Ícone do site Blog iClinic – Dicas para gestão de clínicas e consultórios!

5 tecnologias da medicina robótica que salvam vidas

5 tecnologias da medicina robótica que salvam vidas
Leia em 3 min.

As tecnologias da medicina robótica como robôs-cirurgiões, simulação clínica, mapeamento 3D e robôs-entregadores, salvam vida há anos e ganham cada vez mais destaque no Brasil. 

Os robôs estão ocupando todos os setores da sociedade. Já estão presentes na indústria, em casa, em redes de fast food e, claro, no setor de alta tecnologia.  

Os robôs se tornaram onipresentes pois são precisos, eficientes e rápidos na execução de tarefas mecânicas – e até mesmo funções mais complexas, que exigem algum processamento.   

Na Medicina, a robótica tem sido utilizada em cirurgias e tratamentos diversos há alguns anos. 

É o caso de médicos que realizam a cirurgia por meio de um equipamento remoto que transmite os movimentos para um robô dentro do hospital, às vezes milhares de quilômetros de distância.  

Pessoas que perderam os movimentos por razões diversas também já conseguem voltar a ter alguma mobilidade por conta de vestimentas robóticas que dão sustentação ao corpo.  

Na Copa do Mundo do Brasil, em 2014, o cientista Miguel Nicolelis exibiu o seu exoesqueleto mecânico produzido no Brasil que permitiu a um rapaz paraplégico dar o primeiro chute na bola do evento.  

A robótica ainda tem muito a contribuir com a Medicina.  

Neste artigo, vamos explorar alguns dos benefícios que a robótica pode trazer para o campo da saúde humana, salvando pessoas e recuperando a qualidade de vida de muitos pacientes. Confira: 

5 tecnologias da robótica aplicada à Medicina que já estão salvando vidas 

Esta lista foi criada com base em informações existentes sobre resultados positivos alcançados com o uso da robótica na área da Medicina. 

De acordo com dados levantados por entidades médicas, em 2020 foram realizadas mais de 1 milhão de cirurgias robóticas em todo o mundo. 

Ao todo, 8,5 milhões de procedimentos com robôs já foram feitos desde a introdução da tecnologia no setor, em meados de 1990.  

1. Telecirurgia 

A presença da internet no cotidiano – a chamada sociedade conectada – ficou ainda mais evidente após a pandemia de COVID-19.  

Os atendimentos médicos, com alguma dificuldade, acompanharam essa nova forma de trabalhar.  

A telecirurgia, ou cirurgia robótica, é feita a distância por meio de um médico que ministra um robô com câmeras 3D e pequenos braços robóticos com instrumentos cirúrgicos. 

Esse tipo de procedimento é feito no Brasil há alguns anos. Na verdade, já somos o país que mais realiza cirurgias robóticas na América Latina. 

Segundo dados da Intuitive Surgical, foram realizados mais de 8 mil procedimentos em todo o país apenas em 2018. 

Os robôs médicos são utilizados, principalmente, na urologia e em cirurgias torácica e abdominal.  

2. Processamento de dados 

Aqui, devemos expandir o conceito de robótica para a informática. Os robôs são hardwares, mas há também muito software envolvido na Medicina.  

Esses programas funcionam processando dados da saúde do paciente de forma a otimizar diagnósticos, avaliar, agrupar e classificar dados em geral.  

Muitas decisões médicas e de gestão hospitalar podem ser realizadas com o uso de softwares e algoritmos customizados para a Medicina e a saúde no geral. 

3. Robôs-entregadores 

Os robôs-entregadores conseguem transportar equipamentos, medicamentos, entre outros produtos médicos a qualquer região, seja em um hospital, em um bairro ou uma clínica. 

O Aethon TUG Robot é um desses robôs. Ele consegue suportar 454 quilogramas, e no hospital de Washington ele já viajou 4786.1891 quilômetros e completou 26,574 entregas

Com essa inovação, os profissionais de saúde que antes gastavam tempo realizando entregas, podem focar em atender pacientes, e em casos de doenças contagiosas, nenhum especialista é exposto. 

4. Mapeamento 3D 

Equipamentos de precisão já conseguem mapear em três dimensões órgãos comprometidos por uma doença ou condição excepcional apresentada pelo paciente.  

Esses dispositivos permitem a visualização de imagem em alta definição com ampliação de até 10 vezes e visualização tridimensional

5. Simulação clínica 

Além do campo prático, aplicado à realidade de clínicas e hospitais, a robótica serve ainda para propósitos educacionais.  

Ainda no período de treinamento técnico e estudos, médicos podem praticar o que aprenderam nos livros em equipamentos de simulação clínica profissional. 

O uso de equipamentos robóticos, aliado à tecnologia de software 3D e inteligência artificial, contribuem para a formação de médicos com alta capacidade de execução técnica dos mais variados procedimentos.  

Antes de partir para o paciente, o médico pode treinar a cirurgia em um corpo digital, por meio de braços robóticos.  

Parece assunto de ficção científica, certo? Mas esses procedimentos e tecnologias existem na vida real.  

Há inclusive um curso de pós-graduação em Cirurgia Robótica, que prepara profissionais formados a trabalhar com essas tecnologias.  

O curso é oferecido pela IPEMED, instituição que faz parte do Grupo Afya Educacional, o maior grupo de educação médica do país, em parceria com o Hospital Beneficiência Portuguesa. 

Neste artigo você aprendeu as 5 principais tecnológicas da medicina robótica que estão salvando vidas e ganhando destaque no mercado brasileiro. 

Espero que tenha gostado do artigo! Inscreva-se na nossa newsletter para não perder nenhuma novidade.

Gostou deste conteúdo?

Junte-se a mais de 70 mil profissionais de saúde e não perca eBooks, planilhas, dicas e guias exclusivos que vão ajudar na gestão da sua clínica.

Quero receber conteúdos
Sair da versão mobile