4 Perguntas fundamentais antes de montar seu consultório

Tire suas principais dúvidas para montar seu consultório

Leia em 5 min.

Quer montar seu consultório mas tem dúvidas de como estruturá-lo da melhor forma possível? Descubra dicas incríveis para não cometer os erros mais comuns. 

Segundo a Demografia Médica 2018, em menos de cinco décadas o número de médicos no Brasil cresceu 665,8%, um crescimento maior que o da população geral, que foi de 119,7%.

Em um mercado tão concorrido como é a área da medicina, para garantir um consultório de sucesso não basta ser um ótimo profissional. 

É preciso ter conhecimentos sobre gestão e marketing médico, assuntos que normalmente não são abordados durante os cursos de medicina, apesar de muitos profissionais terem o sonho de montar seu consultório.

Para expandir seu conhecimento e preparar-se para enfrentar o mercado, elaboramos este artigo para tirar as principais dúvidas que podem aparecer nesse processo.

Continue a leitura!

4 perguntas que você deve fazer antes de montar seu consultório

Montar um consultório não é um processo simples, principalmente para médicos que não tiveram nenhum curso sobre administração ou empreendedorismo.

Pensando em te ajudar a colocar seu sonho em prática, separamos neste artigo as 4 principais perguntas que você deve se fazer durante o planejamento do seu consultório. Acompanhe!

1. Devo ter um sócio?

Um dos primeiros questionamentos, que deve ser feito antes de montar seu consultório, é decidir se a melhor escolha é realmente montá-lo sozinho, ou contar com a ajuda de um sócio.

Abrir um consultório em sociedade pode trazer diversas vantagens, principalmente no começo, quando o consultório ainda não consegue trazer um bom retorno financeiro ou se manter sozinho.

Dividir as contas é uma ótima maneira de não ficar sobrecarregado, e caso seu sócio seja de uma especialidade “compatível com a sua”, como em casos de um pediatra com um psicólogo, ambos podem se recomendar para seus pacientes.

Contar com pontos de vistas diferentes sempre traz uma visão mais ampla do negócio, como um problema que você não conseguiria ver sozinho, ou até mesmo uma solução para um processo complexo. 

Porém, abrir um consultório com um sócio nem sempre é fácil, afinal, desavenças podem surgir com qualquer pessoa, e talvez esse tipo de negócio em conjunto não seja seu foco no momento.

Se você chegar a conclusão que ter uma sociedade é a melhor opção, lembre-se de procurar um sócio que esteja em sintonia e de acordo com seu planejamento

Veja neste artigo os os principais tipos de sociedade para clínicas e consultórios médicos.

2. Como consigo meus primeiros pacientes?

Ser um excelente médico não basta para atrair pacientes, principalmente quando você acaba de abrir seu consultório. 

Demora um certo tempo até você conquistar e fidelizar pacientes, e até mesmo para ser reconhecido no mercado. Por isso, considere pelo menos no primeiro momentose aliar a um plano de saúde e atender pacientes através de convênios.

Apesar da remuneração ser mais baixa do que atender pacientes particulares, você consegue garantir mais facilmente um fluxo constante de pacientes.

Dessa forma, você consegue um ótimo marketing boca a boca e faz seu serviço médico ser reconhecido. Com um bom investimento, no futuro você pode até mesmo escolher atender apenas pacientes particulares

Segundo Jonah Berger, especialista em marketing, o boca a boca é o fator primário por trás de 20% a 50% de todas as decisões de compra.

Falando em marketing, não se esqueça de se aprofundar no assunto e aplicar práticas do marketing médico para aumentar sua visibilidade e atrair mais pacientes.

Afinal, seu consultório só será conhecido com uma boa divulgação.

Considere contratar uma agência especializada, caso tenha receio de investir e aplicar o marketing por conta própria. Assim, você garante que nenhum erro será cometido.

Quer conhecer 3 técnicas incríveis para aumentar o número de pacientes no seu consultório? Baixe nosso eBook gratuito sobre o assunto agora mesmo:

Microbook Grátis: Conheça 3 técnicas simples para aumentar o número de pacientes na clínica. Clique aqui!

3. O que preciso saber para gerenciar o consultório?

Mesmo que você tenha um contador, um administrador e até mesmo uma consultoria de gestão, é essencial que como dono — ou sócio — você também entenda as questões administrativas do consultório.

Conhecer os custos fixos — água, luz, aluguel, telefone — e os custos variáveis da clínica — luvas descartáveis, equipamentos, papéis – é entender como esses valores podem ser usados para calcular o custo real de uma consulta, além de trabalhar em estratégias de redução de custo.

Determinar o preço da consulta é fundamental, especialmente se você deseja atender apenas ou majoritariamente pacientes particulares.

Aprenda como é feita a gestão de um consultório, quais as novidades tecnológicas disponíveis no mercado e como mantê-lo sempre cumprindo seu principal objetivo – atender seus pacientes – com o máximo de eficiência.

Existem no mercado diversas ferramentas digitais que auxiliam a gestão médica e facilitam sua rotina, e as empresas realmente dedicadas estão sempre oferecendo conteúdos educativos voltados para esses assuntos.

Além do conhecimento sobre gestão, um médico empreendedor também precisa saber algumas práticas do marketing médico, como já mencionamos no artigo.

4. Quanto vou precisar investir?

Independente do tipo de negócio que você possui, saber exatamente quanto investimento será necessário para começar a pôr o projeto em prática é essencial.

Na área da saúde não é diferente. Afinal, de nada adianta você oferecer um excelente atendimento e acabar fechando sua clínica por problemas administrativos e financeiros.

Primeiro, pense que o investimento inicial deve ser suficiente para a compra de móveis, para o aluguel de alguns meses, pagamento dos funcionários, manutenção da estrutura física e equipamentos, além de um fundo de reservas.

O fundo de reservas servirá então para cobrir esses momentos de emergência que surgem quando a clínica ainda não consegue cobrir todos os seus gastos com o capital de giro.

O investimento de tempo para garantir que toda a burocracia de abertura do consultório será seguida também precisa ser levado em conta, afinal, é preciso regularizar seu consultório para abrí-lo de fato.

É necessário que tudo esteja bem resolvido antes de abrir a agenda para a atender seus primeiros pacientes.

Outro ponto é quanto ao recolhimento de impostos.

Existem diversas categorias de impostos, as quais você pode optar e esta decisão envolve alguns fatores-chave, como a folha de pagamento.

Estar atento ao aspecto tributário e se planejar para tal pode te ajudar a economizar muito dinheiro – o que é fundamental no começo da sua clínica.

É importante lembrar que o seu consultório não terá um ótimo retorno logo no início, é necessário um período até que ele comece a trazer todas as vantagens que um consultório próprio proporciona.

Porém, não veja essa demora como um desencorajamento. Ao começar sua clínica é não é preciso ter pressa, pois assim como sua vida acadêmica, todo o esforço e dedicação serão recompensados no futuro.

Lembre-se de planejar todos os detalhes, tomar as decisões de forma segura, calcular bem os investimentos necessários, investir em marketing e compreender que o setor da saúde tem um ritmo próprio.

Quer se aprofundar mais? Conheça nosso curso sobre gestão médica e obtenha mais conhecimento agora mesmo:

Curso de Gestão para Clínicas e Consultórios. Inscreva-se agora!

Ainda tem alguma dúvida sobre como montar seu consultório? Pergunte aqui embaixo nos comentários, reaja e não se esqueça de compartilhar o conteúdo!


Sobre o autor

Yasmim Mayumi

Especialista em Marketing de Conteúdo e estudante de Letras na Barão de Mauá em Ribeirão Preto.