intenção é ficar com o bem definitivamente, ou renovar o contrato de tempos em tempos.

3. Antecipação de recebíveis

A antecipação de recebíveis constitui uma modalidade de empréstimo. A empresa recebe os lucros de forma antecipada, e o processo costuma ser menos burocrático do que outras operações.

Indicada para aqueles que não possuem capital de giro, com a antecipação, você acelera sua empresa, obtém maior liquidez e otimiza seus recursos.

Os tipos de antecipação podem incluir cartões de crédito, duplicatas ou cheques pré-datados. Ela é feita por instituições bancárias e adquirentes de cartão de crédito como a Cielo e a GetNet. 

É uma alternativa de curto prazo, devendo ser utilizada apenas para despesas mais urgentes, de forma a não prejudicar o fluxo de caixa da clínica.

Aprenda mais sobre gestão financeira em nosso eBook gratuito:

eBook Gratuito de Gestão financeira para Consultórios: garanta o sucesso do seu negócio!

4. Conta garantida

É uma modalidade parecida com o cheque especial, porém, os juros costumam ser mais baixos.

Essencial para atender necessidades eventuais do fluxo de caixa, os juros são cobrados apenas sobre o limite solicitado, que costuma variar conforme a capacidade de pagamento da empresa. 

Para contratar, deve ser feita uma garantia – caução ou alienação fiduciária, por exemplo -, e contar com o aval de todos os sócios.

5. Project Finance

O Project Finance permite a estruturação financeira de projetos de grande porte, cuja fonte de receita do pagamento provém do fluxo gerado pela operação.

Com ele, é possível a realização de projetos cujo porte seja superior ao de seu patrocinador. 

Essa forma de financiamento pode ser especialmente válida em países onde os empreendedores encontram dificuldades na obtenção de recursos financeiros.

A estrutura apresentada no Project Finance é feita de modo a alocar os recursos financeiros e riscos com maior eficiência do que a obtida por meio do financiamento tradicional.

Ele requer uma entidade legal cujo negócio é gerar fluxo de caixa para o projeto, podendo ser financiado por muitas empresas ao invés de apenas uma.

Viu só? Realizar o sonho de investir em uma clínica pode estar mais perto do que você imagina!

Cada uma das linhas apresentadas trazem uma vantagem, e você deve considerá-las de acordo com seu objetivo, lembrando-se sempre de pesquisar e agir com cautela.

Ainda, conforme citado, procurar a ajuda de um especialista em finanças é fundamental para realizar seu financiamento, pois assim você obtém todo o suporte necessário.

Vale dizer que se você deseja alcançar uma gestão financeira de excelência, é essencial contar com o auxílio de um software médico para automatizar todos os seus relatórios e movimentações

Assim, mesmo com uma rotina agitada de atender pacientes e administrar uma clínica, você garante que todas suas transações são registradas, e seu controle financeiro nunca é deixado de lado.

Dessa forma, você economiza tempo, e foca em traçar estratégias assertivas, como fazer um fundo de reserva e realizar investimentos.

O resultado será uma ótima gestão e um sucesso cada vez maior!

Espero que este artigo tenha te ajudado! Antes de ir, não se esqueça de deixar um comentário e compartilhar com os amigos.

[5]:
[16]:


Sobre o autor

Maria Beatriz Oliveira

Especialista em Marketing de Conteúdo e estudante de Marketing na Uninter.