Sobre o autor
Tales Buonarotti

Novidades do iClinic

Lista de Espera digital na clínica: organize sua agenda!

A Lista de Espera, ou lista de encaixes, é utilizada todos os dias em todos os tipos de clínicas ou consultórios médicos. É aquela lista de pacientes que estão aguardando por um atendimento, mas não encontraram um horário vago na agenda do...

A Lista de Espera, ou lista de encaixes, é utilizada todos os dias em todos os tipos de clínicas ou consultóri...

A Lista de Espera, ou lista de encaixes, é utilizada todos os dias em todos os tipos de clínicas ou consultórios médicos.

É aquela lista de pacientes que estão aguardando por um atendimento, mas não encontraram um horário vago na agenda do médico e, portanto, ficam no aguardo de alguma falta ou cancelamento.

No iClinic, você pode fazer essa lista de espera de maneira muito rápida.

Com essa lista informatizada você tem acesso a todas as informações que você precisa sempre a mãos em apenas um clique!  

Mas antes de falarmos como isso funciona na prática, dentro do sistema, vejamos porque é importante para você usar uma Lista de Espera no seu dia a dia de trabalho.

lista de espera digital de pacientes

Chega de papel, cadernos e post its

Grande parte das clínicas normalmente já faz uma lista de encaixes.

Normalmente, isso é feito no papel: dentro da própria agenda da clínica, em um caderno a parte ou com post its e blocos de anotação.  

Esse método é muito simples e pode até funcionar bem para você, mas tem um sério problema: não é nem um pouco eficiente.

Como as anotações estão no papel, é muito difícil encontrar outras informações sobre o paciente que espera um encaixe, além do que foi anotado.

Se por algum motivo você precisa saber o convênio daquele paciente, ou seu histórico de consultas, por exemplo, vai precisar ir até a ficha daquele paciente para isso – o que faz você perder muito tempo.
 

Usando a Lista de Espera de pacientes no iClinic, todas as informações dos pacientes em espera podem ser encontradas em apenas um clique!

Outra questão é importante é que o papel é muito frágil e estraga com facilidade.

Os post its também são arriscados, pois é muito fácil perderem a cola e se perderem por aí.

Se a clínica perde a informação dos pacientes que estão aguardando por uma consulta, pode tanto perder dinheiro por conta de um encaixe que poderia ter feito e não o fez, como deixar o paciente que pediu para ser encaixado muito insatisfeito por não receber um retorno.

Isso transparece uma desorganização interna da clínica para o paciente e pode prejudicar sua imagem na percepção dele.

Com uma lista de lista no sistema de gestão você não sofre mais com esse problema.

Como todas as informações estão na nuvem, com fácil acesso e totalmente  registrado, nenhum paciente vai ficar sem contato por conta de desorganização.

Além disso, no iClinic, essas informações da lista de espera ficam disponíveis tanto para as secretárias, que vão utilizar no dia a dia da recepção e da marcação de consultas, quanto para os profissionais de saúde, para que acessem sempre que preciso.
 

Evite perder pacientes por conta da agenda cheia

Se você trabalha em um clínica que tem um alto volume de pacientes, você sabe o que é ter uma agenda sempre cheia.

Quando um paciente liga e precisa especificamente de uma data, e você não tem horários vagos, você pode criar uma Lista de Espera de Pacientes.
 

Assim, você organiza todos os pacientes que estão aguardando por um encaixe e atendê-los o quanto antes!

Fazendo isso, por mais que o paciente não consiga o horário desejado naquele momento, você já registra os dados dele – como nome, e-mail e telefone, por exemplo – e pode manter contato.

Afinal de contas, ele é um paciente interessado que quer ser atendido por você! :)
 

Tenha sempre um plano B

Por mais que hoje em dia existam muitos métodos para evitar faltas e cancelamentos de consultas, imprevistos acontecem.

Uma outra situação em que a Lista de Espera se torna muito útil para a clínica é quando algum paciente cancela o agendamento em cima hora.

Isso é muito ruim para a clínica, porque você acaba perdendo dinheiro e ficando com um horário ocioso na agenda.

Com a Lista de Espera isso não acontece mais, pois você consegue rapidamente chamar outro paciente que está esperando por um atendimento para aquele horário e recuperar aquela consulta ou procedimento que, sem a Lista, você perderia.

Como funciona a Lista de Espera do iClinic na prática?

A melhor maneira de ver como tudo isso funciona na prática é testando no seu dia a dia.

Faça um teste totalmente gratuito do iClinic por 14 dias e use a Lista de Espera durante esse período.

Você vai perceber que apesar de ser algo simples, ela vai te ajudar muito no dia a dia, fazendo com que você perca menos dinheiro com consulta canceladas e possa atender melhor os seus pacientes!

Consultas incríveis

como montar clínica

5 Táticas para criar o plano de negócios do seu consultório médico

Atender seus pacientes em seu próprio local de trabalho é o verdadeiro começo da carreira para muitos profissionais de saúde. É o começo da construção de uma reputação como especialista e uma imagem de excelência. Como em qualquer área, alg...

Atender seus pacientes em seu próprio local de trabalho é o verdadeiro começo da carreira para muitos profissi...

Atender seus pacientes em seu próprio local de trabalho é o verdadeiro começo da carreira para muitos profissionais de saúde.

É o começo da construção de uma reputação como especialista e uma imagem de excelência.

Como em qualquer área, alguns levam mais tempo que outros para atingir o sucesso – não é diferente com o médico que deseja montar seu consultório.

O fator que mais influencia no sucesso do médico neste sentido é o conhecimento holístico não só de sua especialidade.

Um consultório deve ser visto uma empresa, uma organização.

Existem obrigações trabalhistas envolvidas, planejamento e operações financeiras e jurídicas, entre outras tarefas que exigem conhecimento e habilidades além da Medicina.

O primeiro passo para o médico que quer montar seu consultório é, sem dúvida, entender todos os fatores envolvidos nesta decisão.

Para isso, desenvolvemos um Guia Definitivo sobre como montar um consultório médico do zero. Você pode fazer o download gratuito do Guia abaixo:

eBook gratuito sobre Como Montar Seu Consultório Médico

Após entender muito bem quais são as principais decisões na hora de montar seu consultório, o próximo passo é montar um Plano de Negócios.

O Plano de Negócios é uma metodologia de planejamento que vai ajudá-lo a não deixar escapar nenhuma decisão importante referente ao seu novo empreendimento – no caso, sua clínica.

Existem muitos modelos de Plano de Negócios na internet e na literatura- o SEBRAE, por exemplo, possui um modelo muito completo e didático –  que você pode utilizar, porém o mais efetivo é você utilizar um pouco de cada modelo e montar o seu próprio.

Afinal de contas, só você conhece as particularidades da sua nova clínica!

De qualquer modo, existem 5 aspectos básicos que não podem faltar em um Plano de Negócios para consultórios:

1. Sumário executivo

Para confeccionar o sumário executivo de seu plano de negócios, defina:

- Quais serão as áreas de atuação de seu consultório,

- Quais são e a forma correta de realizar o recolhimento dos tributos,

- Você terá ou não um sócio?

Estes três fatores são de suma importância, pois estão diretamente relacionados ao tipo de empresa em que seu consultório será registrado perante aos órgãos públicos.

A origem dos recursos também deve ser claramente definida, ou seja, o quanto será proveniente do bolso dos sócios e o quanto será obtido a partir de empréstimos ou financiamentos.

O capital social é importante, pois ele define o quanto o consultório vale e também pode representar acesso a diferentes linhas de crédito oferecidas tanto pelo governo como por entidades privadas.

 fisioterapeuta<em>sao</em>bernardo

2. Análise de mercado

A análise de mercado apresenta os dados formalmente relacionados a concorrentes e, principalmente, pacientes.

A região onde o consultório será instalado também deve ser considerada neste ponto da confecção do plano de negócios.

Na imagem acima, por exemplo, fizemos uma busca no Google para identificar onde estão localizadas as* clínicas e consultórios de Fisioterapia na cidade de São Bernardo do Campo.
*

Você pode fazer o mesmo e buscar entender porque estes consultórios estão localizados em determinada região a quais perfis de pacientes atendem.

É importante que você se faça algumas perguntas, como:

  • Você terá muitos pares atuando na mesma região?
  • Seu bairro é próximo dos seus pacientes?
  • Será que existem muitos médicos nesta mesma especialidade nesta região?
  • Estes médicos já tem o “o nome feito”?
  • Será que há espaço para sua especialidade?*
    *

Faça uma pesquisa sobre a melhor localização a instalar seu consultório, pois isso fará muita diferença no longo prazo.

Logisticamente falando, seus pacientes terão alguma dificuldade para conseguir comparecer às suas consultas?

3. Plano de marketing e comunicação

Para o plano de marketing, é muito importante pensar em como construir uma boa imagem do seu consultório e como será feita a comunicação dos seus serviços.

Estratégias de comunicação online podem – e devem – ser levadas em consideração, afinal, os meios digitais são mais baratos e fáceis de se trabalhar.

A internet pode ser uma forte aliada. Existem diversas oportunidades online para o médico estar sempre bem posicionado nas redes de busca (como o Google, por exemplo).

Em nosso artigo 7 Dicas para aumentar a visibilidade do médico na internet você poderá entender melhor como pode ter uma forte presença na rede.

Porém, cuidado!

O Conselho Federal de Medicina (CFM) possui regras muito especificas a respeito do Marketing Médico e você deve estar atento antes de realizar qualquer tipo de campanha.

Muitas formas de divulgação são proibidas pelo CFM, como a realização de promoções, a divulgação de tratamentos “com resultados garantidos” e até mesmo as famosas selfies com os pacientes.

marketing médico

4. Plano operacional

Neste ponto, deve ser pensada a estrutura física do consultório, assim como* a capacidade produtiva para a execução dos serviços médicos*.

Quantos e quais são os procedimentos médicos realizados?

Talvez eles demandem a ajuda de um profissional adicional e o espaço para esta atividade deve estar previsto no plano operacional.

Quais ferramentas eu posso utilizar para ganhar eficiência na clínica?

Sistemas de gestão podem ser muito úteis para controlar desde a agenda médica, prontuários eletrônicos e até as finanças do consultório.

Centralizados, estes softwares de gestão fornecerão maior controle ao profissional de saúde das atividades da clínica.

Desde a secretária até os locais para limpeza, tudo deve estar detalhado no plano operacional.

5. Plano financeiro

Por fim, porém não menos importante, o* plano financeiro* necessitará muitos detalhes, de impostos até a gestão dos seus custos

Valores de gastos fixos, capital de giro, gastos pré-operacionais, além do faturamento esperado, dos custos dos procedimentos médicos, salários, propaganda, etc.

São muitos detalhes a serem considerados, além dos valores com depreciação de equipamentos médicos, demonstrações financeiras, ponto de equilíbrio dos procedimentos, dados de lucratividade, rentabilidade e quanto tempo o consultório demorará para trazer de volta os valores investidos.

Como centralizar todas estas informações?

Existe uma ferramenta muito simples, entretanto muito poderosa: o Fluxo de Caixa!

Através do Fluxo de Caixa você poderá ter TOTAL controle das contas da clínica e ainda projetar valores no futuro e ter a saúde financeira do consultório no longo prazo.

No artigo 5 Dicas de como controlar o Fluxo de Caixa para clínica e consultório médico você poderá conhecer melhor como funciona o Fluxo de Caixa e* fazer o download gratuito de um modelo de planilha em Excel!*

 Fluxo de Caixa para clínicas e consultórios

Conclusão

Montar seu próprio consultório pode ser trabalhoso, porém é extremamente gratificante e o retorno é muito maior que apenas financeiro.

Com um pouco de dedicação em tempo de estudo destes tópicos que citamos acima, sem dúvida seu consultório terá um grande sucesso e você atingirá tanto sua realização financeira quanto profissional.

E você sempre poderá contar conosco para ser seu parceiro em Gestão!

Além de um sistema completo de gestão para clínicas e consultórios médicos em constante atualização, buscamos ajudar médicos e outros profissionais de saúde a gerenciarem melhor seus consultórios e atingirem a excelência em sua administração.

Consultórios mais organizados e planejados são capazes de oferecer um atendimento melhor aos seus pacientes.

eBook Gratuito sobre Gestão de Clínicas e Consultórios

Como controlar as finanças do seu consultório

5 Dicas de como controlar o Fluxo de Caixa para clínicas e consultórios médicos + Planilha Excel

O fluxo de caixa para clínicas e consultórios é o primeiro e um dos mais importantes passos que todo e qualquer profissional de saúde deve fazer na estruturação do seu empreendimento. É através do fluxo de caixa que você será capaz de saber...

O fluxo de caixa para clínicas e consultórios é o primeiro e um dos mais importantes passos que todo e qualque...

O fluxo de caixa para clínicas e consultórios é o primeiro e um dos mais importantes passos que todo e qualquer profissional de saúde deve fazer na estruturação do seu empreendimento.

É através do fluxo de caixa que você será capaz de saber a situação financeira da sua clínica mês a mês e ter uma ideia se ela está gerando lucro, prejuízo ou ficando no zero a zero.

Se você já tem um fluxo de caixa, vale a pena ler este artigo e dar uma boa revisada nele. Veja se realmente está bem feito e se vai cumprir com todas as necessidades de informação que você precisa ter para realizar um controle eficaz de suas finanças.

Se você ainda não tem, este artigo vai ajudá-lo a entender como o fluxo funciona e como utilizá-lo.

Em ambos os casos, ao final deste artigo você vai receber um modelo de planilha pronto para você usar no dia a dia da sua clínica.

Primeiramente, é imprescindível que você conheça dois conceitos básicos da Contabilidade: Regime de Caixa e Regime por Competências.

O Regime de Competência é aquele que tem por objetivo reconhecer as receitas, custos e despesas nos períodos em que elas acontecem, independentemente se há ou não movimentação financeira.

Em contrapartida, no Regime de Caixa você reconhece as receitas, custos e despesas em suas contas no momento em que há a movimentação financeira referente àquela conta- seja ela recebimento ou pagamento – através dos fluxos de caixa.

fluxo de caixa para clínicas

Por que fazer Fluxo de Caixa para clínicas?

 O controle (fluxo) de caixa é o registro das transações financeiras de um negócio

Esta é a melhor ferramenta de controle das contas do seu consultório, mas o principal é que ela é muito simples de se fazer. Sem precisar de muito esforço, você pode começar facilmente e extrair informações valiosas, além de proporcionar mais controle dos gastos da clínica.

Basicamente você pode fazer o fluxo de caixa de duas formas: manualmente ou digitalmente.

Manualmente, você pode utilizar um Livro Caixa e registrar, no papel, todas as alterações de caixa ao longo do mês. O problema disso é que dificilmente você pode gerar relatórios e gráficos a partir dos dados – isso torna-se uma tarefa muito difícil e extremamente manual.

Utilizando a tecnologia a seu favor, você pode manter os registros em seu computador em uma planilha de Excel ou através de um software com módulo de finanças.

Fluxo de Caixa para clínicas e consultórios

Dessa maneira informatizada fica muito mais simples a realização de relatórios e gráficos constantes para você analisar os dados do fluxo de forma mais simples e visual.

De qualquer modo, para que ele seja realmente útil, é preciso que você tenha em mente algumas dicas para seu fluxo funcionar da melhor forma possível para você.

1. Separar ENTRADAS e SAÍDAS de dinheiro

Como vimos anteriormente, o fluxo de caixa para clínicas é onde ficam registradas as transações financeiras.

Imagine que o dinheiro flui como água no caixa da clínica ao longo do dia, do mês e do ano e, para que você tenha controle da vazão dos recursos financeiros, precisa criar alguns filtros.

O primeiro passo é separar quais destas transações são entradas de dinheiro no caixa (recebimentos de consultas, recebimentos dos planos de saúde, etc) e quais delas são* saídas de dinheiro do caixa* (pagamento da conta do aluguel, água, luz, telefone, etc).

Quando você tem controle sobre as entradas e as saídas você pode fazer um planejamento estratégico de acordo com os dados do fluxo de caixa.

Por exemplo, quando você faz essa análise você consegue ver quais procedimentos e quais convênios são mais rentáveis para a clínica. Assim, você pode focar neles e aumentar seus rendimentos.

Da mesma maneira as saídas de dinheiro. Quando você entende como – e onde – está gastando, pode reduzir custos desnecessários, fazer economias, e pode investir esses recursos em outras áreas mais interessantes.

2. Criar categorias

fluxo de caixa para consultorios

Além saber o dinheiro que entra e sai do caixa, é necessário que você possa identificar a procedência (natureza) destas transações, de modo que saiba a vazão exata dos seus recursos em cada uma delas – ou seja, o quanto gasta e quanto recebe em cada transação que seu consultório realiza.

Cada transação – ou grupo de transações – deve constar no seu fluxo de caixa com um nome que a represente e dentro das categorias de entrada ou saída.

3. Separar suas contas pessoais (PF) das contas do seu consultório (PJ)

Mesmo que você trabalhe como profissional autônomo e não tenha um registro de Pessoa Jurídica, é importante que você separe suas contas pessoais das contas da clínica.

Se você não faz essa separação das contas, você não sabe exatamente quanto fatura, quanto gasta com a empresa e quanto gasta na sua vida pessoal. Isso prejudica o gerenciamento de recursos disponíveis.

Esse comportamento desorganizado pode levar a desfechos muito negativos. Portanto, tenha cuidado.

4. Realizar projeções financeiras

Com a utilização de crédito e políticas de recebimento e de pagamento a prazo, é comum que o profissional de saúde tenha conhecimento das contas a pagar e a receber no futuro.

Dessa forma, você pode facilmente projetar estas transações no seu fluxo na respectiva data de realização (pagamento ou recebimento) e saber, no mês presente, qual será o fluxo de caixa dos meses seguintes.

Essa informação vai ajudá-lo a tomar duas decisões importantes quanto ao seu fluxo:

  • a primeira delas é como você deve negociar os prazos das transações (pagamentos/recebimentos) da sua clínica para que não corra o risco de gerar caixa negativo em algum mês;
  • a outra, é poder prever os seus gastos no futuro e antecipar a possível necessidade de poupar dinheiro para pagá-los sem o auxílio de empréstimos bancários ou cheque especial.

 5. Disciplina e rigor

fluxo de caixa para clínicas

Manter sua planilha ou livro caixa sempre atualizados é de suma importância.

Sempre que ocorrem alterações no caixa, certifique-se de computá-las em sua devida categoria. Tente criar o hábito de sempre lançar as contas nos momentos em que elas ocorrem. Assim você evita esquecimentos.

Manter o fluxo de caixa desatualizado vai prejudicar o bom controle dos seus recursos financeiros e, mais perigoso ainda, dar-lhe informações erradas sobre eles e aumentar o risco de más decisões.

Busque tornar diário o controle do seu caixa, para evitar que qualquer transação passe desapercebida.

6. Adapte à sua realidade

Por fim, eu criei um modelo de planilha simples de fluxo de caixa para clínicas e consultórios, para que você possa começar a utilizar esta ferramenta e vislumbrar seu valor.

Entretanto, este é apenas um modelo, você deve adaptar as contas e categorias à sua realidade clínica e de um modo que fique mais fácil e agradável para você consultar as informações.

“Ok, vou baixar a planilha e virando o mês eu começo!”

Evite deixar esta tarefa para depois!

Baixe o modelo e já comece o quanto antes a editar a sua planilha às suas contas – você verá que é simples, rápido e tranquilo.

Quanto antes você começar a usá-la, mais rápido você criará a disciplina de atualizá-la e se acostumará com seu funcionamento, bem como no primeiro mês já terá uma outra visão – até surpreendente – sobre os custos e despesas do seu consultório.

modulo financeiro iclinic

administração financeira

Caixa negativo NÃO significa necessariamente prejuízo na clínica! Sabe por quê?

Você faz o fluxo de caixa da clínica certinho, como já está acostumado, e percebe que este mês o fluxo deu negativo e faltou dinheiro em caixa para pagar algumas contas, forçando você a tirar dinheiro do bolso para quitá-las. Portanto, este...

Você faz o fluxo de caixa da clínica certinho, como já está acostumado, e percebe que este mês o fluxo deu neg...

Você faz o fluxo de caixa da clínica certinho, como já está acostumado, e percebe que este mês o fluxo deu negativo e faltou dinheiro em caixa para pagar algumas contas, forçando você a tirar dinheiro do bolso para quitá-las.

Portanto, este mês sua clínica deu prejuízo, correto?

A resposta é: depende.

Nem sempre dinheiro em caixa representa necessariamente lucro – e sua falta, consequentemente, prejuízo.

Para entendermos o porque disso, devemos entender dois processos básicos da Contabilidade e aplicáveis ao nosso dia a dia na hora de registrar nossas contas: Regime de Competência e Regime de Caixa.

Regime de Competência e Regime de Caixa

O Regime de Competência é aquele que tem por objetivo reconhecer as receitas, custos e despesas nos períodos em que elas acontecem, independentemente se há ou não movimentação financeira.

Em contrapartida, no Regime de Caixa você reconhece as receitas, custos e despesas em suas contas no momento em que há a movimentação financeira referente àquela conta- seja ela recebimento ou pagamento – através dos Fluxos de Caixa.

Exemplo Prático

Vamos supor, de forma extremamente simplificada, que em seu consultório você tenha as seguintes contas em Janeiro:

1. Recebimento por atendimentos de plano de saúde realizados em Janeiro: R$150,00
(a ser recebido em 3 meses)

2. Custo das consultas (vamos pensar aqui no custo geral de uma consulta para você): R$80,00

Vamos processar estas contas primeiro pelo Regime de Competência

Dessa forma, teríamos que colocar toda a receita em Janeiro, por mais que o dinheiro referente a esta atividade só será recebido por completo 3 meses depois, ou seja, em Março.

Lembre-se, o Regime de Competência quer nos mostrar o resultado financeiro das nossas atividades naquele período, não o fluxo de dinheiro, ou seja, quer nos mostrar quanto ganhamos – ou perdemos – nas atividades que realizamos no mês.

ContasJaneiroFevereiroMarço
*
Recebimento por atendimentos+ R$150,00+ R$0,00+ R$0,00
Custo da consultas- R$80,00- R$0,00- R$0,00
Resultado*
* (Lucro Contábil)
R$70,00R$0,00 R$0,00*
 

Agora vamos fazer diferente, vamos pelo caminho do Regime de Caixa – o famoso Fluxo de Caixa

*Lembre-se, aqui ele quer mostrar para gente as movimentações financeiras que realizamos em cada mês.
*

ContasJaneiroFevereiroMarço
*
Recebimento por atendimentos+ R$50,00+ R$50,00+ R$50,00
Custo da consultas- R$80,00- R$0,00- R$0,00
Geração de Caixa- R$30,00R$50,00 R$50,00
Saldo de Caixa- R$30,00R$20,00R$70,00*
 

Segundo estas duas tabelas acima, você teve lucro ou prejuízo em Janeiro?

A resposta é um pouco mais complexa que apenas “Sim” ou “Não” e a* análise muito mais útil do ponto de vista da tomada de decisão*.

Qual dos dois métodos é o correto?

Ambos. É importante que você entenda para que serve cada um e a relação entre eles.

Vamos pensar no exemplo acima: Você foi capaz de observar pelo Regime de Competência que teve lucro (contábil) no mês de Janeiro, ou seja, suas atividades foram suficientes para manter seu consultório funcionando e ainda ganhar dinheiro com isso.

No entanto, pelo fato do recebimento da sua atividade profissional (no exemplo, as consultas realizadas para planos de saúde) foi a um prazo de 3 meses, você teve de admitir um Fluxo de Caixa negativo no mês de Janeiro.

Portanto, o seu consultório é lucrativo, e a política de pagamentos/recebimentos à prazo que é responsável por penalizar o seu fluxo de caixa.

planilha fluxo de caixa para clinicas

Por que preciso conhecê-los?

Pense novamente no exemplo acima:

No final das contas você terá os mesmos R$70,00 ao final de Março, porém o que aqueles R$30,00 negativos no caixa da clínica em Janeiro significam?

“Se no final das contas eu ainda tenho os R$70,00, tudo bem aceitar o caixa negativo em Janeiro, afinal é uma quantia pequena”

Certo? Erradíssimo.

É exatamente esta informação que deve lhe abrir os olhos para o que a grande parte dos consultórios médicos não sabe e acabam “operando no escuro” ou no limite, ficando reféns de crises financeiras, aumentos de custos e redução nas receitas por perda de pacientes ou por glosas e recursos dos planos de saúde.

Um caixa negativo representa que você vai ficar devendo ao banco ou aos seus fornecedores!

Indiferente para quem você deve, ficar devendo significa que você vai precisar de crédito e, precisar de crédito, significa que você vai ter que pagar juros (às vezes muito altos) para pagar suas contas naquele mês.

Isso vai corroer os resultados positivos da sua clínica e pode, inclusive, causar o seu fechamento em casos mais extremos.

Principalmente ao médico que atende consultas por planos de saúde, é comum que vários recebimentos sofram recursos e glosas, o que torna a gestão desses prazos muito mais necessária para uma boa saúde financeira da clínica.

Qual a utilidade em aplicá-los?

Sabemos que muitos prazos são estabelecidos pelos planos de saúde, porém através destas duas análises você poderá controlar muito melhor as finanças da sua clínica e saber o* fluxo de dinheiro ao longo do ano*, entendendo e podendo tomar decisões sobre o que lhe faz perder dinheiro em alguns meses: é a forma como você recebe dos planos e de seus pacientes? É o número de consultas que caiu? Seu custos que é estão muito altos? Quais custos estão muito altos?

Além disso, praticar estes dois procedimentos contábeis é de suma importância, pois fornece informações importantes ao profissional de saúde sobre sua clínica ou consultório, dentre elas:

  1. Saber se as atividades que você realiza são suficientes para manter sua clínica rentável, ou seja, dando lucro;
  2. Gerenciar melhor os recebimentos dos planos de saúde, glosas e outros recursos;
  3. Controlar melhor o fluxo de pagamentos e recebimentos no caixa da clínica para não gerar inadimplência e ser obrigado a tomar crédito de terceiros.

Atenção, a utilização destes métodos não adiantam nada se você ainda não separou suas contas pessoais das contas do seu consultório.

Não hesite em enviar para gente suas dúvidas através dos comentários, ficaremos muito felizes em ajudá-los a gerenciar melhor sua clínica!

modulo financeiro iclinic