Sobre o autor
Daniel Mazza

Especialista em Planejamento Financeiro Pessoal, com experiência no mercado financeiro brasileiro e internacional. Foco no planejamento financeiro como forma de melhorar a qualidade de vida das pess

administração financeira pessoal

7 dicas de investimentos para médicos

Qual a importância de investir para você? Normalmente, as respostas giram em torno de acumular dinheiro para aposentadoria, para se sentirem mais tranquilas e seguras ou para poderem comprar algo no futuro. Todas estas respostas são genuína...

Qual a importância de investir para você? Normalmente, as respostas giram em torno de acumular dinheiro para a...

Qual a importância de investir para você?

Normalmente, as respostas giram em torno de acumular dinheiro para aposentadoria, para se sentirem mais tranquilas e seguras ou para poderem comprar algo no futuro. Todas estas respostas são genuínas, mas de alguma forma sinto que não há profundidade e nem real intenção em fazer acontecer.

Quando pensamos em investimentos, mas sem uma definição planejada do que gostaríamos de atingir, deixamos a conquista de determinado objetivo ao acaso. O investimento passa a ser a sobra ocasional do mês e não uma estratégia intencional bem fundamentada e arquitetada.

Bem sabemos o quanto a medicina é uma profissão relacionada entre as mais rentáveis, mas também sabemos que o diploma na área não é garantia de equilíbrio financeiro.

Assim como em qualquer área de atuação, médicos precisam manter a organização das receitas e despesas, estabelecer objetivos e metas, e criar uma agenda de investimentos frequentes para realização de seus objetivos. Buscar essa organização financeira tanto na empresa, através de softwares de gestão como o iClinic, como na vida pessoal, é fundamental para iniciar uma caminhada de sucesso financeiro.

Vivemos hoje no que chamo de bolha orçamentária: Famílias que possuem excelentes rendas, mas que também possuem enormes despesas, muitas vezes desalinhadas com os seus propósitos de vida.

Poucos conhecem a força que tem os juros compostos no longo prazo, e a diferença que existe entre começar a investir hoje ao invés de deixar para o amanhã. Importante dizer também que poupar é diferente de investir.

Fiz uma simulação que compara investimentos em diferentes prazos e rentabilidades. Educação financeira realmente pode fazer uma enorme diferença na vida das pessoas. Veja:

Investimento mensalPrazo (meses)Rentabilidade / mêsValor final (acumulado)
*
$2,000.00180 (15 anos)0.50% $581,637.00
$2,000.00300 (25 anos)0.50% $1,385,987.00
$2,000.00180 (15 anos)1% $999,160.00
$2,000.00300 (25 anos)1% $3,757,693.00
 

Acredito que a tabela acima deixa claro a importância do tempo e da rentabilidade dos investimentos quando falamos de formação de patrimônio, especialmente quando o assunto é independência financeira.

Quantos de nós não deixamos para depois a estruturação de um plano de investimento porque “não sobra dinheiro agora”. Será? Eis a importância de um bom gerenciamento do orçamento.

Quantos não possuem dinheiro em cadernetas de poupança, fundos de investimentos com altas taxas de administração, previdências privadas com baixas rentabilidades e altos custos? Olhe para a tabela acima e veja a importância da rentabilidade.

Como último exemplo, o que um aumento na contribuição mensal pode fazer com a formação de seu patrimônio no longo prazo, observe:

Investimento mensalPrazo (meses)Rentabilidade / mêsValor final (acumulado)
$5,000.00300 (25 anos)1%$9,394,233.00
 

Tenho tido o privilégio de ajudar médicos na formatação de seus planejamentos financeiros, e vejo o quanto de dinheiro é desperdiçado, gasto de maneira inconsciente, e que poderia estar contribuindo e muito para uma vida financeira muita mais plena e direcionada.

Seguem abaixo algumas dicas para iniciar uma caminhada mais consistente em suas finanças e os melhores investimentos para médicos:

1. Gaste seu dinheiro com o que te faz feliz

Gaste dinheiro com o que te faz feliz

Cada um de nós valoriza coisas diferentes em nossas vidas. Um médico pode valorizar a independência financeira cedo, enquanto outros podem valorizar carros importados, roupas agradáveis, comer fora com frequência, ou férias caras.

Cada vez que você considerar uma compra, avalie em termos de quanta felicidade isto traz à você. Se você é como a maioria, você irá perceber que você está gastando uma porcentagem considerável de sua renda para os bens e serviços que não estão alinhados em aumentar a sua felicidade.

2. Estabeleça seus principais objetivos e prioridades

Estabeleça seus principais objetivos e prioridades

Muito importante no momento de criar objetivos é orientar-se pela palavra SMART, ou seja, todo objetivo deve ser:

S – Specific (específico): Evite ser muito genérico como, por exemplo, “ter dinheiro para aposentadoria” ou “ficar mais rico”. Busque por frases como “comprar um determinado carro”, “mudar de casa”, “realizar tal curso de pós graduação” etc.

M – Measurable (mensurável): Dessa forma, você saberá o quanto você precisa investir, a que taxa de retorno (rentabilidade) e o quão próximo está de alcançá-lo – ou, no final das contas, o quanto você atingiu daquele objetivo em termos de porcentagem.

Por exemplo, se o objetivo é “fazer uma determina pós graduação”, estabeleça como objetivo o valor a ser gasto com o curso em reais como seu objetivo.

A – Atingible (atingível): Sonhar é positivo – e necessário. No entanto, na hora de realizar um investimento, é necessário deixar o sentimento de lado e ser racional: O dinheiro que eu quero no futuro é possível de se conseguir com o tanto de dinheiro que eu posso investir?

R – Relevant (relevante): Quais os resultados que você realmente terá se alcançá-lo? São os resultados que você espera? Respondendo estas perguntas você saberá se seu objetivo é relevante e se atenderá suas expectativas ou se não e, ao alcançá-lo, você poderá inclusive sentir-se frustrado.

T – Temporal (tem um prazo definido): Defina quando você vai precisar do dinheiro do seu investimento. Isso lhe informará quanto tempo você tem disponível para investir e uma ideia de quanto dinheiro e a que taxa de retorno (rentabilidade) você deverá investir para cumprir seu objetivo.

Definindo um objetivo desta forma, fica mais fácil de planejar o quanto investir por mês, qual rentabilidade será requerida, qual o grau de prioridade do objetivo e se é possível alcança-lo de acordo com as suas necessidades e expectativas.

3. Aprenda sobre investimentos e não confie apenas no que os outros aconselham

Aprenda sobre investimentos e não confie apenas no que os outros aconselham

Existem hoje várias fontes de informação sobre investimentos e educação financeira. Aprender a lidar com seu dinheiro é tão importante quanto aprender novas habilidades na profissão.

Médicos muitas vezes estudam e se esforçam tanto para se tornarem profissionais melhores, para poderem ter uma remuneração melhor, e muitas vezes não percebem que boa parte do dinheiro ganho está indo pelo ralo…ou em altas taxas e baixas rentabilidades dos investimentos.

Existem também profissionais isentos, não vinculados a instituições financeiras, que podem aconselhar sobre o melhor caminho a seguir.

Quando falamos de investimentos, gosto muito da seguinte frase: “Mais vale o investidor que você é, do que o investimento que você faz.”

## Cadastre-se e receba gratuitamente dicas exclusivas de Gestão em Saúde e Tecnologia:  

controle das finanças do consultório

Separando as contas PF e PJ. O que você tem feito a respeito disto?

Quando falamos em finanças para profissionais da área de saúde, especialmente médicos, identificamos um padrão comum que prejudica, e muito, a gestão financeira destes profissionais: a confusão que é feita entre as contas Pessoa Física (PF)...

Quando falamos em finanças para profissionais da área de saúde, especialmente médicos, identificamos um padrão...

Quando falamos em finanças para profissionais da área de saúde, especialmente médicos, identificamos um padrão comum que prejudica, e muito, a gestão financeira destes profissionais: a confusão que é feita entre as contas Pessoa Física (PF) e Pessoa Jurídica (PJ).

Geralmente, nos deparamos com a seguinte situação: estes profissionais não sabem exatamente o quanto faturam, o quanto gastam com a empresa e tão pouco o quanto gastam na vida pessoal.

Existe um foco muito grande no desenvolvimento da profissão, o que não deixa de ser correto, mas falta também mais atenção na gestão dos recursos financeiros.

É comum vê-los pegar o dinheiro do caixa da empresa para pagar as compras da casa ou usar o cartão de crédito pessoal para comprar algo para o consultório.

Afinal de contas, o negócio é próprio. E é ai que mora o perigo.

Separar as contas PJ e PF é o primeiro passo para iniciar um bom planejamento financeiro e gerenciar melhor os recursos.

Um ponto de reflexão interessante é o fato de nos empenharmos tanto para faturar mais, aumentar a carteira de pacientes e ter uma boa reputação profissional, com o intuito de gerarmos mais renda para termos uma boa qualidade de vida, e não nos preocupamos em gerenciar esses recursos de forma eficiente, buscando otimizá-los.

Separar Contas Pessoais e do Consultório

Separando as contas PF e PJ: 3 perguntas essenciais

1) Qual é o seu faturamento médio mensal?
2) Qual é o gasto médio mensal de seu consultório/clínica?
3) Qual é o gasto médio mensal na sua vida pessoal?

Saber responder a essas perguntas é essencial para* iniciar este processo de separação das contas PJ e PF*, estipular um pró-labore mensal e manter a saúde financeira de seu consultório.

O pró-labore é uma espécie de salário destinado exclusivamente para sócios e administradores das empresas. Apesar de ser um valor pago pelo trabalho mensalmente, diferentemente de um salário, no pró-labore os benefícios trabalhistas são opcionais.

Quando conversamos com médicos, sentimos que existe uma dificuldade em estabelecer um valor de pró-labore.

Afinal, a renda é variável e não se sabe o quanto irá “entrar” no mês.

Querendo ou não, é necessário enxergar o consultório como uma empresa, onde é preciso ter um capital de giro adequado, um controle financeiro que permita saber de quanto é o faturamento e o gasto mensal médio, e qual a possibilidade de renda mensal que o profissional poderá ter.

Junta-se a isto o entendimento dos gastos pessoais e será possível saber se a empresa poderá remunerar o profissional adequadamente.

Com este simples exercício de separação de contas, é possível enxergar com muito mais clareza tanto a situação financeira do consultório, quanto a particular.

Retirar da empresa mais recursos do que ela pode gerar em um determinado período é o começo para os problemas financeiros aparecerem.

Para separar as contas, recomendamos:

1. Mapeie suas contas pessoais

Inicie o mapeamento de suas finanças pessoais – hoje existem diversos aplicativos, planilhas e profissionais que podem auxiliá-lo no gerenciamento de suas finanças pessoais. O importante é começar.

2. Separando as contas PF e PJ

Tenha uma conta no banco para você e outra para sua empresa.

Mesmo que você não tenha empresa constituída,* vale a pena separar em duas contas*. Isto facilita a visualização e ajuda no gerenciamento dos recursos financeiros.

Fluxo de Caixa para clínicas e consultórios

3. Fluxo de caixa da clínica o consultório

Crie um controle de recebimentos e gastos da empresa – é necessário entender o fluxo de caixa da empresa para saber o quanto ela pode pagar de pró-labore, e consequentemente, saber se está dando lucro.

Softwares de gestão como o iClinic, podem auxiliar a gestão financeira para clínicas e consultórios.

Caso você atenda pacientes em consultórios diferentes, encare este faturamento como sendo de sua empresa, ou seja, vai para conta da empresa.

4) Defina seu “salário”

Defina seu pró-labore baseado em sua necessidade financeira para arcar com seus gastos pessoais e também no quanto sua empresa pode pagar.

Ajuste seu orçamento pessoal de acordo com a realidade financeira da sua empresa.

A Life Finanças Pessoais tem a oportunidade de auxiliar muitos profissionais a criar este sistema de organização financeira, notando diariamente os resultados positivos dessa simples forma de separar as finanças PJ x PF.

Não deixe as coisas acontecerem ao acaso, faça o acaso acontecer. Temos certeza que você colherá bons frutos.

modulo financeiro iclinic