Quando um coração faz história…

Quando um coração faz história…

Leia em 2 min.

Você sabia que no dia 3 de Dezembro de 1967 aconteceu o primeiro transplante de coração?

O primeiro transplante de coração aconteceu exatamente a 50 anos atrás na Cidade do Cabo, na África do Sul. O responsável por essa façanha foi o cirurgião sul-africano Christiaan Barnard, na época com 45 anos.

O paciente que recebeu o coração foi Louis Washkansky de 53 anos. Ele tinha o coração bastante danificado devido a diversos ataques cardíacos sofridos. Entretanto, morreu 18 dias depois da cirurgia. Mas, contrariamente ao que se pode pensar, a morte teve como causa uma deficiência pulmonar, o que significa que a cirurgia foi sim um sucesso, e a preocupação principal a respeito da rejeição do órgão tinha sido superada!

Apesar de ser um grande feito na história da Medicina, o evento recebeu várias críticas. Barnard foi acusado de tentar ser Deus, carniceiro e tantas outras ofensas. Cirurgiões da época afirmam que o fator mais relevante que impedia que o transplante de coração acontecesse não era o risco de rejeição do órgão, mas sim a forte associação de que o coração estava ligado à alma da pessoa, o centro de sua personalidade.

No Brasil, o primeiro transplante de coração aconteceu 6 meses após o feito de Christiaan Barnard. O médico responsável pelo procedimento foi Euryclides de Jesus Zerbini.

A quebra de paradigmas com um feito tão polêmico na época trouxe ensinamentos que salvam milhares de vida ao redor do mundo com transplantes de coração. Podemos testemunhar um enorme avanço nas técnicas do transplante e também na capacidade de administração da possível rejeição do órgão, por meio de medicamentos. Isso foi possível não só com o acúmulo de experiências mas também ao aliarmos medicina e tecnologia. Afinal de contas, o transplante de cabeça já é quase uma realidade.

Quer receber mais artigos e novidades do mundo médico e tecnológico? Assine já a nossa newsletter!

Cadastre-se na Newsletter do iClinic

Postagens relacionadas


Sobre o autor

Flávia Saldanha

Analista de Marketing na iClinic, foco em E-mail Marketing e Comunicação. Formada em Economia na USP, com ênfase em Negócios Internacionais.