Economia Colaborativa na Saúde: 5 principais vantagens

Economia Colaborativa na Saúde: 5 principais vantagens

Rosane Feitosa Gestão da Clínica Leave a Comment

Leia em 3 min.

O conceito de economia colaborativa na saúde segue uma tendência mundial e vem da ideia mais ampla de compartilhamento de recursos.

O entendimento desse movimento já [e bastante consolidado em segmentos como o de carros por aplicativo e softwares médicos, mas ainda é novo em outras áreas. 

A proposta é usar inteligência para oferecer um serviço de qualidade com o menor custo possível. As vantagens são para quem atende, e para quem é atendido.

Agenda cheia, estoques baixos, custo mínimo para prestação do serviço. 

É assim que as ideias que seguem o conceito de economia colaborativa na saúde conseguem eliminar desperdícios, e oferecer ganhos para ambos os lados. 

Um dos maiores exemplos dessa tendência é o compartilhamento de consultórios no sistema pay-per-use (pague pelo uso). 

Isso quer dizer que, ao invés de alugar ou mesmo compartilhar um espaço com outros profissionais de saúde, há locais com toda estrutura que podem ser ocupados somente de acordo com a demanda e pelo tempo que o profissional estiver atendendo.

Continue a leitura e descubra os 5 principais benefícios da economia colaborativa na saúde. 

Acompanhe!

Principais vantagens da economia colaborativa na saúde

Espaços colaborativos oferecem ao profissional de saúde muito mais do que apenas a redução de custos com o consultório

Entre os demais benefícios, está a oportunidade de atender em vários locais diferentes ao longo da semana. Dessa forma, é possível buscar os pacientes certos onde eles estão.

O suporte de serviços e infraestrutura adequada também eliminam os maiores desafios encontrados pelos profissionais quando pensam em abrir seu próprio consultório

No entanto, a economia colaborativa na saúde oferece vantagens ainda mais amplas, que transcendem o pessoal.

Vamos descobrir quais são elas?

1. Flexibilidade

Até pouco tempo, a rotina de um profissional de saúde era restrita aos locais de trabalho nos quais ele está vinculado. 

Mudanças de planos na vida pessoal ou atendimentos de casos de pacientes específicos representavam um desafio. 

Com a economia colaborativa na saúde, o profissional leva seus conhecimentos e habilidades para onde estiver. 

Médicos e nutricionistas com marketing bem consolidado, por exemplo, frequentemente são solicitados para atender em outros locais do país, e encontram em espaços colaborativos a oportunidade ideal.

2. Vantagem financeira

O profissional só precisa ter um consultório próprio se quiser. 

Nos ambientes de consultórios compartilhados que mais se adequam à tendência colaborativa, o pagamento é feito somente pelas horas utilizadas

Assim, não há momentos ociosos ou prejuízo com janelas entre consultas. 

Para o paciente, pode haver também vantagem financeira, pois o profissional pode cobrar um preço mais razoável em decorrência da redução de custos e otimização de seus recursos.

3. Escalabilidade

O conceito de escalabilidade diz respeito ao acesso. 

Quanto maior a capacidade de escalar um serviço, mais pessoas poderão usufruir dele, menor o custo do profissional por cada atendimento, o que possibilita um maior volume de atendimentos

Em um consultório colaborativo, o serviço oferecido é, de certa forma, escalável. 

Para as pessoas que vivem ao redor, haverá boa oferta de horários e preço justo, sem queda da qualidade de atendimento, tudo com a mesma estrutura base. 

Cabe ao profissional de saúde somente fazer seu próprio trabalho, sem precisar preocupar-se com a gestão.

4. Network

Tratamentos multidisciplinares são comuns em clínicas e hospitais. No entanto, ficam restritos às pessoas do mesmo convívio. 

Já em espaços de economia colaborativa na saúde, é possível realizar networking com pessoas das mais diversas áreas, e expandir o grupo de profissionais interdisciplinares.

Da mesma forma, o relacionamento com diferentes pessoas amplia ainda mais a rede de indicações, contribuindo para a conquista de uma agenda de pacientes ainda mais consolidada.

5. Uso inteligente de recursos

Essa é a vantagem da economia colaborativa na saúde mais ampla, menos visível, mas talvez a mais importante do ponto de vista global. 

Iniciativas de compartilhamento levam a um menor consumo, ao uso pleno dos recursos e, consequentemente, desaceleram o esgotamento de recursos naturais

Apesar de muito inteligente e eficaz, a economia colaborativa é, principalmente, necessária. 

Priorizar o acesso ao invés da posse é urgente e necessário e pensar nisso em todas as áreas é o futuro dos padrões de consumo de forma geral.

Ficou interessado em conhecer um espaço colaborativo na área da saúde? Entre em contato conosco e conheça o Espaço Plennus!


Sobre o autor

Rosane Feitosa

Rosane Feitosa, co-fundadora do Espaço Plennus, é administradora por formação. Especializada em pessoas, possui mais de 30 anos de experiência em gestão pública. Motivada sempre pelo propósito de inovar e pela crença de que é compartilhando experiências que vamos mais longe, investiu no sonho de empreender. Surgia assim o Espaço Plennus, um coworking para profissionais da saúde com a proposta de inovação, flexibilidade e criatividade para este segmento.