Qual é o nível de remuneração e satisfação dos médicos no Brasil?

Qual é o nível de remuneração e satisfação dos médicos no Brasil?

Leia em 5 min.

Quem possui uma renda maior, médicos especialistas ou generalistas? Os médicos no Brasil estão satisfeitos com sua remuneração? Tire aqui todas as suas dúvidas e descubra outros dados interessantíssimos dessa pesquisa.

Será que os médicos brasileiros estão satisfeitos com sua profissão? Qual é o nível de remuneração desses profissionais? 

O Medscape, site que oferece as últimas notícias da área médica com perspectivas de especialistas, e informações sobre medicamentos e doenças, realizou uma pesquisa abrangendo inúmeros aspectos da realidade médica. 

Esse estudo contou com a ajuda de 1.599 médicos, que responderam o questionário de forma anônima.

Descubra os principais resultados da pesquisa a seguir, e qual é o nível de remuneração e satisfação dos médicos. Continue a leitura e saiba mais!

Pesquisa Medscape 2019: Remuneração e satisfação dos médicos no Brasil

Para conseguir se destacar no mercado de saúde, é fundamental entender qual é posicionamento dos médicos empreendedores e, assim, você consegue saber exatamente como agir para se destacar dos concorrentes.

Pensando nisso, trouxemos a pesquisa realizada pela Medscape para te ajudar a obter ainda mais sucesso na carreira e no seu consultório. 

A maior parte dos participantes da pesquisa tinham uma faixa etária entre 28 a 34 anos (27%), enquanto 20% dos médicos possuíam 35 a 39 anos, e 14% de 40 a 44 anos.

Dos respondentes, 79% dos médicos se declararam brancos, enquanto 17% eram pardos, 5% amarelos, 3% negros, 2% nativos, e 3% não responderam ou não se encaixavam em nenhuma categoria disponível.

A região sudeste concentrou 53% dos profissionais da pesquisa, enquanto a região sul contava com 24%, a nordeste aparecia em terceiro lugar com 13%, a região centro oeste 7%, e a norte apenas 3%.

Veja a seguir 7 principais dados levantados na pesquisa. Acompanhe!

1. Quem ganha mais: médicos especialistas ou generalistas?

O primeiro levantamento do Medscape, realizado em 2017, mostrava que a diferença de remuneração entre os profissionais especialistas e generalistas era de R$ 17.000,00 reais a mais para os especialistas.

Em 2019, essa diferença é ainda maior, mostrando que os especialistas costumam ganhar R$ 55.000,00 reais a mais do que os generalistas no período de um ano de trabalho.

2. Diferença na remuneração por gênero

Independente dos profissionais serem generalistas ou especialistas, as mulheres ganham em média 30% a menos que os profissionais do gênero masculino.

Quando falamos de generalistas, as mulheres ganham R$ 41.000,00 reais a menos na renda anual, enquanto como especialistas, elas recebem R$ 61.000,00 reais a menos.

3. Estilo de vida dos médicos

As perguntas sobre estilo de vida buscavam entender como esses profissionais costumam utilizar sua renda, ou seja, qual a porcentagem de investimento em cada categoria específica. Acompanhe os resultados:

61% dos médicos respondentes da pesquisa vivem de acordo com seus recursos, ou seja, não gastam mais nem menos do que costumam ganhar de renda. 

Enquanto isso, 29% afirmou viver abaixo dos seus recursos, gastando menos do que ganha, e 9% responderam que gastam mais do que recebem. O outro 1% não soube responder a questão.

Quando questionados sobre as principais despesas em suas rotinas, a principal despesa levantada foi gastos com filhos, liderando as respostas em 42%.

Outras despesas citadas frequentemente foram: escola particular para os filhos (33%), despesas médicas (32%) e financiamento da casa (27%).

4. Quanto tempo os médicos gastam com processos burocráticos?

Nesta questão, processos burocráticos envolvem preenchimento de papéis, fichas e documentos, além de tarefas atreladas à gestão da clínica.

Dos respondentes, 24% afirmaram passar de 10 a 14 horas por semana realizando processos burocráticos, como preenchimento de papelada ou realizando tarefas de gestão.

Além disso, ao somar todos os profissionais, que afirmaram gastar mais de 15 horas por semana com tarefas burocráticas, temos representados quase metade de todos os respondentes da pesquisa. 

Ou seja, a pesquisa destaca o quanto tarefas burocráticas, e quanto o papel ainda tem um peso considerável na rotina de alguém que deveria utilizar seu tempo com o que é mais importante, seus pacientes.

5. Como os médicos julgam sua remuneração?

Quando questionados sobre o seu nível de satisfação em relação à remuneração recebida, 61% dos médicos sentem que a sua remuneração não é justa

Um ponto de destaque é que a maioria, daqueles que estão satisfeitos com a sua remuneração, são profissionais especialistas.

satisfacao-dos-medicos

6. Os profissionais de saúde estão satisfeitos com seu desempenho?

Sobre a satisfação em relação ao seu próprio desempenho, 61% dos profissionais declararam que se sentem satisfeitos com seu serviço médico, enquanto 19% afirmaram que estão muito satisfeitos, totalizando 80% médicos.

Enquanto os outros 20% dos respondentes, 13% não estavam satisfeitos nem insatisfeitos em relação ao seu atendimento, 6% estavam insatisfeitos, e 1% muito insatisfeitos.

7. Os médicos escolheriam a medicina novamente?

Os profissionais participantes da pesquisa responderam uma importante questão sobre os aspectos mais difíceis da carreira médica. Escolheriam eles novamente esse caminho, caso tivessem a oportunidade?

O maior desafio, segundo os médicos respondentes, são as horas excessivas de trabalho, liderando com 36% das respostas. Já 21% dos profissionais afirmaram que o maior obstáculo é obter um reembolso justo com as seguradoras e planos de saúde.

Além dessas questões, 17% dos médicos também apontaram o fato de ter que lidar com pacientes difíceis como o maior desafio do trabalho.

Quando questionados sobre os pontos positivos da carreira médica, o aspecto mais positivo citado foi “ser bom no que faço: encontrando respostas, fazendo diagnósticos”, com 25% das respostas.

O segundo aspecto mais positivo foi “ganhar bem e fazer um trabalho que eu gosto” com 23%, e “gratidão e/ou relação com os pacientes” logo em seguida, com 21%.

Então, veio uma pergunta fundamental da pesquisa: você escolheria a medicina novamente como carreira?

Apesar da maioria dos médicos estarem insatisfeitos com a sua remuneração, e identificarem diversos desafios em sua jornada de trabalho a maioria (76%) responderam que escolheriam a medicina novamente.

Dos que responderam que escolheriam a medicina novamente, 69% dos profissionais afirmaram que escolheriam inclusive a mesma especialidade médica

Outro ponto curioso dessa resposta é que a maioria dos respondentes que escolheriam a mesma especialidade são médicos especialistas.

O período da coleta de informações da pesquisa foi entre 28 de fevereiro a 10 de abril de 2019. A margem de erro para o estudo foi de aproximadamente 2,45%, com um nível de confiança de 95%.

Esses foram os principais resultados coletados pela pesquisa da Medscape no ano de 2019. 

É importante enfatizar que os dados do relatório são coletados por uma amostragem de médicos membros do Medscape, ou seja, não necessariamente são informações que abrangem uma população médica maior.

Quer acessar a pesquisa na íntegra? Clique aqui.

Se quiser receber mais conteúdos como esse diretamente no seu e-mail, inscreva-se na nossa newsletter para receber outros dados interessantes sobre a sua área!

Cadastre-se na Newsletter do iClinic

E aí? O que achou dos resultados da pesquisa? Você se sente representado por essas informações? Conte pra gente aqui embaixo nos comentários e não se esqueça de compartilhar o conteúdo!


Sobre o autor

Yasmim Mayumi

Especialista em Marketing de Conteúdo e estudante de Letras na Barão de Mauá em Ribeirão Preto.