[Conteúdo Vip] Redes Sociais e WhatsApp para Clínicas: o que pode e o que não pode?

[Conteúdo Vip] Redes Sociais e WhatsApp para Clínicas: o que pode e o que não pode?

Leia em 2 min.

Já faz tempo que os aplicativos de mensagem instantânea como WhatsApp, Skype e Messenger deixaram de fazer parte só da nossa vida pessoal. Eles modificaram também as relações interpessoais, profissionais e comerciais.

Sem contar as redes sociais! Para empreendedores, elas são fontes de futuros clientes. Para grandes empresas, um canal poderoso de relacionamento.

E como aproveitar essas novas mídias na área da saúde?

Muitos pacientes preferem confirmar agendamentos, endereço e tirar dúvidas via WhatsApp. Mas com diversos pareceres e proibições vindos do CFM muitos médicos têm receio de explorar esse universo online para se comunicar com seus pacientes.

É aí que queremos chegar, sabe por quê? Tem muitas possibilidades de tornar esses canais uma estratégia fortíssima de fidelização sem dor de cabeça!

Acabamos de produzir um Conteúdo VIP especialmente para lidar com a comunicação com paciente em redes sociais e whatsapp e ainda sugerimos novos meios de relacionamento que fazem toda a diferença.

O material é muito prático e de leitura fácil. Nele você vai tirar dúvidas frequentes, como:

O que pode via redes sociais?

O material tem uma lista do que pode e o que não pode. Um jeito prático, informativo e seguro de usar as redes sociais para conquistar, manter e fidelizar pacientes.

O que pode via WhatsApp?

Permissões, recomendações e muitas inseguranças esclarecidas. Para não restar dúvidas, você pode conferir as duas listas: a do que pode ou a que é melhor evitar.

O download é livre, você só precisa clicar aqui embaixo:

Conteúdo VIP: Saiba o que você pode e não pode fazer na comunicação online da sua clínica. Clique aqui e descubra!

Postagens relacionadas


Sobre o autor

Julia Pinhabel

Especialista em Marketing Digital na iClinic, líder da equipe de vídeos e instrutora na Plataforma Cursos iClinic. Estudante de Administração na Universidade de São Paulo.